sábado, 19 de março de 2016

Provedor do leitor


No artigo 'Pera lá qu'Ele já t'atende, uma leitora deixou o seguinte comentário:


Como se pode depreender pelos "cortes", ocultei o nome da leitora - é uma senhora, portanto, e devidamente identificada, mas pouco importa quem é, e pronto, valendo o que vale, aqui fica para todos. Aquele e-mail que recebi, e se não estou redondamente enganado pelo pouco que fui saber desse assunto, não era dirigido a mim, especialmente. Estes tipo de correio electrónico (e eu próprio devo receber pelo menos um por dia) é gerado por um programa de computador e distribuído aleatoriamente por endereços de e-mail em todo o mundo. Como pode ver, o discurso daquela carta não é personalizado, pode ser dirigido tanto a um homem ou a uma mulher de qualquer idade. Curioso que tenha feito queixa às autoridades, pois normalmente quem faz isso são as pessoas que já caíram no truque, e pode crer que a polícia não tem mãos a medir com a quantidade de gente crédula  que pensa que o dinheiro cai do céu aos trambolhões. Pode saber mais sobre este esquema nesta página, e obrigado pela sua participação.

Por falar em e-mails, recebi este da leitora Sandra Loureiro:


Em primeiro lugar obrigado à Sandra, mesmo que tudo leve a crer que tenha vindo parar ao blogue por engano - engano ou não, o que interessa é que veio cá parar. Em primeiro lugar permita-me responder à sua pergunta: não sei. A razão porque a Sandra pergunta tem a ver com a publicação do poema A Água a 3 de Novembro de 2012, e que leva já mais de 11 mil (!) visualizações. O poema não é da minha autoria, não tenho nenhum espólio do poeta, esse ou outro qualquer, e tenho a certeza que podem encontrar esse e muitos outros do elmano sadino aí pela net, e não exclusivamente no Bairro do Oriente. Obrigado na mesma pela visita, e lamento não poder ajudar.

Da leitora (?) Rafaella Pereira, recebi ainda outro e-mail:


Bom, este fica um bocado mais difícil de explicar, sinceramente, pois nada do que está ali me diz o que quer que seja, e a ser "engano", fica por esclarecer como o meu endereço de e-mail entra nesta equação. Se por acaso alguém anda por aí a distribui-lo dizendo que eu sou algum agente de "strippers", ou que pretendo recrutar algumas, bem, o que dizer?  Podia ser pior para mim, vendo bem as coisas, mas quem vai ficar desiludido são as meninas. Olhe desculpe lá, Rafaella, e boa sorte aí na sua carreira.

Finalmente no artigo A extrema-direita é para retardados mentais (II) recebi o seguinte comentário:


Oh oh oh, se eu tivesse uma nota de cem lecas por cada vez que li esta retórica da treta. Oh oh oh. Mas aqui o interessante não é "o quê", que nem tem nada de original, mas "quem". Este João José Horta Nobre, nome tão autêntico como Arlequim Quasimodo Tiradentes Rodolfo Valentino Darth Vader Sid Vicious, tem comentado de quando em vez neste blogue, e em outros "da vizinhança", relevando logo aí uma espécie de esquizofrenia. Diz-se "mestre em História Contemporânea pela Universidade de Coimbra", mas o facto de isto ser mentira nem sequer é o mais curioso. Andei a "espreitar" este cavalheiro, que para todos os efeitos é um anónimo, e prometo trazer muito em breve o "relatório". Oh oh oh...


4 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Acho que dá um estudo de doutorado uma análise dos comentários que recebemos nos blogs!

Muito boa sua ideia!

Abraços do Pedra

www.pedradosertao.blogspot.com.br

João José Horta Nobre disse...

Diz-se "mestre em História Contemporânea pela Universidade de Coimbra", mas o facto de isto ser mentira nem sequer é o mais curioso.»

Aqui tens a minha tese de Mestrado defendida perante um júri:

https://drive.google.com/file/d/0B36ZSj_O0FdYQWFuTC1tSmVyM2M/edit

João José Horta Nobre disse...

E já agora volto a repetrir: se queres refugiados, leva-os para a TUA casa e sustenta-os com o TEU dinheiro.

P.S. - Já estou habituado aos ataques da esquerda e restante canalha. Fica descansado que não é um palhaço internacionalista como tu que me vai demover ou sequer intimidar.

Bye, bye

João José Horta Nobre disse...

Já agora quer também agradecer-te pela publicidade que me estás a dar. Interdependent de falarem bem ou mal de mim, o que me interessa é que falem de mim, pois assim o meu blog terá mais visitas e cada vez mais divulgação.

Obrigado Leocardo,
Abraço