quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mandela há só um...e é pena


Comemora-se hoje o 95º aniversário de Nelson Mandela, símbolo da luta pelo fim do "apartheid" e pela equalidade racial na Africa do Sul, e a referência para todos os que em todo o mundo procuram uma sociedade mais justa e repartida. Desde 2009 que a ONU escolheu esta data para apelar a refleção sobre as virtudes do bem, e apela a todos os cidadãos do mundo que procurem fazer boas acções durante 47 minutos, o número de anos que durou a luta de "Madiba" até à realização do seu sonho inspirador. Mandela comemora esta bonita idade num clima de apreensão pelo seu estado de saúde, e muitos temiam que não vivesse até este dia, dado o seu estado critico de saúde, que se agravou no último mês e meio. É uma ideia generosa que se lembre Mandela nesta dia, e que procuremos no seu exemplo uma inspiração, e em conjunto nos seja permitido sonhar num mundo igual para todos, sob o signo da paz, da tolerância e respeito pela diferença. Infelizmente sabemos todos que não é assim, e que estamos muito longe de honrar o sacrifício deste bom homem que passou o grosso da sua idade adulta atrás das grades em nome do que considerava a única opção de vida; sacrificou a sua liberdade em nome da liberdade do seu povo. A própria Africa do Sul está a braços com problemas que a deixam muitos furos abaixo do país que Mandela idealizou, e um pouco por todo o mundo temos exemplos dos mais variados atropelos a todos os níveis, e as vítimas são quase sempre os mais fracos: as minorias, as crianças, as mulheres, os mais pobres. Mandela há só um e não vai durar sempre, por muito que nos custe. Fazem falta mais como ele, para que nos recordem do nosso lado bom, o nosso lado humano, que existe um pouco em todos nós.

1 comentário:

FireHead disse...

Um pulha é sempre um pulha e o Mandela é apenas mais um. Desde o fim do Apartheid, morreram e ainda morrem na África do Sul milhares de brancos de forma impune. Do racismo contra os pretos todos falam, já do que é contra o branco...