quarta-feira, 9 de abril de 2014

Epá, pois foi...


Os circuitos têm andado tão baralhados nestas últimas três semanas que deixei passar por completo esta efeméride: no dia 26 de Março passaram-se oito anos desde o aparecimento do Leocardo. Foi nesse dia no ano de 2006, numa tarde de um dia de férias em que o tédio se preparava para levar a melhor, quando decidi dar o grande passo em frente e criar o blogue "Leocardo", assinando com o nome deste personagem que criei simplesmente porque...me apeteceu. Foi mesmo por acaso, podem crer. Nunca tive a intenção de criar um alter-ego para andar a moer o juízo a ninguém, só que depois foi acontecendo, e logo por azar a primeira pessoa a acusar o "toque" revelou-se injustificadamente "sensível", e como sou um gajo brincalhão (e até um bocado trocista), fui "esticando a corda", para ver até onde me podia levar aquilo que por vezes assume erradamente ser "liberdade de expressão". Ora, o resto já se sabe, o "Leocardo" deu lugar ao Bairro do Oriente em Dezembro de 2007, e em Julho de 2012 caíu a máscara, e quem tinha curiosidade em saber quem era este "misterioso" personagem viu essa curiosidade satisfeita. Posto isto enterrei machados de guerra, passei a poder trocar face-a-face impressões com gente óptima que genuinamente gosta do que eu faço e tem a imensa paciência em me aturar, e mostrei-me sempre disponível para esclarecer quaisquer mal-entendidos, e até para quem me quisesse "dizer das boas". Felizmente ou talvez não, tenho convidido com a exposição sem nenhum atrito, mas continuo disponível para debater civilizadamente todos os faux pas que ainda subsistam do passado, e caso se justifique fazer a devida retração e apresentar as mais sinceras desculpas - já o fiz, e foi com alegria que tudo acabou resolvido com um apertado e sincer abraço ou aperto de "bacalhau". É com duas semanas de atraso que apago estas oito velas, com a esperança de continuar a escrever de Macau, para Macau e sobre Macau durante muitos mais anos. Obrigado a todos, um grande bem-haja!