terça-feira, 22 de abril de 2014

Cartão vermelho


Nota prévia: se é benfiquista, não leia este artigo. Ou melhor, se é benfiquista e não aceita alguns factos que são tidos como evidências, não leia. Se é fanático, feche a página do seu "browser", clique no primeiro "bookmark" que estiver a jeito, atire o PC pela janela. Se está tão contentinho e inchado de orgulho, é possível que continue a ler. Nesse caso siga por sua conta e risco. Depois não diga que não o avisei.

O Benfica foi campeão nacional de futebol. Esperem, é preciso especificar, não vá algum preciosista espertalhão dizer "mas ó Leocardo, o Benfica é campeão de futebol todos os anos, pá!". Pronto, é assim: o Benfica foi campeão de futebol de 11, séniores, masculinos, da Liga ZON Sagres. Matraquilhos e o último torneio do EP de Caxias não contam. Foi campeão da categoria máxima do futebol português. E desde já os meus mais sinceros parabéns, que é o que se diz ao vencedor. Sinceramente não me recordo da última vez em que o Benfica venceu tão merecidamente um campeonato. Não interessa se o Porto esteve muito mal, se o Sporting tinha vindo de um época terrível, o Benfica foi a melhor equipa, e seria até uma injustiça se não tivesse sido campeã. O título assenta-lhes que nem uma luva.

Posto isto, vamos falar do que acontece quando o Benfica ganha um campeonato, o que se pode mesmo considerar matéria para um "case-study". Ainda me lembro como se fosse ontem do tempo em que o Benfica era campeão por decreto, e no meu primeiro ano de Macau foram campeões com Toni, o 30º título, que eram tantos como o resto da concorrência junta. Depois disso foram apenas mais 3...em 20 anos. Portanto compreendo a euforia, a loucura, o delírio, a histeria e o vandalismo; afinal ver o Benfica ser campeão é mais raro do que assistir a uma olimpíada. Sim, porque senão reparem: Olimpíadas desde 1996 tivemos cinco, enquanto campeonatos ganhos pelo Benfica foram apenas 3. Enquanto no primeiro caso a festa custa muitos milhões de dólares e implica uma cerimónia de abertura com uma elaborada produção, enquanto que para o Benfica fazer a festa basta um cachecol, uma corneta, um garrafão de vinho e uns coiratos.

Entre os defeitos que podia apontar ao meu saudoso pai, um deles (quem sabe o maior), era serb benfiquista. O meu pai não era de sair à rua na traseira de um carro aos berros a agitar um cachecol - e ainda bem, imaginem o embaraço que seria para mim, seu filho - mas ficava especialmente contente quando o Benfica era campeão. Dava uma risadinha cínica ao dragão lá de casa (eu), e nos dias que se seguiam andava mais bem disposto que o habitual. Não o posso censurar, coitado, pois o homem era tão velho, tão velho, mas tão velho, que assistiu ao benfica a ser campeão europeu duas vezes! Eu, um puto que não sabe nada da vida, um catraio a cheirar a leite, "só" vi o Porto ganhar também duas vezes o "canecão", e a juntar a isso duas Taça UEFA/Liga Europa, duas Intercontinentais, uma Supertaça Europeia, e isto só para falar das provas internacionais. Mas não interessa, não interessa! O Benfica é o maior! O maior clube do mundo! passa aí mais uma "mine" que este "côrate" tá-me a deixar na secura.

É verdade que o Benfica é "o clube do povo". É mentira que "a produtividade aumenta em Portugal quando o Benfica é campeão". Vão inventar outra pá, a produtividade não aumenta nem se arranjassem maneira de serem todos campeões todos os anos. A razão porque o Benfica tem seis milhões de adeptos entre dez milhões de portugueses deve ter qualquer coisa a ver com algum agente desonesto, que no momento em que os recém-nascidos registam a sua "portugalidade", põe no boletim no campo reservado ao "clube" duas opções: "Benfica", e "outro; qual?". É por isso que vemos toda a fauna de adeptos do Benfica, dos mais analfabrutos aos minimamente civilizados. Quando vi aquela reportagem no Domingo onde entrevistaram o presidente da Casa do Benfica em Genebra fiquei a pensar se o indivíduo: 1) estava comovido; 2) era retardado; 3) estava bêbado ou 4) todas as anteriores. Claro que a resposta é 4), ou quem quiser acrescentar mais uma, 5) é "apenas" benfiquista. É por isso que o Jorge Jesus é o treinador ideal para o Benfica, e um dos que mais tempo ficou à frente da equipa principal: é o protótipo do tuga rústico, disléxico e embrutecido. E é da Amadora e tudo - perfeito. Podia também ser de Chelas.

E pronto, não me levem a mal, eu sei que sois boa gente, e que não estão assim tão habituados a ganhar desde o tempo em que os adversários entravam no Estádio da Luz já a perder por 3-0, ou que bastava ao Humberto levantar o braço para o árbitro assinalar fora-de-jogo, mas pronto, este ano foram sem dúvida os melhores, dou-vos isso. E há mais: se vencerem a final da Taça contra o Rio Ave, conseguem a dobradinha, o que já não acontece desde 1987. Uau, História de Portugal. Se por algum acaso, e com a ajudinha dos deuses, conseguirem juntar ao campeonato e à Taça a Liga Europa, imitam o FC Porto em 2002/2003. Já viram? Estão a ficar crescidinhos ah? Isso é que é, sim senhor. E para não pensem que isto é dor de cotovelo, que não é. Quer dizer, já fui penta-campeo, tetra-campeão e tri-campeão, e tudo isto só nos últimos 19 anos. Também preciso de descansar, cum camano. E epá, por favor, não me batam, não me insultem, não me roguem nenhuma praga. Pronto, pronto, ganharam, fiquem com a taça que eu prometo que pio fininho. E parabéms, caso não tenham entendido das duas primeiras vezes. Esperem que eu soletro: p-a-r-a-b-é-n-s! E força Juventus! Dá-lhe Rio Ave!

PS: Faço minhas as palavras do Carlos Morais José no Domingo passado no Facebook: "Gostei muito da festa organizada pela Casa de Macau do SLB..."

2 comentários:

Anónimo disse...

"Força Juventus" não havia necessidade........................

FireHead disse...

Eu já tinha reparado que o amigo Leocardo é portista. Baboseiras escritas no post à parte, sim que eu também sou do tempo em que o FCP é campeão por decreto (quinhentinhos, frutinha e chocolatinhos à parte - passe a redundância), lembro-me que o amigo tinha chegado a dizer no meu blogue que era "neutro" (http://bloguedofirehead.blogspot.com/2011/07/desonestidade-e-intelecto.html). Talvez FCP também queira dizer "neutro". Ou então houve uma metamorfose. Ah, mas espere, já era "dragão" lá em casa? Hmmm... ok.

Tomara que o Benfica volte a ser o que era nos tempos em que vencia por decreto como diz. Não havia era necessidade disso para camuflar um anno horribilis do seu clube. O Anónimo, coitado, vai puxar pela Juventus. Deve ser da Juve desde pequeno e sócio com as quotas em dia. Ou então adepto do segundo clube do povo português: o ASLB. Aposto mais na segunda hipótese.

Cumprimentos.