domingo, 16 de dezembro de 2007

Deu uma festa...ninguém apareceu


Lee Kin Yun e a sua Associação do Activismo para a Democracia organizaram hoje (mais) uma manifestação contra o código da estrada e contra a corrupção. Cerca de cem manifestantes apareceram, e apenas cerca de 20 motociclos. Lee Kin Yun acusa a polícia de não ter deixado a população juntar-se ao protesto, mas a verdade é que provavelmente haviam mais polícias e jornalistas do que manifestantes. A festa acabou mais cedo por "falta de participantes". Veja tudo aqui.

4 comentários:

armando disse...

Ainda bem que assim acabou. Chega de casos de policia e tiros para o ar.

Um Abraço do Armando

Vitório Rosário Cardoso disse...

Na Sic Notícias, via internet poderão hoje assistir (à hora do telejornal em Lx) a reportagem "Macau o novo casino do mundo". Uma vergonha!

Ouvidor Arriaga disse...

Caro Vitorio

Foi uma reportagem equilibrada sobre aquilo que Macau é hoje.
Não há vergonha nenhuma em mostrar a verdade quando ela é assumida por todos os intervenientes.
Se calhar o Vitório gostava mais da Macau dos juncos e dos cules.
Esse tempo já lá vai, assim como os ratos na rua e o lixo espalhado por todo o lado.
Hoje, Macau é uma cidade cosmopolita, ponte entre o Ocidente e o Oriente (diferente e entre Portugal e a China) onde gentes de todas as nacionalidades, credos e etnias convivem em busca de um futuro melhor.
No fundo, não é isto que interessa?

Anónimo disse...

caro vitorio

O que é macau hoje além dos casinos? O patrimonio da unesco? Muito bonito, mas os turistas não vao a macau para ver a fachada das Ruinas, ou a Ccasa do Mandarim... Macau nisso peca! Nao conserva aquilo que tem. Está tudo direccionado para os casinos!! Lamentavelmente. E sao os casinos que actualmente ajudam a "vender" Macau em qualquer posto turistico.. As ruinas de Sao Paulo sao só uma fachada.. Lamentavelmente (repito)!