quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

"Minchi" à moda macaense


Para duas pessoas

Ingredientes: 500 gramas de carne picada (2/3 carne de vaca, 1/3 carne de porco), uma cebola média, 2 ou 3 cebolinhos, duas batatas grandes, dois ovos, sal e pimenta q.b. Uma colher de sobremesa de Chu Yau.

Preparação: Temperar a carne com o sal e pimenta. Cortar as batatas em cubos e fritar em muito óleo. Deixar escorrer num prato. Picar as cebolas e os cebolinhos. Fritar a cebola (em pouco óleo) até aloirar e juntar os cebolinhos. Depois juntar a carne até ficar com uma cor acastanhada. Juntar uma colher de sobremesa de Chu Yau e misturar até a carne adquirir uma cor escura. Colocar a carne num prato e juntar as batatas em cima. Estrelar dois ovos na mesma frigideira. Servir com arroz.

O Chu Yau (literalmente, "óleo de pérola"), é um tipo de sutate pouco conhecido na cozinha chinesa e completamente desconhecido na cozinha ocidental. Serve para dar uma cor escura e um sabor ligeiramente adocicado ao minchi e é também conhecido na cozinha macaense por Tit Yau. Pode ser encontrado na loja de especiarias chinesas "Pat Chun", algures entre o Mercado de S. Domingos e as tendinhas do Largo do Senado. Um frasco pequeno custa 7.50 patacas.

Bom apetite!

Publicado em Leocardo em 19/1/2007

2 comentários:

Vitório Rosário Cardoso disse...

Caro Leocardo,

Isto agora para o Inverno, um "Tacho" é que vinha mesmo a calhar.

Saudações,

Vitório Rosário Cardoso disse...

Caro Leocardo,

Das nossas longas discussões sobre a identidade macaense (portuguesa de Macau) eis Miguel de Senna Fernandes à Lusa:

“O que nos une é o chão comum, são as memórias em comum e é impossível ser-se macaense sem se ser, no mínimo, saudosista”, considerou, para reafirmar que o que está em causa na alma macaense é a “memória e as recordações do passado”, embora, actualmente, com as novas gerações que já nasceram fora de Macau, essa saudade já seja “pela referência à saudade manifestada pelos pais”.

Ora Passado de 450 anos = Macau PORTUGUÊS!!!

E ainda há quem tenha dúvidas?

O MSF foi muito politicamente correcto para não ferir susceptibilidades, mesmo assim teve de explicar subtilmente o que realmente é a matriz do Macaense, como quem diz, separar as águas e tirar dúvidas.

Saudações,