segunda-feira, 22 de março de 2010

Mesquita10


Em Macau pode-se dizer que há três programas de produção local: Música em Movimento, TDM Desporto e Montra do Lilau. São estas as únicas produções completamente locais, realizadas num estúdio e apresentadas por alguém de cá no canal em língua portuguesa de Macau, a TDM. O resto vai-se enchendo com séries portuguesas, novelas portuguesas e brasileiras, séries estrangeiras com várias temporadas de atraso, e durante o tempo morto liga-se à RTPi. Falta um programa que fale de cinema (always watch good moves), programas infantis (que tal em mandarim, e com alunos da EPM?), e um programa de documentário histórico, tipo José Hermano Saraiva, só que sobre a história de Macau.

O Música em Movimento, por exemplo, salva-se com a apresentação do Jorge Vale, e pela produção com bandas de Macau (que eu pensei que ia ser o programa inteiro), e pouco mais. Os clips, por exemplo, são pífios – enquanto estou a escrever isto está a dar o “Ticket to Ride”, dos Beatles. Às vezes vêem-se melhores clips nos intervalos dos jogos de futebol. Chegamos a segunda-feira, e temos o TDM Desporto, que consegue ser bom porque fala sobretudo do desporto de Macau, e o Vítor Rebelo faz aquilo super-interessante, com os convidados, as entrevistas e tudo mais. E finalmente o Montra do Lilau, lá para meio da semana, que dá ideias bastante boas e mostra muito do que se faz por cá em termos artísticos. Dão-me sempre inspiração para um ou outro post, mas depois acabo por não ter tempo de fazer. E sobretudo trabalham muito, pois não é fácil encontrar motivos de interesse na cultura de Macau em geral.

Do resto da programação do canal 1, temos o Telejornal, é claro, que se enquadra no prato principal à hora do jantar, e é sempre impecavelmente apresentado por qualquer um dos jornalistas que o fazem regularmente. Depois há aquele balanço meio esquisito entre a programação em português e inglês, e às vezes envolvem-se promiscuamente, e chegámos ao ponto de ter uma entrevista com dois interlocutores de língua materna portuguesa...em inglês. A Inglaterra e os United States entram por ali dentro, e às vezes até nos comentários dos jogos de futebol! Não faz mal, até acho bem a telenovela com as legendas em inglês, que assim a minha mulher também vê e não me chateia para mudar de canal. O TDM News in english vem com legendas também em inglês (para surdos?), e parece que estamos a ler um teleponto, mas não está mal para um Telejornal em língua inglesa, que serve (penso eu) para que a comunidade anglófona saiba alguma coisa sobre Macau e o que se passa por aí, e tal.

Mas a programação do aparato inglês ficaria muito mais rico se a TDM olhasse um pouco para algum talento local que aí anda. O Pierre-François Métayer, por exemplo, mais conhecido pelo programa “Cantonese in one minute”, é um valor praticamente “Made in Macau”, com passagens pela França e cursado na Academia de Cinema de Pequim, que sabe falar correctamente inglês, francês, cantonense e mandarim. Tudo menos português (será isso?). Um indivíduo inteligente, sério e divertido, que só não consegue ser “mais trabalhador” porque não o deixam. Disseram-me que Métayer realizou a maioria daqueles episódios sozinho, ou seja, ele, a câmera e um controlo remoto. É um indivíduo com um grande à vontade, e que conseguiria tornar as entrevistas em inglês menos maçudas (o background é inspirado na PBS) e mais “vivas”.

Outro talento que fiquei a conhecer recentemente é Sérgio Perez, o realizador dos curtos filmes dos Doçi Papiaçam di Macau, que como se sabe são sempre uma grande barrigada de riso (a propósito, já tenho bilhetes). Outro jovem valor que nasceu em Macau, é macaense, e foi aprender lá fora para regressar a Macau, porque se calhar acredita que há qualquer coisa séria que pode ser feita por cá. Como temos o hábito de perder os nossos talentos para Hong Kong (Soler, Germano Guilherme, etc), era bom que não perdessemos este também.

É curioso que existam tantas outras pessoas que podiam ser utilizadas em programas de televisão em Macau, sobre Macau, e em português, mas andam assim meio esquecidas, e deambulam pelos jornais e pela rádio, com incursões tímidas no pequeno ecrã. Concerteza que existe em Macau muita gente que tem potencial para trabalhar em televisão. Em que canal se vê a juventude portuguesa em Macau? O que pensam eles? Do que gostam ou não gostam? Se não se aproveitar o talento local para apostar em mais produção local "não vale a pena" por causa da faixa de audiência abaixo dos 1%, então o que é que vale a pena?

24 comentários:

Anónimo disse...

"Dão-me sempre inspiração para um ou outro post, mas depois acabo por não ter tempo de fazer"

Já sei que não gosta de ser criticado, mas cá vai na mesma. Não tem tempo para falar de programas sobre os quais vale a pena falar, mas arranja sempre tempo para falar dos programas da treta como o "Dança Comigo" e afins. Podia usar esse tempo mal gasto para falar dos programas a sério para os quais não arranja o tal tempo. Ainda por cima dizendo você que, como está em Macau, não comenta os programas da RTPi, mas sim da TDM. Devia emendar: não comenta os programas que são realmente da TDM, mas comenta os da RTPi que a TDM, infelizmente, insiste em transmitir.

Leocardo disse...

Muito bem. No contexto: "...que dá ideias bastante boas e mostra muito do que se faz por cá em termos artísticos. Dão-me sempre inspiração para um ou outro post, mas depois acabo por não ter tempo de fazer.", significa que não tenho mesmo tempo para fazer. Implicava ir a sítios, exposições, eventos, sítios com muitas pessoas, e eu não tenho tempo nem disponibilidade (infelizmente) para registar isto tudo de forma mais elaborada, como merece ser registado.

Os tais programas maus, medíocres ou assim-assim, dependendo do gosto, dão menos trabalho porque basta-me sentar o cu em frente ao PC e falar daquilo que vejo. Penso que isso é muito, mas mesmo muito diferente, não acha? Em todo o caso, os programas a que fiz referência passam na grelha de programação da TDM. Todos menos o Portugal no Coração e o Praça da Alegria, que só faço referência em relação a alguns actos que se incluem na secção "generalidades Portugal". Se os compraram ou não, isso não sei responder.

Cumprimentos e obrigado.

Anónimo disse...

Entretanto, falando de outro assunto, ja viram a previsao da qualidade do ar para amanha?
MUITO INSALUBRE/PERIGOSO.
Caramba, nunca vi nada assim!

Anónimo disse...

Já viu, já. Viu hoje. Segundo o Telejornal da TDM, hoje já esteve assim.

Anónimo disse...

Nunca vi isso e também não me lembro de ter visto em finais de março uma temperatura com previsão tão baixa. Para sexta dão 13-18.

Anónimo disse...

Faltou o Asia Global e o TDM Entrevista. O Asia Global (não percebo se a falta de acento foi deliberada ou não) acaba por ser um bom acessório semanal aos curtos telejornais. Para quem quer saber mais do que se passa na Ásia, é um programa interessante. O TDM Entrevista, ao qual vaticinei curta vida quando foi anunciado que seria semanal pela escassez de entrevistados, tem-se conseguido manter na grelha, sempre com entrevistados mais ou menos interessantes, o que para um território ínfimo como Macau chega a ser uma proeza. Gostei particularmente da que passou hoje, ao Presidente de Timor Leste, Doutor Ramos Horta, pela exclusividade, antes de mais. A produção podia estar melhor, é certo, mas segundo me constou por amigos de amigos, o jornalista e entrevistador Marco Carvalho estava de férias naquele país lindo e abdicou do seu tempo de lazer para trabalhar para a TDM com material próprio. Será amor à camisola?

Também não percebo a originalidade de levar ao TDM Talk Show entrevistados portugueses/macaenses e serem entrevistados pelo Pinto! À partida esse programa tem todo um leque mais vasto entre a comunidade chinesa e anglófona do que o congénere português, portanto não vejo qual o intuito.

Mas ó Leocardo, um programa para miúdos em Mandarim com os alunos da EPM? quer ver os seus catraios na TV é?

Anónimo disse...

Se o Leocardo conhecesse a realidade da TDM por dentro, que chega a ser vergonhosa, e de como os chineses abafam os portugueses ali dentro com o aval das chefias, nao diria que o canal portugues devia fazer mais. Concerteza ate gostaria de fazer mais, mas cortam-lhe as asas.

Leocardo disse...

1) Não me esqueci do TDM Entrevista, que não é bem um programa temático, mas uma série de entrevistas. Admito o lapso de não ter referido o Asia Global, mas é um esquecimento normal, no fundo (a primeira vez que vi esse programa pensei que fosse um Informação Especial, como às vezes acontece com os tufões).

2) Não queria lá os meus filhos, sobrinhos ou netos, queria os alunos que pudessem fazer o melhor programa. Já agora pelo menos uma vez a comunidade portuguesa podia fazer um casting de miúdos baseado no talento e no conhecimento linguístico (neste caso), e não no "quem é filho de quem".

3) O canal chinês abafa? Então abafa muito mal, pois é uma autêntica merda. Alguém os vê?

Cumprimentos.

Kel disse...

Não deixa de ser produção própria da TDM, seja ou não temático. O Talk Show é no mesmo formato e referiu-o. Mas o Leocardo é livre para dizer o que lhe apetecer ou omitir o que lhe apetecer no seu blog.
Cumprimentos

Pedro Coimbra disse...

Será útil explicar ao Herbert Ramos que ele está ali para apresentar notícias, não para actuar.
Aquela idiotice de mudar de voz sempre que faz voz-off é incrível.
E ainda ninguém lhe puxou as orelhas lá na TDM...

Anónimo disse...

Para mim são estas produções "made in Macau" que tornam a TDM num canal especial. Afinal, a TDM é um canal de Macau em língua portuguesa e não tem obrigação de fazer de RTPi. Certamente há uns melhores que outros, mas o importante é que os que já existem consigam sobreviver e que outros novos sejam adicionados á programação. Há gente em Macau capaz de dar conta do recado. Depois há que deixar os actuais programa amadureceram porque me parece que na actual TDM há muita falta de experiência, o que também não ajuda a uma equipa com poucos meios e sempre amargurada pela critíca constante ao canal.

AA

Anónimo disse...

Continuo a dizer que o canal português da TDM, dentro das possibilidades, está muito bem, tem qualidade. Só falham é, precisamente, no mais fácil: nas escolhas dos programas da RTP. Há um ou outro bom, mas a generalidade é lixo, sobretudo aqueles de puro entretenimento (embora a mim não me entretenham minimamente) que insistem em transmitir nos serões de sábado.

PS: O Herbert Ramos é um excelente apresentador de notícias, num bloco noticioso que até começou muito mal, com aquela chinesa sem sal que não lia as notícias, cantava-as. Ainda por cima, a música era sempre a mesma, num inglês com tons que respeitava um determinado ritmo musical em vez de respeitar a pontuação.

Anónimo disse...

Gostava de saber o que é isso de os "chineses abafarem os portugueses com o aval das chefias". Abafam como? Eles têm alguma influencia ou voz activa no que se faz no canal português? Não trabalham separadamente?

El Comandante disse...

Gosto particularmente da Montra do Lilau.

Anónimo disse...

Profissionais de jeito tem a TDM no canal em portugues: Jorge Silva, Vitor Rebelo, JFP, Marco, Joao Pedro, Joao Guedes, Lina e Catarina, alem dos dois novos Teles (espero nao ter esquecido de alguem). O problema, isso sim, passa pelo péssimo ambiente que se vive no seio da TDM. Culpa de quem?

Anónimo disse...

É arrepiante ligar a TDM e ver programas repetidos dentro do próprio canal portugues. Por exempli: Só no espaço de uma semana (de um fim-de-semana ao outro) vi a entrevista do Marco ao professor Fonseca POR QUATRO VEZES (passou duas vezes em dois sábados e outras duas vezes em dois domingos). Resumindo e concluindo: É MAU DEMAIS PARA SER VERDADE!

Anónimo disse...

A proposito, quem e o locutor da TDM que le as noticias em off, dizendo " a iagua, a iasia. a pissina, a ecelenssia" e que parece um motor em testes de aceleracao?
Nao ha ninguem que lhe de uma accao de formacao para ensinar a ler noticias de forma concisa, sem estar a descrever lencois de texto, e aos gritos?

Anónimo disse...

Pois realmente a TDM é 1 canal de merda,com programas repetidos mais que repetidos e programas antigos.Nunca vi 1 canal tão mau,deviam fechar o canal de vez.O unico programa que vejo da Tdm é o noticiário para ver as noticias de Macau

Anónimo disse...

"...queria os alunos que pudessem fazer o melhor programa"!!!! Tá tudo doido em Macau? De repente, à noite, quando se chega a casa... é ver miúdos da escola portuguesa... na TV?! Ahhhh???? Alguém explica??? Isso é que é boa TV? Ahhh??? Que tilt...

Anónimo disse...

A TDM é uma das principais "chaves" para o desenvolvimento de uma industria audiovisual em Macau.

Infelizmente, existe falta de visão e sensibilidade, principalmente no topo da administração da TDM, para desenvolver o potencial dos seus canais.

Em primeiro lugar, a produção em português é vista como um fardo, e não como uma oportunidade. É incrivel que a TDM queira abrir canais para os paises de lingua portuguesa e não se procure em desenvolver conteudos em português especificos para esses canais, que poderiam ser vendidos a bom preço para os canais lusofonos de todo o mundo. O fascinio pela China e pelo Oriente por parte do mundo Ocidental, em particular o Lusofono, é enorme: imagine-se o potencial mercado de conteudos produzidos pela TDM, em Português, sobre a China, Macau e mesmo toda a região da Àsia?

A TDM tem excelentes profissionais na área do Jornalismo, e não só. pessoalmente devo dar os parabéns à Catarina, à Lina Ferreira, ao Jorge Vale e ao Rui Borges, o realizador do "Musica Movimento", porque sei dos problemas de produção por que passam na realização dos seus programas. Fazem-no remando contra a maré da apatia, desinteresse e desprezo da estrutura perante a produção portuguesa e o próprio canal português.

Na TDM, fala-se muito dos custos de produção, de não existirem meios, etc. etc, mas a verdade é que actualmente a produção de conteudos sofreu uma enorme revolução, a que se deu o nome da revolução do digital e ao que os individuos da área deram o nome de "democratização da produção"- longe vão os tempos em que fazer um programa necessitava de uma equipe de 6 a dez individuos com equipamentos que custavam centenas de milhares de patacas.

Conteudos de interesse podem ser produzidos com custos reduzidos e equipa reduzida. O limite, claro, está na imaginação, criatividade e ao mesmo tempo apoio- de nada serve dar-se luz verde para se desenvolver projectos se não existe apoio interno para o fazer. É necessário dar oportunidade a quem tem ideias, ao mesmo tempo que se lhes deve facultar oportunidades de explorar novos caminhos.

Outro erro da TDM é não permitir-ou, se permite, é em número muito reduzido- a compra e difusão de conteudos a produtoras locais fora da estrutura da TDM, ou seja, aliar à sua produção interna "outsourcing" e aceitar conteudos produzidos por empresas locais. Vamos por as coisa em perspectiva: A TDM planeia ter 4 a 5 canais. É irreal tentar internamente responder às necessidades de conteudos desses canais com produção interna, apenas. Pelo que li nos jornais, a TDM planeia comprar "enlatados" da CCTV e dobra-los para português ou legenda-los. É, a meu ver, uma solução que não beneficia Macau nem o Canal. A CCTV tem o seu próprio canal Internacional e já se encontra em muitos desses paises.Não haveria, assim, mais valia nem diferenciação de produto por parte da TDM. Aliás, duvido que se tenha feito um estudo ao "branding" que se pretende à marca "TDM". Isto é, porém, mera suposição. (CONTINUA)

Anónimo disse...

A TDM deveria aproveitar esta oportunidade e "pedir" às pequenas empresas de produção locais para desenvolver programas e conteudos para o canal, como faz a RTP, SIC, BBC, TVB, ATV, etc. etc.
Ao permitir isso estaria assim a ajudar a desenvolver e a criar toda uma industria de produção de conteudos audiovisuais, permitindo-se criar postos de emprego para realizadores, actores, editores, sonoplastas, directores de fotografia, etc. etc.

Feizmente as administrações são feitas de ciclos que tem necessariamente que acabar. Dos incompetentes não reza a história e certamente melhores dias virão a um canal com enorme potencial para levar a imagem de Macau ao Mundo. Aproveito, como espectador, para desejar força aos excelentes profissionais da TDM, aqueles que mantém viva a paixão da produção, a vontade de fazer mais e melhor, de quebrar barrieras e que mantém o sonho de tornar a TDM um canal melhor". Nós, espectadores, vemos, gostamos e apreciamos o vosso trabalho. Continuem a "puxar o barco"!

Anónimo disse...

Só não concordo muito com o estudo ao branding. Eu é mais uísque e vodca.

Anónimo disse...

Não será mais aguardente, e de serpente, caro anónimo?

Anónimo disse...

Aguardente de serpente nunca provei. Mas duvido que gostasse, porque não costumo gostar de aguardentes, bagaços e brandings.