quinta-feira, 31 de julho de 2008

Os verdadeiros e falsos de Singapura


Em Singapura não se pode comer pastilha elástica. Falso. Em Singapura não se vende pastilha elástica, é verdade, mas os residentes podem comprar na Malásia - que fica uma ponte de distância - e os turistas podem trazer de fora.

Em Singapura quem deitar lixo, pontas de cigarro ou pastilhas elásticas para o chão é flagelado. Falso. A primeira vez é uma multa. Depois disso não sei nem quero saber.

Em Singapura não se pode fumar. Falso. Pode-se fumar na rua, existem cinzeiros praticamente de dez em dez metros. Os hotéis oferecem a opção de andares para fumadores e não-fumadores. Assim como em qualquer outra cidade asiática (só Macau parece ser ainda excepção) é proibido fumar em restaurantes, bares, centros comerciais ou qualquer local público com ar-condicionado ou recinto fechado.

Singapura é uma cidade cara. Falso. Mas podia ser verdade. É mais cara quando comparada com Macau, mas mais barata que Hong Kong, por exemplo. Os residentes queixam-se do aumento do custo de vida com a aproximação do Grande Prémio, a realizar em Setembro. Pode-se comer nas tendinhas (recomendo a Little India) ou nos restaurantes islâmicos por 20 ou 30 patacas por cabeça.

Em Singapura os empregados são obrigados a sorrir. Verdadeiro. Na cidade-estado funciona a política do GST (Greet, Smile and Thank). Funcionários públicos e empregados de hotelaria são obrigados a tratar os clientes com simpatia, mesmo que lhe tenha morrido o avô ou o canário.

Em Singapura aplica-se a pena de morte por tráfico de droga. Verdadeiro. E depois? É assim que funciona e quem não sabia deve ficar a saber.

Boas férias!

12 comentários:

Hugo disse...

Excelente guia de Singapura,da qual apenas conheço o aeroporto que é um assombro.

Anónimo disse...

O Leocardo é grande fã da cidade estado, anda lá sempre no caminho.

Leocardo disse...

Bem, passei por lá três dias na semana passada, entre outros sítios. Agora de volta a esta pasmaceira, enfim...olhe, vou comprar uma cebola para fazer um caril com as fantásticas especiarias que comprei nas minhas viagens, e que não se encontram em Macau em lado nenhum.

CONTRADITÓRIO disse...

Quando diz que em qualquer cidade asiática ( com excepção de Macau) é proibido fumar em recintos fechados, deve estar concerteza a pensar que a China continental não faz parte da Ásia.
E essa de ser obrigatório sorrir, não sei não. Não tenho queixas de antipatia por parte dos singapureanos, mas nesse aspecto estão a uma certa distância dos tailandeses e dos japoneses. Singapura é uma cidade para se ir uma vez, e chega.
É tudo muito limpinho, muito arranjadinho e muito chato.

prefiro Bangkok, Tóquio ou Sydney.

Nestes sítios não é preciso uma lei para as pessoas serem simpáticas e civilizadas.

E imaginativas e com sentido de humor.

Anónimo disse...

Bangkok? Só se gosta de ladrões,putas e lixo. Mas pronto, gostos não se discutem. Singapura é uma cidade a que não estamos habituados porque estamos mal habituados. Só isso.

contraditório disse...

Meu caro,
existem milhentas de cidades como Singapura, no sentido em que eu acho que você quer dizer.
Vá a qualquer cidade na Australia, Nova Zelândia ou no Japão, que encontrará tudo em materia de aprumo que vê em Singapura.
A diferença e que nestes sitios tudo acontece de uma forma natural, faz parte da cultura e da educação das pessoas.
Em Singapura é tudo muito artificial, tudo muito feito á custa de leis draconianas e da filosofia governamental.
A unica coisa que dá graça a Singapura é o facto de estar nos trópicos.
Tire-lhe isso e estará num sítio tão excitante como o Lichtenstein ou a Finlândia.

Quanto ás suas criticas em relação a Bangkok, elas tem a sua razão de ser.
Mas garanto-lhe que Bangkok não tem tantos ladrões como Lisboa, tem tantas putas como Xangai e se calhar proporcionalmente tem menos lixo que actualmente Macau.

É daquelas cidades que nunca dá tédio, barata, óptimas compras, boa comida, boa vida nocturna, boas massagens... a acima de tudo habitada por uma gente porreiríssima.
O que é que você quer mais?

Leocardo disse...

Caro contraditório, concordo em alguns aspectos que refere em relação a Singapura, mas não se pode esperar que uma cidade que existe há menos de 200 anos, só é independente há 50 e só muito recentemente implementou essas tais leis draconianas tenha a mesma "naturalidade" das outras que aí referiu.

Já agora deixe-me partilhar consigo uma opinião que tenho em relação aos tailandeses e, por exemplo, aos seus vizinhos malaios. Na Malásia se você deixa uma gorjeta num bar ou restaurante, vão atrás de si a avisá-lo que se "esqueceu" daquele dinheiro. Na Tailândia vão atrás de si a dizer que não chega.

Se você acha os tailandeses gente "porreríssima", deve ter uma razão de ser. Mas para mim e outros milhares de turistas que já não têm pachorra para os aturar mais à sua pedinchice, a música é outra. Cumprimentos.

contraditório disse...

Pedinchice?

Não tenho essa experiência dos tailandeses. Essa do " não chega" nunca me aconteceu.
Não os acho assim tão pedinchas.

Mas pronto, cada qual tem a sua experiência e opinião.

E as leias draconianas vêm desde o tempo da independência e hoje são menos restritivas.
Eles até vão ter casinos.

Cumprimentos, e já agora seja bem aparecido, caro Leocardo.
Espero que tenha gozado bem as suas férias.

Leocardo disse...

Claro que gozei bem, em Singapura e na Malásia ;)

Anónimo disse...

O anónimo das 7.3 deve pensar que o pais dele é um paraiso. Um triste
e o Leocardo deve ter tido uma má experiência na Tailândia, aquilo que ele conta é dificil de acreditar, nas filipinas é bem pior inclusive até roubam turistas, mas aceite um conselho se acha que a Tailândia é mau não volte lá que não faz falta nenhuma e não fale em milhares de turistas sem pachora para os aturar,não invente

Leocardo disse...

Ao último anónimo: Quem mais não sabe...

Anónimo disse...

Ao ultimo anónimo. Concordo com o Leocardo. Nao tenho pachorra para os tailandeses que tratam-nos como sacos de dinheiro e acham que um bife só quere putas. Eu nao sou desses.

Cumprimentos