quinta-feira, 19 de maio de 2011

José Manuel Coelho arruina debate



Fiquei acordado depois da final da Liga Europa e assisti ao debate organizado pela RTP entre os sete candidatos dos partidos sem assento parlamentar às eleições legislativas do próximo dia 5 de Junho. Primeiro gostava de dizer que todos estes cromos deviam ter um lugar na AR. Bastava tirar dois deputados do PSD e do PS e mais um do CDS/PP, BE e CDU que estejam lá a mais, e enfiávamos lá o Garcia Pereira e companhia. Afinal são cento e tal mil alminhas que de quatro em quatro anos votam nestes partidos, e a democracia só tinha a ganhar em ficar mais representada no Parlamento. E tenho a certeza que nos iamos rir imenso.

O debate de uma hora e meia foi moderado pela jornalista Sandra Sousa, e foi aborrecido apenas durante os primeiros cinco minutos, enquanto falava Paulo Estêvão, presidente do Partido Popular Monárquico (PPM). Depois foi a vez de José Manuel Coelho estragar a noite a toda a gente. O presidente do novel Partido Trabalhista Português (PTP) e antigo candidato à Presidência da República (onde conseguiu 50 mil votos) apresentou-se com uma vassoura rudimentar feita com uma palhinha azul (!?) como crachá (para "dar uma vassurada neste tode", como o próprio diz), insultou a RTP e a Alta Autoridade para a Comunicação Social e exibiu um cartaz rústico onde se liam inanidades.

Sandra Sousa mandou-o sentar, pedido que Coelho ignorou, e o candidato do PTP continuou a festa intrometendo-se no tempo de antena dos restantes candidatos, o que causou a irritação do meu colega da blogosfera Pedro Quartin Graça, do Movimento Partido da Terra (MPT), e de Garcia Pereira, do PCTP/MRPP, que estavam sentados à esquerda de coelho. Garcia Pereira ameaçou mesmo sair da sala caso José Manuel Coelho não se sentasse e calasse. (Curiosamente Garcia Pereira e José Manuel Coelho já tinham invadido as instalações da RTP a 6 de Maio como forma de protesto pelo reduzido tempo de antena a que os partidos mais pequenos são vetados, situação que levou à intervenção das autoridades policiais). A situação ficou fora de controlo, e Sandra Sousa foi obrigada a fazer um intervalo de dez minutos - transmitir em directo o que se passou nesse intervalo seria um grande momento de televisão.

Os candidatos voltaram mais calmos e José Manuel Coelho prometeu portar-se bem, o que não viria a acontecer. O último a falar foi o outro coelho desta cartola tão interessante: José Pinto Coelho, cabeça de lista do Partido Nacional Renovador (PNR), conotado com a extrema-direita. Após a intervenção deste Coelho nacionalista, defendendo que Portugal devia sair da União Europeia e do Euro, o coelho madeirense resolveu insultá-lo, o que levou o primeiro a devolver-lhe o insulto, chamando-lhe de "palhaço".

Um dos momentos mais altos do debate passou-se exactamente com o cabeça de lista do PNR, que foi criticado por Rui Marques (Movimento Esperança Portugal) e por Paulo Borges (Partido pelos Animais e Natureza) devido à sua agenda anti-imigração. José Pinto Coelho reagiu mais ou menos bem, abanando apenas a cabeça em sinal de discordância. Confesso que por instantes pensei que JPC ia perder a cabeça e começar a agredir alguém fisica ou verbalmente, mas este nacionalista que tem assim um ar de cantor lírico com olhar esgazeado é um indivíduo aparentemente pacífico.

Nenhum dos candidatos tem soluções plausíveis para resolver a crise que afecta os portugueses. Garcia Pereira sugere que não se pague a dívida, três partidos preocupam-se mais com os animais e as plantas, outro tem uma agenda anti-imigração, outro é monárquico e finalmente outro tem José Manuel Coelho, que não sabe bem o que quer. Desconheço quem vai apoiar o PTP (mais gente louca?), mas os indecisos ficaram sem a mínima ideia do que defendem os "trabalhistas", uma vez que o seu presidente insiste em tocar um disco riscado sobre "os valores de Abril" e falar num sotaque madeirense que teve muito mais piada nas presidenciais.

8 comentários:

Anónimo disse...

Chamam a isto politicos, cambada de atrasados mentais

Classes disse...

Desculpe mas embora tenha visto o debate não posso concordar com a parte final. Leia o programa do MEP em www.mep.pt e informe-se, propostas para resolver já em curto espaço de tempo? Desculpe mas ninguém tem, no entanto o caminho e direcções apontadas pelo são coerentes e plausíveis, portanto receio que a sua afirmação seja baseada no senso comum ou juízo de valor reflectidos na sua opinião.
Fica portanto o meu parecer, um bem haja e bom resto de semana e trabalho.

Anónimo disse...

Foi uma seca de debate,não houve porrada como noutros países mais civilizados e avançados

Anónimo disse...

Leocardo, bela posta. Se me permite um pequeno reparo apenas que tendo participado o Garcia Pereira faltou aqui a expressão "conotado com a extrema-esquerda". A menos que a esquerda nunca seja de extrema e tudo lhes seja permitido dado o romantismo da esquerda e de todos os seus actos. Sejam eles violações (DSK), atentados à bomba (FP-25, Brigadas Vermelhas), assaltos a bancos (FP-25, Isabel do Carmo, etc). Nesse caso deixe estar.

Anónimo disse...

Bairro do Oriente um Blog á altura da maioria dos participantes do debate.

Anónimo disse...

Entre estes e os que lá estão... estes sempre tinham mais piada!

Leocardo disse...

"á altura"

LOL

Anónimo disse...

parabens ao senhor JOSE PINTO COELHO do PNR por mostrar que esta do lado dos portugueses e contra a globalizaçao que todos os outros partidos nos querem impingir ! ja decidi , voto pnr !