sábado, 19 de julho de 2008

FIMM mais caro


Os custos do Festival Internacional de Música de Macau são os mais elevados de sempre, em grande parte devido à conjuntura internacional e ao valor do Euro face ao dólar. Preocupações expressadas pelo director artístico do Festival desde há vários anos, o cantor lírico de Hong Kong, Warren Mok. O Festival deste ano abre com a Orquestra Filarmónica Real do Reino Unido a 5 de Outubro no Grande Auditório do CCM. Os maiores destaques vão para a presença da Orquestra Sinfónica de Vancouver, para o português Júlio Pereira, que actuará no Teatro D. Pedro V no dia 24, e para o Il Trittico, de Giacomo Puccini, que encerrará o Festival no dia 2 de Novembro, também no Grande Auditório. Destaque este ano para a ausência de um musical da Broadway, que ia sendo presença habitual nas fases finais dos FIMM. Os bilhetes começarão a ser vendidos no dia 27 nas Lojas da Kong Seng, para quem os conseguir apanhar, claro. Veja aqui o programa completo do FIMM.

5 comentários:

Anónimo disse...

No ano passado boicotei por causa da história das legendagens, este ano boicoto outra vez como protesto pela ontinua diminuição da qualidade.

contraditório disse...

e cadê o musical estilo broadway, que já era uma tradição deste festival?

Anónimo disse...

O Tríptico de Puccini !!! Para uma terra que vê uma ópera por ano o canastrão do Warren Mok escolhe estas três óperas de segundo plano, embora a última, Gianni Schichi, seja perfeita.
Antes de apresentar estas óperas, devia trazer algum Bellini ou Donizetti.
Raul Andrade Pissarra

Anónimo disse...

ainda gostava de saber quem sera'o padrinho do ICM do Julio Pereira, o gajo ja'ca'veio a Macau uma dezena de vezes e e'sempre a mesma bosta, com tanto artista bom em Portugal e trazem sempre o mesmo.
estas cabecinhas do ICM

Anónimo disse...

De certeza que tem padrinho.
Corvi