terça-feira, 30 de junho de 2009

A gripe e o estigma


Já foram confirmados 26 casos da gripe suína, ou gripe A, causada pelo vírus H1N1 no território. Hoje foram detectados mais seis casos, todos num infantário da Rua do Campo. Com este número de casos, Macau entreou definitivamente no mapa da pandemia. Ao contrário da epidemia da SRAS, à qual Macau passou incólume, a gripe veio para ficar. Com esta tendência de aumento de novos casos, podemos esperar centenas de casos, infelizmente. O que mais me preocupa com toda esta situação é o estigma que ainda existe à volta desta gripe. A memória da SRAS ainda está bem presente, e no início o cenário era aterrador, e há quem tenha feito comparações descabidas com a gripe espanhola de 1918, que se estima ter dizimado 5% da população do planeta.

É normal que se façam estas comparações e se pense no pior cenário quando ainda se conhece pouco de uma doença, ou quando ainda não existe uma forma de prevenção 100% eficaz. Em primeiro lugar, isto é apenas uma gripe. Sim, é verdade que já matou 311 pessoas em 13 países, mas a esmagadora maioria dos mais de 70 mil infectados já está de volta aos seus afazeres normais, como se nada fosse. Além disso, a maioria das mortes estão ligadas à conjugação de uma série de factores, que não fazem desta gripe mais letal do que a comum gripe sazonal. Aqui os números falam por si. Não é a peste negra, não é uma maldição e não deixa mazelas que se carreguem para o resto da vida. Não quero dizer com isto que se deva deixar de combater a pandemia ou simplesmente encolher os ombros e pensar "se acontecer, aconteceu". Todo o cuidado é pouco, mas isto não nos impede de viver uma vida normal.

Todos os dias vejo e ouço casos de pessoas que entram em pânico se apanham uma simples constipação (muito comum com este regime de chuva + ar-condicionado), de pessoas que não consultam o médico a não ser que a situação seja insuportável (febres altas e sintomas evidentes), e de pessoas que se afastam de alguém simplesmente porque espirra. Um simples espirro basta para que se apontem dedos acusatórios e bitaites do tipo "porque é que não usas a máscara?". Eu próprio espirro várias vezes por dia (quem conta?) e no estou nem estive doente. A única coisa boa que saíu de todo este alarme foi a frequência cada vez maior com que se faz agora a limpeza em edifícios públicos e residenciais. Pelo menos os fabricantes de produtos de limpeza e de máscaras ganham com tudo isto.

Outra parvoíce que ouvi nos últimos dias foi que "é preciso ter cuidado com os filipinos", visto que foi neste grupo étnico que se verificaram os primeiros casos, ou em pessoas que regressaram das Filipinas. Mas surpresa das surpresas, nas Filipinas foram registados menos casos que na China, Japão, Tailândia ou Austrália, sto falando apenas da região Ásia-Pacífico. Ninguém está completamente imune à gripe, e o vírus não escolhe raça, cor ou nacionalidade. É preciso estarmos todos unidos para combater esta pandemia, e para evitar que as consequências sejam desastrosas a todos os níveis. Precisamos de estar mais atentos às crianças e aos velhos, cujo sistema imunitário é susceptível de sofrer mais com a gripe - qualquer gripe. E toca a mudar esses hábitos de higiene, se for esse o caso.

Olho gordo em Hong Kong


Pequim vai observar atentamente a marcha anti-governo e pró-democracia marcada amanhã para Hong Kong, no aniversário da transferência de soberania da ex-colónia britânica. São esperados perto de 100 mil manifestantes, naquela que será a maior manifestação desde 1997. A crise económica e a falta de resposta do governo da RAEHK parecem ser a causa da insatisfação. A organização alega que Pequim os tem contactado para saber mais detalhes, e estão preocupados que uma grande multido embaraçe Donald Tsang e a própria China, em ano de aniversários sensíveis. Este ano marca o 20º aniversário do massacre de Tiananmen, o 60º aniversário da fundação da RPC, e o 10º aniversário do handover de Macau. Um dos sectores mais descontentes é o dos funcionários públicos, que aceitaram um corte de 5,8% nos salários para fazer face à crise. Tsang irritou alguns residentes de Hong Kong quando afirmou no último dia 4 de Junho que a população "está preparada" para esquecer o que aconteceu em Tiananmen naquela fatídico dia, 20 anos antes, e concentrar-se antes no galopante crescimento económico da China. Alberto Ho, do Partido Democrático, diz que foi abordado por um intermediário próximo do Governo Central, depois de ter dito que 100 mil pessoas se vão manifestar amanhã. Segundo Ho, os líderes chineses "têm medo de perder face se muitas pessoas aderirem". Ho baseia os números da participação em inquéritos. Em 2003 e 2004, um total de 500 mil pessoas manifestaram-se contra o Governo do antecessor de Tsang, Tung Chee Hwa. Tsang vai participar em eventos organizados por grupos pró-China, que juntarão também dezenas de milhar de pessoas.

O lado negro da crise


A polícia espanhola deteve um homem suspeito de ter mandado matar o seu patrão para não perder o emprego, noticiou o El País. O homem, chefe do departamento de audio-visuais do Centro Internacional de Convenções em Barcelona, contratou seis assassinos colombianos para matar o seu chefe, que preparava uma restruturação na empresa. Com medo de perder o emprego, o homem contactou a sua irmã, que lhe indicou os colombianos. O crime foi executado a 9 de Fevereiro. A irmã e os seis assassinos foram também detidos. Este é mais um caso de espanhóis que tomam medidas desesperadas para não perder o emprego, a casa ou o negócio, a meio de uma recessão qu já deixou 4 milhões de desempregados. Noutros casos um espanhol endividado raptou o gerente do banco a que devia dinheiro, e o proprietário de uma empresa de contrução ameaçou imolar-se pelo fogo caso as suas dívidas não fossem perdoadas. É o lado mais negro da crise.

Fome de passaporte


Um adolescente americano que ia de visita de estudo ao Perú ficou em terra porque a sua cadela comeu-lhe o passaporte. Jon Meier, 17 anos, ia em excursão com a sua turma de castelhano, mas no dia anterior à viagem a sua golden retriever de um ano, Sunshine (?) mastigou-lhe o passaporte. As autoridades do aeroporto de Chicago deixaram passar, mas na segunda escala em Miami os oficiais consideraram o passaporte inválido, uma vez que alguns dos números não se podiam ler. Meier não culpa ninguém, nem a cadela. "Amo-a muito", disse o jovem.

Alemanha vence Euro sub-21


A Alemanha goleou a Inglaterra por quatro golos sem resposta, e conquistou o Europeu de sub-21 em futebol. Os jovens alemães venciam ao intervalo com um golo de Gonzalo Castro, um alemão de ascendência espanhola. Na segunda parte os teutónicos foram demolidores, com Mesut Özil a apontar o segundo golo, e o avançado do Duisburgo Sandro Wagner a bisar e a fechar as contas. Os ingleses eram aplamente favoritos, e contavam com nomes como Theo Walcott, do Arsenal, Gabriel Agbonlahor e James Milner. Os alemães conquistaram o europeu de sub-21 pela primeira vez.

Fim do mês


É fim do mês! Já recebeu o seu cheque das 6 mil patacas pelo correio?

segunda-feira, 29 de junho de 2009

De volta à escola


Ouvi com alguma atenção a entrevista da Rádio Macau com Carlos Simões, notário-privado e presidente da Associação de Pais da Escola Portuguesa. Em cima da mesa estiveram temas variados sobre aquela instituição de ensino, que ao fim de mais de dez anos de funcionamento continua a ser ensombrada por alguma indefinição quanto ao seu futuro. Os três temas fortes continuam a ser os mesmos: a hipotética internacionalização da escola como forma de garantir a sua continuidade a longo prazo, o papel da Fundação Oriente, e a própria localização da escola.

Em relação ao primeiro tema, sou contra a internacionalização da escola. Podem chamar-me demagogo ou sonhador, mas nem a matriz de ensino se dá a tal aventura, nem é esse o seu propósito. A razão de existir da EPM passa por um princípio muito simples: a continuidade do ensino em português no território, como sempre exisitiu durante o tempo da administração portuguesa. Nesse tempo chegaram a existir várias instituições de ensino em Macau, sendo as principais a Escola Comercial (onde funciona actualmente a EPM), o Liceu Infante D. Henrique e o Colégio D. Bosco. Se passadas duas ou três décadas não existe interesse por parte dos pais (sim, são esses que decidem) então alguém esqueceu-se de fazer o trabalho de casa.

O que tenho sentido nos últimos dez anos é um cada vez maior desencanto por parte de quem a EPM nasceu para servir: a comunidade macaense. Existe apenas uma percentagem ínfima de macaenses que inscreve os filhos na EPM, no ensino em português. Chego a pensar mesmo que os poucos que ainda optam por ter os seus filhos a estudar em português fazem-no por "tradição", ou por alguma desconfiança quanto ao futuro da RAEM, ou por qualquer ligação sentimental ao longínquo Portugal. Os outros, mais pragmáticos, optam pelo ensino em chinês, de modo a que os jovens sejam mais facilmente integráveis no mercado de trabalho no futuro. Outros pais portugueses optam pelas tais escolas internacionais, mais caras, e que segundo eles oferecem uma melhor qualidade de ensino. Eu tenho os filhos na EPM simplesmente porque é a única opção. Se a ideia é uma escola internacional, isso devia ter sido pensado há anos, e não de um dia para o outro quando se verifica que a escola afinal tem metade dos alunos que tinha quando começou, e levam-se as mãos à cabeça à procura de uma solução fácil e rápida. Uma escola internacional não se faz assim do dia para à noite.

A questão da Fundação Oriente continua a ser a pedra no sapato da EPM. Carlos Simões diz e bem que a FO tem apenas servido de travão a mudanças que se querem operar na escola. O ideal seria sem dúvida a saída da FO da EPM e uma aproximação maior ao Governo da RAEM, que quer se queira, quer não, nunca tem faltado com o mínimo essencial a uma escola que no fim de contas também está integrada neste território que é agora chinês. Fica mais fácil andar de braço estendido a quem está aqui perto, do que a quem está a milhares de quilómetros de distância. Mesmo assim, e apesar dos "azeites", tenho a certeza que se o sr. Carlos Monjardino aparecesse um dia destes em Macau e visitasse a EPM, estendiam-lhe a passadeira vermelha, na ilusão de que dali ainda pode vir qualquer coisinha. Desculpem lá se isto parece má-língua, mas até sou capaz de apostar que assim seria.

Finalmente quanto à localização da escola. Pode-se dizer que neste caso a crise económica mundial veio mesmo a calhar. Satanley Ho abriu o casino há dois anos, mas ainda não abreiu o hotel. A crise travou a veia expansionista do Grand Lisboa e penso que se não fosse ela a EPM provavelmente já não estava no mesmo lugar. O assunto ficou meio esquecido desde a crise do Verão de 2007 que obrigou a uma reunião de emergência nas instalações da escola. O que continua por explicar é o papel da Associação Promotora da Instrução dos Macaenses (APIM), a quem o terreno da escola foi concedido de forma gratuita e vitalícia, sendo que esta última palavra significa que a EPM pode ali funcionar para sempre, independentemente do que acontece nas suas imediações, ou de quem quer a escola dali para fora. Talvez fosse interessante se essa pergunta tivesse sido colocada ao presidente da APIM na entrevista hoje publicada no JTM.

Alcool e homicídio


Um australiano de 22 anos completamente embriagado causou o pânico e a confusão ontem em Hong Kong. Kelsey Michael Mudd, estudante numa universidade norte-americana que estava de visita a Hong Kong apanhou um táxi e sentou-se ao lado do condutor, Wong Chi Ming, de 58 anos. Testemunhas dizem que houve luta entre passageiro e condutor, o que levou ao choque do táxi e à morte de Wong. Chegadas as autoridades, Mudd tentou fugir com o táxi, mas colidiu com outro táxi 50 metros à frente, ferindo o condutor. Apresentado ao tribunal esta manhã Mudd foi acusado de homicídio.

Século e meio para Madoff


Bernard Madoff, que protagnizou uma mega-fraude de milhares de milhões de dólares, foi condenado a um máximo 150 anos de prisão. Madoff, 71 anos, era gerente do Nasdaq, e geria um esquema de pirâmide que foi desmantelado no final do ano passado. A defesa queria 12 anos para Madoff, a acusação queria a pena máxima, alegando que a fraude funcionou durante mais de duas décadas. O juíz Dennis Chin leu a sentença, realçando que a confiança depositada em Madoff foi "massiva", e a fraude foi "escandalosa". O Governo Federal propôs uma pena mínima de 50 anos. Seja como for, parece que antigo magnata da banca encontrou a sua última morada.

Adios, el presidente


Chávez e os seus amigos déspotas da América Latina têm razões para ficar preocupados. Oo hondurenhos não caíram no conto do presidente eterno inventado por Chávez e imitado pelo presidente da Bolívia e tentado por Zelaya, o ainda presidente das Honduras. É verdade que este golpe de estado faz em tudo lembrar os golpes dos anos 80, com CIA e comunistas sovietes à mistura. É também verdade que Zelaya foi eleito democraticamente, e que os militares que o prenderam silenciaram a televisão, cortaram a electricidade e os transportes em Tegucigalpa, a capital, mas a verdadeira razão de todo este tumulto é a ambição pouco democrática de Zelaya. O presidente queria referendar a sua continuidade na presidência daquele país da América Central, depois de ter sido eleito em 2006 e promovido tímidas reformas sociais-democratas (aumentou o salário mínimo, e pouco mais) num país pequeno, pobre, corroído pela corrupção e pelos gangues de rua, que são cada vez mais. Ao optar pela "alternativa bolivariana" proposta por Chávez e seguida por Morales, Zelaya quis alterar a constituição, o tribunal mandou-a à fava e Zelaya demitiu o Chefe das Forças Armadas porque "não o quis ajudar". Zelaya chegou ao ponto de juntar um grupo de apoiantes e ir pedir satisfações "à tropa". O golpe de estado foi condenado pelos Estados Unidos e pela União Europeia, bem como pelo próprio Chávez (claro). Obama diz que os militares hondurenhos "devem respeitar as regras da democracia". Mas isto do respeito pela democracia deve partir das duas partes. Zelaya deve ser restituído no cargo presidencial, e depois das eleições em Novembro tirar o cuzinho da cadeira. "Mánada".

Inter regressa à liderança


O Inter de Porto Alegre recuperou a liderança da Serie A do Brasileirão ao golear o Coritiba em casa por 3-0. O avançado Leon esteve em grande destaque, ao apontar um hat-trick pela equipa gaúcha. Isto porque o líder invicto, o Atl. Mineiro, caíu no Barueri de S. Paulo perante o Grêmio, a equipa sensação da prova, por 2-4. O Vitória da Bahia segurou o terceiro lugar, ao golear em casa o Santo André por quatro bolas a uma. A maior surpresa - ou talvez não - aconteceu no Rio de Janeiro, onde o Botafogo foi goleado em casa pelo Goias, por 1-4. Os botafoguenses estão em crise, e ocupam o último lugar do campeonato de vinte equipas, com apenas seis pontos. No muito aguardado derby carioca, o Fla-Flu, econteceu um empate a zero - o único da ronda. O resultado deixa as duas equipas no meio da tabela. Outro derby, outro empate, com os paulistas do Palmeiras e do Santos a dividirem os pontos e os golos: um para cada lado. Quem deu um pontapé na crise foi o S. Paulo, que recebeu e venceu o Naútico por 2-0, com golos de Jean e Andrade. A "zebra" aconteceu no Paraná, onde o Atl. Paraneanse, último classificado, venceu o Corinthians de Ronaldo por 1-0. Nos restantes encontros vantagem para as equipas da casa. O Cruzeiro venceu o Avaí por uma bola a zero, e o Sport bateu o Grêmio de Porto Alegre por três bolas a uma. Depois da oitava jornada, Atl. Mineiro e Inter lideram com 17 pontos, seguidos do Vitória com 16, Grêmio Barueri e Palmeiras com 13, Corinthians, Flamengo e Goias com 11.

Brasil vence Taça das Confederações


O Brasil venceu ontem a Taça das Confederações ao bater na final os Estados Unidos por três bolas a duas. Os brasileiros passaram por um grande susto, quando os norte-americanos chegaram ao intervalo em vatagem por 2-0, com golos de Dempsey e Donovan. Só que na segunda parte a canarinha puxou dos galões, Luiz Fabiano bisou e empatou o jogo, e Lúcio deu o golpe final nos norte-americanos, que foram a grande sensação do torneio. No jogo para o terceiro lugar, a Espanha venceu a África do Sul por 3-2, com um golo de Xabi Alonso no prolongamento, depois de um empate a duas bolas no tempo regulamentar.

domingo, 28 de junho de 2009

Com que então, o Verão


Esteve um tempo lindo, este fim-de-semana. Esteve também assim no último fim-de-semana, e prevejo que esteja assim no próximo. Já aqui deixei claro que em Macau prefiro o aconchegante e previsível frio do Inverno a este Verão horroroso, o que mereceu algumas críticas dos meus queridos leitores. No entanto volto a reiterar a minha preferência. Pelo menos no Inverno está frio num dia, frio no próximo e mais frio no dia seguinte. Sabemos bem com o que podemos contar.

É certo que nestes dois últimos fins-de-semana o tempo foi influenciado pela passagem de tempestades tropicais. Bela desculpa. E nos outros dias em que a manhã começa azul e solarenta, e passado uma hora cai inexplicavelmente uma carga de água? Cargas de água essas que apanham desprevenidos qualquer um. Não me apetece nada andar por aí com guarda-chuva sete dias por semana como aquele frango que tinha medo que o céu lhe caísse em cima da cabeça. Um dia chovia de manhã, levei o guarda-chuva. Ao fim da tarde fazia um calor estrelar ovos nas pedras da calçada, e andava aí eu carregado com o utilitário, perante o olhar simpatético das pessoas que deviam estar a pensar: "olha este maluquinho, com este sol e anda de guarda-chuva".

Este tempo estraga os planos a qualquer um. Não se pode marcar um passeio, um piquenique ou qualquer actividade ao ar livre que pimba!, começa a chover. Que o digam os utentes do arraial de S. João deste ano, que voltas tantas tinham que procurar abrigo das enormes cargas de água que caíam sem pedir licença (mesmo assim o arraial foi animado, porra!). Hoje de tarde deixei o carro na vila da Taipa e apeteceu-me ir a pé até ao Venetian fazer umas compras. Resultado? Uma molha que me valeu uma corrida até casa para mudar de roupa e tomar um duche quente, para evitar uma gripe que nos tempos que correm é muito mais complicada do que possa parecer.

E vai ser assim mais ou menos até Outubro, quando podemos finalmente abrir os braços e receber o tempo ameno que antecede o delicioso frio que chega lá para finais de Novembro. Até lá fico a suspirar, e a amaldiçoar esta chuva intrusa. Isto enquanto não enriqueço ou me aposento, e começo a passar o Inverno aqui e o Verão em Portugal. E como me apetecia um Cornetto, ou um Perna-de-Pau...

Jantar em Mafra


Gostava de tomar a liberdade para publicar na íntegra um texto do meu bom amigo João Severino, a propósito de um almoço organizado pela Fundação Jorge Álvares na Escola Prática de Infantaria, em Mafra, para ex-residentes de Macau. Ao João queria já agora mandar um grande abraço deste lado, e dos que vão ficando, que nunca o esquecem.

A Fundação Jorge Álvares quis comemorar os 10 anos da passagem da administração portuguesa para a chinesa. Para o efeito, reuniu na Escola Prática de Infantaria, em Mafra, mais de mil pessoas que nasceram ou que residiram em Macau. O encontro constituiu um grande e forte abraço entre pessoas oriundas dos mais diversos locais do país que não se viam há muitos anos e, que de certa forma, viveram conjuntamente as alegrias e as agruras que Macau proporcionou.
Militares, advogados, médicos, engenheiros, arquitectos, jornalistas, juizes, escrivãos, enfermeiros, músicos, professores, escritores, desportistas, economistas, editores, pintores e muitos funcionários da administração pública, alguns acompanhados dos filhos, marcaram presença num encontro peculiar e único na história de vida de quantos passaram por Macau.
Diz o povo que águas passadas não movem moinhos e na verdade muitos dos abraços que se viram durante o "encontro de Macau", como a maioria lhe chamou, eram demonstrativos de que as quezílias e incompreensões registadas na vivência macaense tinham sido atiradas para trás das costas. Obviamente com algumas excepções oriundas de mentes mesquinhas e perturbadas pela fortuna angariada...

Não me chamem peneirento, mas vou puxar dos galões simplesmente para dizer que hoje posso concluir que era um homem popular em Macau. Foram centenas de pessoas que me vieram cumprimentar e abraçar. Muitas delas lamentando toda a injustiça de que fui alvo naquele território. A todos envio daqui o meu mais sincero agradecimento.
Pedindo desculpa de muitos nomes que já não recordo é imperioso que registe alguns dos amigos com quem estive: Os meus companheiros do Raid Terrestre Macau-Lisboa Jorge Barra e João Queiroga e suas mulheres, o coronel João Roque e mulher, o major-general Mota e mulher, Mané Salavessa da Costa, António Nobre, Leonel Miranda, João Costa Pinto e mulher, Felício e mulher Guida, Wanda Rosa, Betty, o sempre bem disposto alentejano e sua mulher Felicidade, Augusto Vilela e sua mulher Madalena, Frias e mulher, o professor de ginástica dos meus filhos Cordeiro, Matos Guilherme, Vinhais Guedes, professor Carvalho, Mendes Liz e mulher, Apolinário, Celina Veiga de Oliveira, Fernanda Ilhéu, Jôce, Mário, Clara Gomes, Jorge Humberto e mulher, mulher do José Belo, António Estácio, Cordeiro e mulher (a Helena que trabalhou comigo no semanário Clarim) e muitos, muitos dos presentes a quem peço desculpa de não me recordar do nome e que me dispensaram a maior simpatia.
Os claustros da Escola Prática de Infantaria há muito que não tinham um movimento humano de tão grande dimensão e significado. Bem hajam os organizadores.

Mais sexo por dinheiro


Um número cada vez maior de adolescentes em Hong Kong oferece sexo a troco de dinheiro para comprar roupas de marca, na moda do "compensated dating", em que jovens do sexo feminino aceitam sair com homens em troca de dinheiro. Este é o resultado de uma pesquisa publicada hoje na RAEHK. Um em cada dez jovens acham que muitas repargas em idade escolar estão envolvidas no "compensated dating", enquanto 6,6% dizem conhecer pelo menos uma colega que o faz regularmente. 87% dos 3000 inquiridos dizem que as jovens praticam esta actividade para poder comprar roupas e outros artigos de marca. A polícia prendeu vários homens nos últimos meses por alegdamente trabalharem como proxenetas destas raparigas. Uma jovem de 19 anos foi detida no início do mês depois de fazer sexo oral com um homem num autocarro de dois andares em troca de 200 dólares de Hong Kong "para comprar uma mala Gucci". O vídeo circulou na internet.

Pedrada em Alcochete


Acabou mal o encontro de ontem entre o Sporting e o Benfica a contar para a última jornada do campeonato nacional de juniores. O jogo realizou-se na Academia do Sporting, em Alcochete, e um empate bastava ao Benfica para se sagrar campeão. Decorriam vinte minutos do encontro quando começaram a chegar adeptos do Benfica, que atiraram pedras, ao que responderam imediatamente os adeptos do Sporting (em Alcochete o que não falta são pedras, aparentemente). Os jogadores recolheram aos balneários e o relvado tornou-se num campo de batalha. A polícia precisou de disparar tiros para o ar, e foram feitas detenções. O jogo foi adiado e poderá ser disputado em campo neutro. O Sporting culpa os adeptos benfiquistas, enquanto o Benfica considera que o campo em Alcochete não tinah condições para um jogo desta importância. As imagens foram captadas por um vídeo amador, e são bem tristes por sinal. Talvez não fosse má ideia realizar o jogo na Aldeia dos Macacos, no zoo da capital.

Um cão muito feio


Este é Pabst, um boxer de 4 anos de idade, e vencedor do concurso do cão mais feio do mundo, realizado em Petaluma, em Sonoma-Marin Fair, na Califórnia. Pabst foi salvo de um canil em Citrus Heights por um dono com um gosto muito peculiar. Mas do mal o menos, o primeiro prémio, que venceu com distinção, são 1600 dólares (12800 patacas). Dá para umas latas de Pedigree-Pal.

Grelhados sim, mas atenção


O Verão e o calor são propícios para que se leve o grelhador para a varanda ou para o quintal, e que se atirem para cima da chapa uns hamburguers, cachorros, peixe e vários tipos de carne. Mas será isto saudável? São conhecidas as vantagens dietéticas da carne grelhada em relação à carne frita, nomeadamente no que diz respeito à quantidade de gorduras saturadas. Mas existe uma certa preocupação com as carnes assadas no grelhador ou na brasa, e a relação com certos tipos de cancro, como o da mama ou do colón. Experiências conduzidas com ratinhos em laboratório demonstram que largas quantidades de carne bem grelhada provocaram cancro. Desconhece-se se o efeito em humanos seria o mesmo, e além disso os ratos foram alimentados com carne grelhada até ao ponto de carvão.

Dois tipos de carcinogéneos podem ser encontrados na carne grelhada: amino-heterocíclicos (HCA) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PHA). Os primeiros são encontrados em algumas carnes como porco, vaca ou peixe quando cozinhados a altas temperaturas, como acontece no grelhador. Os segundos são provocados pelo fumo do carvão ou pelas labaredas que aparecem quando a gordura da carne pinga na fonte de calor. Posto isto, deixo algumas sugestões para quando grelhar a sua carne:

- Não prolongue demasiado o tempo de cozinhação da carne, uma vez que quanto mais tempo a carne ficar no grelhador, mais HCAs se formam. Deixe a carne um pouco mal passada (se for bife), ou caso seja porco ou peixe, cozinhe-a durante alguns minutos no micro-ondas antes de a deitar na grelha.

- De modo a evitar que a gordura pingue no carvão, prefira carne magra, ou corte a gordura antes de grelhar. Melhor ainda, opte por um grelhador eléctrico, que não carece de carvão.

- Tempere a carne. Além de dar um melhor sabor, reduz a formação de HCAs. Alguns estudos demonstram que tomilho, rosmaninho, alho e oregãos são os melhores temperos, e os que mais reduzem a quantidade de carcinogéneos.

- Corte as partes da carne que estão queimadas, ou mais escuras. É nessas partes que se concentram a maior parte dos carcinogéneos.

- Acompanhe sempre a carne com bastantes vegetais. Evite acompanhamentos como esparguete, massas ou batatas cozidas e fritas. Deixe 1/4 do prato para a carne, e componha o resto com uma salada.

E sobretudo lembre-se que nada faz mal se não for em demasia. Limite o consumo de carne grelhada a duas ou três vezes por semana. Se estiver em dieta, opte pela carne cozida ou pela caldeirada (e não se esqueça que os vegetais além de serem uma excelente fonte de fibras também enchem a barriga). Lembre-se ainda que não existem provas concretas entre o consume de carne grelhada e o aparecimento de certos tipos de carcinoma. Os cigarros que você ou os seus fumam depois de uma farta refeição de grelhados são muito mais prejudiciais, ou a exposição prolongada ao sol.

O que é feito deles?


A minha geração e a geração anterior à minha estão certamente recordados de uma espécie de "spaghetti western" que fez um enorme sucesso em Portugal. Terence Hill e Bud Spencer eram os reis das matinés de Domingo nos anos 70 e 80, e os filmes, produzidos em Itália apesar de não deixarem muito espaço à crítica cinematográfica, entretiam e divertiam, o que não deixa de ser importante. O filme "Chamavam-me Trinitá" (1970) e o sua sequela "Continuam a chamar-me Trinitá" (1971) marcaram uma época, e são ainda hoje lembrados com um sorriso. Realizados por Enzo Barboni, contavam, além de Terence Hill, com o seu companheiro de sempre, o massivo Bud Spencer. Era o que a malta na minha rua classificava como "um bom filme de porrada".




Terence Hill é o nome artístico de Mario José Girotti, nascido a 29 de Março de 1939 em Veneza. Segundo de três filhos de mãe alemã e de pai italiano, um químico. Na infância viveu na pequena vila Lommatzsch, Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Estreou-se no cinema aos 12 anos, e fez mais de quarenta filmes antes de encarnar a personagem de Trinitá. Estreou-se em Hollywood em 1977 no filme "March or Die", ao lado de Gene Hackman, Catherine Deneuve e Max von Sydow. Foi Lucky Luke no filme de 1990, e na série televisiva que durou até 1992. Voltou a Itália, e foi o personagem principal da série "Don Matteo", de 2000 até 2008.




Bud Spencer nasceu Carlo Pedersoli em Nápoles, a 31 de Outubro de 1929. Conhecido pela sua moldura física (1,94 metros, chegando a pesar 130 quilos), Spencer é o verdadeiro homem dos sete instrumentos. Foi nadador olímpico, e tornou-se o primeiro italiano a nadar 100 metros em menos de um minuto. esteve nos Jogos Olímpicos de Helsínquia, em 1952, chegando às meias-finais nos 100 metros estilos. Além de actor, é músico, compositor, escritor, jurista e desenhador de moda (!). Estreou-se no cinema em 1959 e celebrizou-se ao lado de Terence Hill nos filmes "Trinitá". Fizeram 19 filmes juntos. A solo Spencer conheceu algum sucesso com os filmes "O Xerife e o menino do espaço" e "Banana Joe", que fazem parte do meu imaginário infantil. Em 2005 foi conselheiro político em Lazio pelo partido Forza Italia. Na altura disse "Na minha vida ainda só não fiz três coisas: ser bailarino, jockey e político. Como estou muito velho para as outras duas, escolho a política".

Say, say, say


Gostava muito de deixar aqui um vídeo de Michael Jackson, como espécie de homenagem. Só que a porcaria dos copyrights não deixa que se copie nenhum dos vídeos do rei da pop, por isso tiver que recorrer ao seu amigo Paul McCartney e à sua mulher Linda (também já desaparecida) e postar este "Say, say, say", do álbum "Pipes of Peace". Fica aqui a homenagem. Obrigado, Paul.

sábado, 27 de junho de 2009

Leituras


- No Hoje Macau, Pinto Fernandes fala do civismo e da falta dele, numa cidade que se expande cada vez mais, em Uma cidade cosmopolita.

- Carlos Picassinos fala da lista de matriz portuguesa apresentada na última quarta-feira, e do IPOR, em Uma lufada de ar fresco.

- No JTM, leia na edição de hoje o dossiê especial sobre a morte de Michael Jackson.

- Nuno Lima Bastos prossegue a sua dissertação sobre o General Rocha Vieira, a propósito da visita deste ao território na semana passada, em Antologia da Transparência (II).

- Ainda Nuno Lima Bastos, só que desta vez no Ponto Final, fala também da lista macaense, reitera as já conhecidas críticas, mas congratula-se pelo sangue novo.

- Leia ainda a entrevista de Isabel Castro a Eric Sautede, professor do IIUM, que faz uma análise interessante à política do território, e às listas até agora apresentadas.

- Também no Ponto Final, não deixe de ler sobre artista plástico português com ligações íntimas a Macau, Nuno Barreto, falecido esta semana: O artista que tinha Macau no sangue.

- A edição desta semana d'O Clarim não está disponível online.

Bom fim-de-semana!

A ilha é o futuro


A Comissão Permanente da Assembleia Nacional Popular deu luz verde ao projecto de expansão da Universidade de Macau para a Ilha da Montanha, perto do território. A ideia tinha ganho forma há já algum tempo, e a Universidade pode agora utilizar uma área de um milhão de metros quadrados por um período de 40 anos. A área ficará sob a jurisdição de Macau. Com este alargamento da área e com a criação de novos cursos, espera-se que no futuro menos estudantes que terminem o ensino secundário necessitem de sair de Macau para prosseguir os seus estudos. Veja a reportagem da TDM aqui e aqui.

Taiwan? Não, obrigado


O Chefe do Executivo de Hong Kong Donald Tsang recusou um convite para visitar Taiwan. Tsang seria o primeiro líder da ex-colónia britânica a visitar a ilha nacionalista. O CE da RAEHK foi convidado a visitar Taiwan em Setembro pelo presidente da câmara de Taipé, Hau Long-bin, que se encontra de visita a Hong Kong. Tsang justificou a recusa com a sua "agenda cheia". Contudo Tsang disse que gostaria de visitar a ilha antes do final do seu termo, em 2012, mas não especificou quando. Hau disse aos repórteres que está "desiludido" com a recusa de Tsang, e diz que Hong Kong poderá ter um papel preponderante no estreitamento das relações entre Taiwan e a China. Tsang visitou Taiwan pela última vez há 32 anos, então como turista. A China considera Taiwan uma "província" rebelde da República Popular, e vê no modelo "um país, dois sistemas", utilizado em Hong Kong e Macau, um protótipo para uma futura integração de Taiwan na grande China.

Volta à China


PEQUIM - A internet sem fios vai estar disponível gratuitamente em todos os terminais do aeroporto internacional da capital chinesa a partir de Terça-Feira. O Wi-Fi grátis tem estado disponível à experiência no terminal 3 desde o início da semana passada, e as autoridades vão agora alargá-lo aos outros dois terminais.

MONGÓLIA INTERIOR - As autoridades sanitárias de Hohhot fecharam 110 infantários desde Abril devido a um surto de febre aftosa (doença da boca e dos pés). os infantários estão localizados nos arredores da cidade, e não apresentam as condições sanitárias mínimas para o seu funcionamento. Foram registados 2219 casos de febre aftosa na cidade este ano.

HAINAN - Quatro traficantes foram executados ontem, marcando o Dia Internacional Contra a Droga e o Tráfico. O Tribunal Intermédio de Haikou condenou os quatro homens, que são culpados de traficar 8,7 kg de droga.

JIANGSU - O director de uma Escola Preparatória foi demitido devido a uma fraude que tencionava elevar os resultados médios da escola. Dez professores seleccionaram os melhores 94 alunos para fazer os exames de acesso ao ensino secundário no lugar daqueles que desisitiram, ou têm resultados académicos menos satisfatórios.

XANGAI - Mais de 1,7 milhões de ingressos colectivos para a Expo 2010 foram vendidos desde 27 de Março. Dez por cento dos bilhetes foram vendidos fora da China, e mais de 5000 empresas e instituições fizeram a sua reserva. Os bilhetes individuais vão ser colocados à venda ao público a partir da próxima quarta-feira. A organização espera mais de 70 milhões de visitantes.

YUNNAN - Um homem de Kunming foi detido por 10 dias e multado em 500 yuan por ter publicado no seu blogue falsas informações sobre as notas mínimas de acesso ao ensino superior. O homem publicou os falsos mínimos no último Sábado, e a notícia espalhou-se rapidamente na internet. A polícia deteve-o por "perturbar a ordem pública".

HUBEI - Um hospital de Xiangfan deitou fora seis fetos abortados e dois cadáveres numa obra. Os fetos, os corpos de dois adultos e ainda três membros de outras pessoas foram encontrados na terça-feira por um trabalhador da obra.

O rei e a cebola


Michael Jackson sempre foi um alvo preferencial dos humoristas na América, e não só. Contudo pouco depois de anunciada a morte do cantor, a maioria absteve-se de comentar ou fazer humor com a notícia. Os "monstros" David Letterman, Jimmy Fallon, Jimmy Kimmel ou Jay Leno chegar a abster-se de comentar sequer o desaparecimento prematuro do "rei da pop". Excepções, claro, há sempre. Grande destaque para o website satírico "The Onion", que anunciou num tweet que "Morreu o último pedaço de Michael Jackson". Masi tarde o site humorístico publicava uma pequena notícia com o título "Michael Jackson morre aos 12 anos", uma referência à mentalidade e atitude infantil de Jackson. O The Onion acrescenta que "o cantor pubescente era conhecido pela sua generosidade com outras crianças". Megan Ganz, editor executivo do The Onion, diz que o website recebeu várias mensagens de leitores enfuriados, que alegam que é "demasiado cedo" para fazer piadas sobre a morte de Jackson. Ganz respondeu que "é irónico que as pessoas considerem que 'é cedo' para fazer piadas sobre Jackson, quando andaram a fazer piadas com ele nos últimos 20 anos".

Bom ou mau?


Uma discussão sobre a morte de Michael Jackson causou tumultos num autocarro em Miami. Um passageiro, James Kiernan, de 60 anos, recebeu a notícia da morte do cantor através de uma mensagem no telemóvel, que leu para os restantes passageiros. O motorista opinou então que "Michael Jackson já devia ter sido preso há muito tempo. Kiernan respondeu apenas que "o mundo perdeu um grande talento musical", o que causou a ira de outro passageiro, Henry Wiedman, que foi atrás de Kiernan com uma faca. O motorista chamou então a polícia que deteve o agressor. Wiedman, 54 anos, passou toda a sexta-feira sob custódia policial, e vai ser acusado de tentativa de agressão com arma mortal.

O efeito Groucho Marx


Muita gente deve saber quem é Groucho Marx, um dos irmãos Marx, o grupo cómico que se animou os primeiros tempos da televisão e do cinema sonoro, até durante várias décadas do século XX. Groucho morreu a 19 de Agosto de 1977, com 86 anos. Ninguém soube. Isto porque três dias antes tinha morrido o "rei", o grande Elvis Presley. Farrah Fawcett, a actriz que se celebrizou com "Charlie's Angels" morreu no mesmo dia que o outro rei, Michael Jackson. Fawcett foi um sex-symbol nos anos 70, e esta imagem é até hoje o "pin-up" mais vendido da história, com 12 milhões de cópias imprimidas. Pode-se dizer que Fawcett fez a felicidade de milhares de homens solitários em todo o mundo. A vida de Fawcett depois dos "Angels" foi marcada pela decadência, pelas operações plásticas, e pela falta de propostas de trabalho. A sua última batalha foi contra o cancro, e o último combate foi travado na quinta-feira. Farrah deixou-nos aos 62 anos.

Chávez cada vez pior


Hugo Chávez é um gajo que não consegue ficar calado. Desta vez o presidente venezuelano proferiu afirmações polémicas a respeito da morte do cantor Michael Jackson. Durante um encontro da juventude realizado ontem em Caracas, Chávez criticou publicamente a cobertura que tem sido dada à morte do rei da pop. "A CNN está entretida a noite toda com a morte de Michael Jackson, enquanto nas Honduras as pessoas estão nas ruas, e o presidente enfrenta ameaças de morte", disse Chávez. O ditador disse ainda a respeito de Jackson que "Se ele morreu, paz à sua alma. É um ser humano. Mas toda a noite tem-se falado de quantos discos vendeu, e de quantos prémios ganhou. São os valores perversos do capitalismo". E ele a dar-lhe com o capitalismo. E já que fala de Honduras, convém lembrar que o presidente daquele país da América Central é Manuel Zelaya Rosales, um déspota como Chávez que se quer perpetuar no poder. Apresentou uma proposta para referendar uma proposta à constituição hondurenha para que possa ser reeleito, o tribunal considerou a proposta ilegal, Zelaya não aceitou e demitiu o chefe das Forças Armadas, por não o ajudar com o referendo. Não admira que as pessoas "estejam na rua". E não admira que o camarada venezuelano esteja preocupado.

Saviola no Benfica


O Benfica assinou o avançado argentino Javier Saviola, o maior nome da lista de transferências do mercado português este defeso. Saviola nasceu em Buenos Aires há 27 anos, e começou a jogar no River Plate, onde ainda antes dos 20 anos já tinha marcado 44 golos. Em 1999 foi jogador do ano na Argentina, e campeão mundial de sub-20 em 2001. Muito prometedor, transferiu-se para o Barcelona, onde nunca se impôs, chegando a estar emprestado ao Monaco e ao Sevilha. Mesmo assim fez parte da selecção argentina que em 2004 venceu o ouro olímpico em Atenas. Em 2007 assinou pelo Real Madrid, onde marcou apenas 4 golos em 16 jogos. Foi internacional pela Argentina 44 vezes, marcando 12 golos. Participou no mundial de 2006 na Alemanha.

Whatever Works


Aí está a nova comédia de Woody Allen. O regresso a Nova Iorque e uma aproximação mais filosófica ao humor, depois do sucesso de "Vicky Cristina Barcelona". O filme conta a história de um velho egocêntrico (Larry David), que encontra uma jovem de 21 anos à porta da sua casa (Evan Rachel Wood) e acaba por casar com ela, apesar dos 40 anos de diferença. Porquês? A vida é demasiado curta para se deitar fora. Veja o trailer.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O factor filipino


O estranho incidente (mal-entendido, como foi explicado) com o candidato filipino da lista "Voz Plural, Gentes de Macau", Rodantes di Tuejano não deixa de ser curioso, e ao mesmo tempo sintomático.

Pela primeira vez a comunidade portuguesa e macaense do território se lembra daquela que é actualmente a segunda maior comunidade, depois da chinesa. Hoje há mais de 10 mil filipinos em Macau, mais que o dobro dos que existiam durante a administração portuguesa.

Nesses tempos a comunidade filipina cingia-se às empregadas domésticas, na sua maioria ao serviço dos portugueses. Actualmente continuam as empregadas, mas juntaram-se comerciantes, profissionais liberais e outros que se integraram na vida da nova RAEM, ao serviço de casinos e outros lugares outrora impensáveis.

Quando se pensava que a comunidade se desintegraria com o handover e a saída dos portugueses, ganhou um novo fôlego, ganhou asas e voou. Podemos ver hoje espalhados um pouco pela cidade supermercados, kerinderias (pequenos restaurantes de take-away), cabeleireiros, de tudo um pouco.

Se há dez anos ou mais os filipinos estavam dependentes da comunidade portuguesa, e conviviam mais de perto connosco como forma de poder angariar com isso vantagens, hoje são mais independentes. Continuam a nutrir por nós uma espécie de simpatia típica dos povos latinos, mas sinceramente não nos vêem como os amos que outrora eramos considerados.

Basta passar pela Rua dos Cules e a Rua da Alfândega para perceber o que é a comunidade filipina. A qualquer hora do dia podemos perceber a azáfama da comunidade e a forma como se implantou no local aquilo que se chama de "Pequena Makati", o centro financeiro de Manila (com as devidas distâncias, é claro). Filipinos bebem cervejas na rua, comem halo-halo, sentam-se à porta dos prédios a conversar, enchem os inúmeros cybercafés existentes, organizam-se e fazem pela vida. Têm a capacidade de ocupar lugares públicos para assinalar os seus dias festivos, e até já têm um consulado-geral a funcionar no território de forma permanente.

Ao escolher um filipino para nº 7 da lista, a VPGM faz bem. Angariar os votos dos (muito poucos) cidadãos filipinos recenseados é melhor que nada, e sempre é uma forma de conseguir uma aproximação que já tardava. O caso da confusão à volta da inclusão do nome de Tuejano na lista só pode ser entendido como um sinal de boa sorte, um baptismo de fogo. Assim como os chineses acreditam que um incêndio no dia da inauguração de uma loja é bom agoiro. Vamos esperar que sim.

Os blogues dos outros


O cantor Michael Jackson faz hoje o pleno da imprensa mundial. Não há jornal que não tenha a sua imagem na capa. Digno de um verdadeiro "rei" da Pop Music. Tinha por Michael Jackson um carinho especial. Quando os 'Jackson 5' lançaram o disco "Maria" ofereci-o à minha namorada Maria, hoje minha mulher, e como radialista passei a tocar a música quase todos os dias na estação de rádio onde trabalhava. Durante os mais de 20 anos que trabalhei na rádio penso que passei todos os êxitos de Michael Jackson e só eu sei quantos telefonemas recebia no estúdio a pedir para repetir as suas composições e a trabalheira que me dava ter que explicar aos ouvintes que num programa de rádio não se devia repetir a mesma música. Recordo ainda a geração dos meus filhos que adorava o Michael Jackson e por essa razão bem tive de estar uma vez à seca de duas horas num hotel de Hong Kong a aguardar que o Michael baixasse do quarto para lhe pedir um autógrafo para os meus filhos. O autógrafo foi-me oferecido no papel que eu tinha mais à mão: uma nota de 100 dólares de Hong Kong. Os filhotes ainda guardam esse autógrafo e qualquer dia vale um dinheirão num leilão qualquer.

João Severino, Pau Para Toda a Obra

Não é novidade, mas agora que morreu, a coisa agudizou-se. Ao comentar a morte de Michael Jackson há sempre quem não resista a condená-lo, mais ou menos subtilmente, por ter renegado as suas origens, por ter feito tantas operações e por ter ficado aquilo que todos sabemos. Pois eu, por mim, não o condeno nem nunca conseguiria condená-lo. A culpa da angustia de um homem por não conseguir viver em paz com aquilo que é nunca pode ser sua. Se Michael Jackson não era feliz preto, é porque nunca o deixaram ser feliz. O nojo um homem por si mesmo não nasce com ele, não pode nascer, é-lhe causado por quem o rodeia. Por quem não lhe comprou um disco porque, afinal, era só um preto de merda a cantar umas cantigas. Quem condena Michael Jackson pelo que fez, deveria condenar-se a si próprio por todas as vezes que criou em alguém a vontade de fazer o mesmo, multiplicando-lhe a angustia por não o conseguir fazer. O homem que morreu ontem, que claramente não é o homem que nasceu há cinquenta anos, é um produto do nosso mundo, não é uma coisa à margem que se autodeterminou. Por isso, em vez de dizerem barbaridades, fiquem calados e, no máximo, oiçam as músicas e agradeçam-nas.

Tiago Moreira Ramallho, Corta-Fitas

A notícia da morte de Michael Jackson teve o condão de me lembrar que Michael Jackson ainda estava vivo.

Rodrigo Moita, 31 da Armada

Aqui fica um belo pontapé no português:
"Michael Jackson: Tráfico na Internet colapsa alguns sítios
O intenso tráfico gerado pelos internautas mundiais na sequência da morte de Michael Jackson cresceu mais de 30 por cento, colapsando vários portais, com debates intensos a dividir o Twitter, o Facebook e a Wikipedia. Análises de várias empresas que monitorizam a Internet comprovaram como o volume de tráfico cresceu exponencialmente nas horas depois de a morte ser conhecida, chegando a intensificar-se na web, mesmo antes de os meios convencionais confirmarem o falecimento. O primeiro a noticiar a morte (e já antes o fora ao noticiar a entrada do músico no hospital) foi o portal especializado TMZ que, dado o volume de tráfico inicial, chegou a estar inacessível em vários momentos."
Fonte: Diário Digital
P.S. - O número de vezes que aparece mostra que não foi uma gralha. Com tanta gente a precisar de um emprego...


Livreira Júnior, A Leste da Solum

A morte de Michael Jackson, de paragem cardíaca súbita, enluta a música popular anglo-saxónica, os Estados Unidos e a própria cultura ocidental. Um dos ícones do século XX, Michael Jackson influenciou várias gerações de jovens e adultos, um pouco por todo o mundo, e deu à música negra uma dimensão, um horizonte, uma universalidade que até aí não tinha; forçou a ultrapassagem da barreira entre os públicos branco e negro da música popular, seja o Pop, o Soul ou o Rhythm'n Blues e incrementou uma certa padronização de gostos e estilos. Introduziu [ao lado da Madona] a dimensão da imagem, do video-clip, com parte indispensável da composição musical e da produção discográfica. Levou o sentido da super-produção até ao limite, sempre com enorme sentido de profissionalismo. Foi e é um dos ícones do Pop e da música jovem do século XX. As diatribes da sua vida privada que durante anos alimentaram a literatura de escândalo e do gossip são uma pequena sombra na sua dimensão de criador e autor impar na cultura popular dos nossos dias. Sem ele não haveria uma galeria de criadores que marcam a produção discográfica da actualidade e a combinação de estilos da música afro-americana: Mary J. Blige, Lauryn Hill, Erykah Badu, Indie, Arie, Alicia Keys, D'Angelo etc.
May rest in Peace.


Arnaldo Gonçalves, Exílio de Andarilho

Michael Jackson não era só aquela aberração estética que todos conhecemos. Não era só o eterno protagonista de atitudes polémicas, chocantes até, que o transformaram numa espécie de freak show ambulante. Não era só uma patética encarnação de Peter Pan. Era também um dançarino único e um músico cheio de talento.

Ana Vidal, Delito de Opinião

Porque isto não é só fazer humor negro que não pretende ser de malícia mas sim de alerta, provocação se quiserem. Não pretende causar indignação mas sim fazer pensar.
Michael Jackson é apenas o exemplo, hoje, do paradigma da glorificação pela morte dos injustiçados em vida e, pior, da confusão que - minha opinião - não devia haver entre obra, artista e ser humano. Há tempos fui criticado, gozado se quiserem por ter escrito, a propósito da reedição em livro dos textos do programa Pão Com Manteiga, que a situação actual de Carlos Cruz, inocente ou culpado, nada tinha que ver com o Carlos Cruz que fez - entre outros - o Pão Com Manteiga. Digo hoje mas já o dizia anteontem, que o músico Michael Jackson e a pessoa Michael Jackson são "situações" diferentes. Vejamos. Apesar de nunca se ter provado nada, vamos pensar que Michael Jackson de facto seria pedófilo. Em que é que isso alterava a qualidade - goste-se ou não e eu não gosto - da sua obra musical? Nada! Tal como em nada mudou de ontem para hoje excepto que a "aberração" voltou a ser Génio e Rei da Pop. Sabe quem escreve humor - talvez noutras áreas também - o quão comum é confundirem-se as piadolas que escrevemos com aquilo que pensamos, erro de quem lê, desculpem. Fazer uma piada sobre Deus não faz de mim um herege ou ateu. Fazer uma piada sobre homossexualidade não implica um pensamento homofóbico. A obra de Michael Jackson sempre aí esteve. Mais escândalo, menos escândalo, mais polémica, menos polémica, as músicas tocaram sempre da mesma maneira. Ou não tocaram. Voltam a tocar agora, sinos que dobram.


João Moreira de Sá, Arcebispo de Cantuária

Nangka passa perto


A tempestade tropical Nangka vai passar perto do território, e influenciar o estado do tempo em Macau durante o fim-de-semana (e logo o fim-de-semana...). Está içado o sinal nº 3 de Tempestade Tropical, mas não se prevê que seja içado o nº 8. A tempestade vai passar a cerca de 60 km nordeste do território, dirigindo-se depois para a China continental.

E a multa?


Recolhi esta imagem hoje ao início da noite. Nela podemos ver uma senhora que remexe em latas do lixo, atirando para o chão tudo o que lhe parece ser desnecessário. A fotografia não é bastante clara, mas estava um pouco escuro e não tive tempo de fazer um pequeno filme, mas posso garantir que a senhora em questão não era muito velha (estará nos seus cinquenta), não aparenta ser pobre e não evidencia sinais de demência. Não foi possível passar no passeio, onde já se encontravam quantidades copiosas de lixo atirado pela senhora, o que me obrigou a atravessar pela estrada. O que eu pergunto é isto: não existe alguém que veja e impeça isto de acontecer? É verdade que enfiar as fuças no lixo não é nenhum crime, mas tenho a certeza que cagar o passeio, que é público, não é permitido. Antes, ou em vez de ensinar a este tipo de pessoas algum civismo, o que é mesmo preciso é um pouco de "amor à antiga". Uma multazinha, por exemplo, não ficava mal.

Macaco urina em presidente


Um macaco urinou no presidente da Zâmbia, Rupiah Banda, enquanto este falava aos jornalista nas quarta-feira. Benda berrou para o símio: "Mijaste no meu casaco!", enquanto via o macaco a brincar numa árvore por cima da sua cadeira. "Talvez seja uma benção", afirmou o presidente enquanto uma audiência de jornalistas e diplomatas riam a bandeiras despregadas. Vários macacos costumam ir brincar nos jardins palácio presidencial da Zâmbia. existrem também várias espécies de antílopes e pássaros. Uma espécie de pequeno paraíso, com os seus incidentes ocasionais, é claro.

Brasil samba até à final


O Brasil derrotou ontem a África do Sul na segunda meia-final da Taça das Confederações por uma bola a zero, com o golo da vitória a ser apontado a dois minutos do fim por Daniel Alves. Isto significa que vamos ter uma final completamente americana, entre o Brasil e os Estados Unidos. Os brasileiros são amplamente favoritos. Fica a desilusão de não ter havido uma final Brasil-Espanha, um tira teimas entre as duas melhores selecções do mundo.

Michael Jackson (1958-2009)

The king is dead


Aí está a notícia mais sensacional desde a morte de Elvis Presley em Agosto de 1977. Michael Jackson, rei da pop, foi encontrado inconsciente em casa, e a sua morte foi declarada no UCLA Medical Centre, em Los Angeles. Michael Jackson começou muito jovem a cantar na banda dos seus irmãos, os Jackson 5, e aos 14 anos lançou o seu primeiro álbum a solo. A falta de uma infância normal foi marcante para o resto da sua vida. Nos anos 80 conseguiu um sucesso estrondoso com o álbum "Thriller", que é ainda o mais vendido da história. Seguiram-se "Bad" (1987), "Dangerous" (1991) e "HIStory" (1995) que tornaram Jackson no cantor contemporâneo mais vendido. Os últimos anos foram marcados por problemas judiciais relacionados com escândalos de pedofilia, e rumores constantes sobre o seu estado de saúde. Michael Jackson submeteu-se a centenas de operações plásticas durante a sua vida adulta, e a técnicas de rejuvenescimento controversas, que o deixaram desfigurado. O cantor estava a programar um regresso em grande, e ia actuar a 13 de Julho na London Arena, no início da sua nova tour. O rei morreu. Fim de dinastia.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Cheira a novo!


Foi finalmente apresentada a lista "de matriz portuguesa" às eleições para a Assembleia Legislativa. A lista chama-se "Voz Plural, Gentes de Macau" (VPGM) e prima pela originalidade, pela juventude e pela multiculturalidade. Essa promessa foi cumprida, pelo menos. Originalidade porque se apresenta como uma lista cheia de caras novas, quando as suas antecessoras, a "Macau Sempre" e a "Por Macau" pautavam-se pela aposta nas mesmas caras de sempre. Resta conhecer em detalhe as suas prospostas.

Juventude porque dos doze elementos da lista, 11 têm menos de 50 anos, e três deles menos de 30. Nestas coisas da política, alguém com 50 anos é considerado "um jovem", enquanto alguém na casa dos 30 é considerado "um velho", o que perpetua o conceito de que a política é "uma coisa de velhos". Multicultural porque conta com sete macaenses, um deles de origem cabo-verdiana e outro de origem indiana, dois portugueses metropolitanos, dois chineses de Macau e até um filipino.

Como se esperava, Casimiro Pinto encabeça a lista. Casimiro Pinto, também conhecido por Miro, é intérprete-tradutor dos SAFP de profissão, cantor, compositor e apresentador por vocação. Miro tem sido a cara do "sangue novo" que a comunidade macaense prometeu injectar na sua já tradicional estrutura política. De fora ficam "os mesmos de sempre", resta saber se é mesmo "para dar lugar aos novos", ou para evitar os ultra-violentos raios ultravioletas de uma mais que provável derrota.

Dos restantes elementos da lista temos pessoas de vários quadrantes e profissões. O nº 2 é Jorge Godinho, português radicado em Macau, doutorado em Direito e professor universitário. A nº 3 é Jenny Lao, professora do Instituto Inter-Universitário de apenas 29 anos, investigadora na área dos negócios tradicionais e das famílias de Macau e da vida associativa do território, e directora da revista Sign-In. Duas apostas que provam que a escolha no campo do ensino superior e da investigação não acabam em Agnes Lam.

A nº 4 é, na minha humilde opinião, a maior e mais agradável surpresa. Nem mais nem menos que Paula Carion, 26 anos (a mais jovem da lista), tradutora de chinês-inglês, actriz nos tempos livres e karateca medalhada nos Jogos Asiáticos. Já imaginaram a nossa Paula lá na AL? Cada vez que Au Kam San proferisse insultos da mesma estirpe com que brindou ontem o Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Sio Io, levava um golpe que lhe estragava aquele novo penteado que ainda não se percebe muito bem se é retro, ou avant-garde.

Mário Évora, o nº 5, é o veterano da lista. Nascido em Macau há 55 anos, filho de pais cabo-verdianos, é director do Serviço de Cardiologia e Director hospitalar do CHCSJ. Uma mais valia a assinalar. Os restantes elementos são Isa Manhão (empresária de relações públicas), Rodantes di Tuejano (dirigente de uma associação de filipinos; teria um peso enorme se a maioria dos dez mil filipinos em Macau pudesse votar), Pedro Lobo (professor da EPM), Sharoz Pernencar (professor de português da Escola Luso-Chinesa), Guiomar Pedruco (empresária, ex-Miss Macau), Chiang Tat Chi (arquitecto) e Herman Comandante (funcionário público). Um pouco de tudo.

Não vou fazer campanha eleitoral aqui no blogue, e não vou dizer se vou ou não votar nesta ou em outra lista. Prefiro esperar pelo fim da campanha eleitoral, para depois da devida reflexão, fazer a escolha mais acertada. Mas esta lista surpreende pela positiva, e vem calar muitas vozes (incluíndo a minha) que criticaram o timing, a ideia e a própria razão de existir de uma lista desta natureza. Mas com ou sem derrota, a aposta foi bem feita. Congratulo-me que, apresentando uma lista, seja esta. Estão de parabéns. Agora venham daí essas propostas!

O exemplo lá de cima


A China executou dezenas de traficantes de droga em vésperas do Dia Internacional Contra a Droga, que se assinala amanhã. Na província de Yunnan, quatro homens foram condenados por traficar mais de cinco toneladas de droga, e foram executados depois de todos os seus bens terem sido confiscados na sexta-feira. Na província de Cantão a polícia levou a cabo uma série de acções anti-tráfico, que levaram à condenação à pena capital de cinco traficantes. Em Zhejiang foram detidos e executados vários traficantes, apreendidos vários quilos de droga e bens adquiridos através do lucro do tráfico, desde telemóveis a automóveis, passando por centenas de milhar de yuan em dinheiro. Em Hangzhou, capital desta província, foram condenados à morte 17 traficantes, dois deles seropositivos. Na província de Shaanxi, no nordeste, foram descobertos 4200 casos de tráfico, e detidos quase três mil suspeitos. Foram ainda apreendidos 21 quilos de heroína. Em Urumqi as autoridades queimaram na semana passada 40 quilos de heroína. De acordo com o Ministério para a Segurança Pública, a polícia chinesa descobriu 546900 crimes relacionados com droga, apreendeu mais de 51 toneladas de heroína e destruíu 427 hecatres de plantação de ópio nos últimos cinco anos. Mais de 235 mil pessoas foram detidas, e apreendidas 52 toneladas de ice, 14 toneladas de ópio e 1412 toneladas de químicos utilizados no fabrico de drogas sintéticas. A China tem agora uma força policial de combate ao tráfico de droga de 17 mil elementos, e o governo central investiu mais de 600 milhões de anos no combate ao tráfico nos últimos cinco anos.

Com vinagre não se apanham moscas


A polícia em Hong Kong cancelou uma marcha de protesto marcada para Domingo depois do Chefe do Executivo, Donald Tsang, ter apelado a que não o fizessem. A marcha ia contar com a participação de mais de 2 mil polícias, que exigem mais e melhores condições de trabalho. Donald Tsang diz que compreende as reivindicações dos agentes da autoridade, sendo ele próprio filho de polícias, mas pediu que utilizassem os canais de comunicação existentes, antes de sair à rua. Tsang diz que uma marcha de protesto "ia manchar a reputação da polícia de Hong Kong, uma das melhores do mundo". O comissário-geral da polícia das RAEHK, Tang King Shing, interrompeu uma visita à Europa para resolver a crise, e esteve esta tarde reunido com associações de polícias. Depois da reunião ficou decidido que a marcha ia ser substituída por uma reunião entre o comissário, as associações e outros oficiais do Governo. Um exemplo de como lidar com situações de crise, vindo mesmo aqui do lado.

Sexo, modelos e japonês


Um professor em Hong Kong enfrenta uma pena de prisão depois de ter sido considerado culpado de ameaçar uma jovem de 14 anos para ter relações sexuais com ela. Gary Siu Cheuk Ming, 27 anos, era professor de japonês da vítima. O professor convenceu a jovem tirar fotografias e fazer um vídeo nua, prometendo-lhe que lhe arranjaria trabalho como modelo. A jovem acedeu, e depoiso professor ameaçou divulgar as imagens caso ela não acedesse a ter relações sexuais. Tiveram relações pelo menos 10 vezes depois das ameaças. A jovem contou o sucedido a outro professor, que alertou a polícia. As ofensas aconteceram em 2006. Siu foi condenado de abuso sexual a menor e conduta indecente. A sentença vai ser lida a 27 de Julho. No início deste mês um outro professor de Hong Kong foi condenado a 10 anos de prisão por ter mantido relações sexuais com uma aluna por mais de 280 vezes.

Taiwan arruma prostituição


O Governo de Taiwan está a considerar descriminalizar a prostituição, e encetar mais esforços para prevenir doenças sexualmente transmissíveis e combater o tráfico humano na ilha nacionalista. O primeiro-ministro Lui Chao-shiuan admitiu vir a descriminalizar a prática da prostituição, com base nos princípios do direito ao trabalho e dos direitos humanos das trabalhadoras da indústria do sexo. A actual lei, que pune as prostitutas mas no os clientes, tem merecido duras críticas de grupos cívicos de Taiwan. O Governo prevê preparar que o diploma que descriminaliza a prostituição esteja preparado até ao final do ano, e prevê a criacção de distritos especiais onde as prostitutas possam exercer a sua profissão com segurança. Actualmente a prostituição é punida com prisão até três dias ou multa de 30 mil dólares de Taiwan (7000 patacas). Calcula-se que existam mais de 600 mil prostitutas no país.

Empregado com sorte


O actor Johnny Depp deu uma gorjeta de 4 mil dólares (32 mil patacas) ao empregado de um bar em Chicago. Depp e o restante elenco de "Public Enemies" estão em Chicago para a estreia do filme naquele cidade norte-americana. Pararam na Gibson Steakhouse pelas 11:30 da noite, onde pediram cocktails de camarão, ameijôas e algumas garrafas de vinho caro, e ficaram até às 2:30 da madrugada. Depp certificou-se que o empregado que atendeu o grupo durante as três horas recebia uma gorjeta condigna. Mohammaed A. Sekhani, o empregado sortudo que já atendeu Depp noutras ocasiões, diz que o actor "é bastante simpático, e é sempre um prazer servi-lo". Pudera...

Sonho americano


Ninguém diria. Os Estados Unidos bateram ontem a Espanha na meia-final da Taça das Confederações, e espera agora pelo desfecho do Brasil-África do Sul para conhecer o outro finalista. Os norte-americanos adiantaram-se no marcador aos 27 minutos por Altidore, e "matou" o jogo na segunda parte com um golo de Dempsey. Esta foi a primeira derrota dos espanhóis, nº 1 do ranking da FIFA, em 16 jogos oficiais. É obra.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Civismo, e a falta dele



Por vezes deparamo-nos com comportamentos e hábitos muito diferentes dos nossos e daqueles com que escolhemos conviver no nosso dia-a-dia. O civismo, ou a falta dele, não é exclusivo de uma nacionalidade ou etnia. Numa cidade tão heterogénea como Macau, podemos encontrar porcalhões de todas as origens, raças e credos. O pior é que ao fim de um tempo, começamos a deixar de nos importar com certas atitudes, ou pior, começamos a adquirir alguns hábitos estranhos, como cuspir os ossos da galinha em cima da mesa ou arrotar sonoramente em público. No entanto, gostava de deixar umas recomendações em forma de itens numerados de modo a facilitar a consulta, de uma meia dúzia de coisas que ainda não consigo ultrapassar:

- Não interessa se você é velho ou pobre. Isso não lhe dá o direito de carregar carrinhos de cartão no meio da rua ou ocupando o passeio todo, nem de vasculhar nas latas do lixo deitando a porcaria toda no chão.

- Por falar em cartão, era muito simpático que recolhessem as caixas de cartão dos supermercados o mais tarde possível, e não a qualquer hora do dia, muitas vezes deixando a carrinha a barrar a porta, ou incomodando os clientes.

- Por falar em lixo, bem sei que com o calor que se faz sentir seja quase impossível aproximar-se dos latões, devido ao desagradável cheiro. Contudo, pense um pouco nos outros, e tente acomodar os dejectos dentro dos latões, em vez de os atirar a cinco metros ou mais de distância. Se as gentes de Macau fossem conhecidas pela pontaria, tinhamos uma boa equipa de basquetebol. O que não é o caso.

- Ainda quanto ao lixo. De modo a evitar alguns nauseabundos cheiros, era bom que acomodassem os líquidos e os restos de comida em pequenos sacos de plástico devidamente fechados, em vez de os misturar com o outro lixo. Isto talvez possa parecer uma novidade, mas o cartão e o papel absorvem o líquido, deixando entranhado o cheiro!

- O uso da máscara é uma excelente ideia, em tempos de pandemia de gripe. No entanto era bom que as dispusessem no primeiro caixote do lixo que encontrassem à saída do hospital ou do centro de saúde, e não no chão. Deve existir pelo menos um desses caixotes do lixo num raio de 200 metros.

- Quando apanha o autocarro, e este já se encontra lotado, não adianta empurrar para entrar primeiro. Vai ficar de pé na mesma, e irrita os restantes passageiros que querem entrar e estavam à espera há mais tempo.

- Ainda no autocarro, dê o lugar aos passageiros idosos, grávidas, deficientes ou com crianças ao colo. Existem quatro lugares destinados a estes passageiros, devidamente sinalizados. Esses sinais não são uma brincadeira. Existe uma lei que obriga os passageiros válidos e ceder o lugar a esses passageiros.

- Ao conduzir, não fale no telemóvel. Não só se sujeita a multa, como ainda é perigoso. Macau é pequeno, e seja o que for que tem que dizer, pode esperar mais uns dez minutos.

- Ainda quanto ao telemóvel, não segure a porta do elevador onde vai entrar "porque está a acabar de fazer uma chamada importante". É importante para si, e não para as restantes pessoas que estão no elevador e querem ir à sua vida. Ligue mais tarde.

- Por falar em elevador, não empurre para sair caso esteja num elevador cheio, ou num daqueles que fez uma paragem mais rápida que o normal. A sua vida vale tanto quanto a das outras pessoas.

- Se não estiver a chover, não abra o guarda-chuva na rua para fazer de guarda-sol. Já várias vezes ia tendo um olho arrancado pelos varões (sim, sou um gajo alto). Opte por um boné ou um sempre estético chapéu de palha.

- Preste atenção quando anda na rua. Olhe para a frente, não mande mensagens no telemóvel enquanto anda, e não ande de dedo espetado na rua enquanto conversa com um amigo ou amiga.

São pequenos conselhos que nos podem ajudar a viver melhor, e com menos stress. Tenho a certeza que os leitores deparam-se com muitos outros nas suas lides diárias. Mas muitas vezes, ou por esquecimento ou por egoísmo caimos na tentação de irritar o vizinho do lado com a busca do nosso próprio espaço. Se todos ajudarmos um bocadinho, podemos tornar Macau uma cidade melhor para viver.

Cuida-te, jovem


Finalmente uma boa ideia do Instituto Português da Juventude (IPJ), o programa "Cuida-te", que passa por instalar unidades móveis junto de escolas e discotecas para, entre outras coisas, distribuir preservativos e fazer o rastreio do HIV entre jovens. Uma ideia digna de um país desenvolvido, que só não é original porque já é aplicada noutros países. Confesso que até fiquei surpreendido com tanta modernidade. Só que o programa está a gerar polémica, como não podia deixar de ser num país populado por gente bacoca e retrógrada.

Primeiro os cabeçudos dos juristas dizem que isto é "uma ingerência" no exercício do poder paternal, uma vez que os jovens com menos de 16 anos não têm autoridade para realizar um teste da SIDA por vontade própria. Depois porque os jovens "podem não estar preparados para receber uma má notícia". O princípio que aqui subjaz é que um jovem que desconfie que pode estar infectado com o vírus do HIV ou outra doença sexualmente transmissível pode ficar completamente surpreendido pela notícia, apesar de ter assumido comportamentos de risco. Depois porque a distribuição de preservativos "tem que ser bem pensada". Esta deve ser a contribuição da Igreja para esta salganhada toda. Aliás, nesta autêntica salada russa, todos contribuem com a sua posta de pescada: pais, professores, psicólogos, etc.

Primeiro é um facto que os jovens, cada vez mais curiosos, iniciam a sua vida sexual cada vez mais cedo. Prova disso são é o aumento dos números da gravidez na adolescência e até mesmo os abortos. Segundo nenhum jovem de 13 ou 14 anos (especialmente do sexo feminino) no seu perfeito juízo vai procurar aconselhamento deste tipo junto dos pais. No mínimo arrisca-se a levar uma galheta. Os testes não são obrigatórios, não vão ser feitos nas escolas, nem o programa conta com a participação do Ministério da Educação. Claro que os postos vão funcionar perto de escolas e discotecas, onde se encontram jovens. Não faziam sentido que funcionassem junto de lares da terceira idade (e mesmo assim ia cair o Carmo e a Trindade, acreditem).

São os jovens que procuram esses postos voluntariamente, e parece-me interessante que possam adquirir preservativos, se estiverem interessados, noutro sítio que não a farmácia da esquina, onde a mãe vai comprar calicidas e remédios para a prisão de ventre. Então qual é o problema? Deixem-se de parvoíces. Os jovens são pessoas como quaisquer outras, e estão sujeitos praticamente aos mesmos perigos que os adultos. Vamos lá deixar de os tratar como atrasadinhos mentais.

Morreu Nuno Barreto


Considerado habitualmente o melhor pintor português das últimas décadas de Macau, Nuno Barreto morreu aos primeiros minutos do dia 24 de Junho, dia de S. João, no Porto.

Foi aliás no Porto onde nasceu, em 1941, numa família de sete irmãos, todos rapazes, um dos quais António Barreto. Frequentou a Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde se graduou em 1967 com vinte valores.

Bolseiro da Fundação Gulbenkian, fez uma pós-graduação na prestigiada Saint Martin's School of Art, de Londres. Professor da ESBAP, dirigiu durante 15 anos a respectiva Oficina de Serigrafia. Em 1986, foi 'Artist in Residence' em duas instituições do estado norte-americano de Massachusets.

Convidado para trabalhar em Macau, foi o principal dinamizador da Escola de Artes Visuais, inaugurada em 1989 e que está na origem da actual Escola Superior de Artes.

Foi a partir de Macau que a sua pintura se tornou mais conhecida. O quadro porventura mais popularizado chama-se "O Embarque no 'Pátria'" e é uma fantástica alegoria ao fim da administração portuguesa daquela minúscula colónia na China - e que foi, simultaneamente, o fim do império.

Morreu num hospital do Porto, vítima de cancro.

Sobre a pintura de Nuno Barreto, a Fundação Oriente editou em 2006 o álbum "Galeria Imaginária", realizado a partir de um CD-ROM com o mesmo título concebido pelo próprio pintor.

O álbum foi coordenado por Fernando António Baptista Pereira, que escreve no texto de abertura: "Na pintura de Nuno Barreto surpreendemos um talento muito especial para captar o espírito de um lugar, assim como os sentimentos das pessoas que o povoam. Todavia, o pintor fá-lo mediante uma capacidade de invenção que combina o gosto pela síntese por vezes geometrizadora do espaço e a ironização sobre os comportamentos e as situações".

In Expresso

Pela sanita abaixo


Outra incrível história de sobrevivência, desta vez na Inglaterra. Um rapaz de 4 anos foi lavar o seu cãozinho de estimação, um cocker spaniel bebé, na sanita. Parecia uma boa ideia, para quem tem apenas quatro anos, só que o jovem despejou acidentalmente o autocolismo, e o cãozinho foi pelo cano abaixo. O animal ficou preso no cano de esgoto durante várias horas, e esta imagem foi captada por um circuito de CCTV. A mãe chamou os bombeiros, que por sua vez chamaram o canalizador, que encontrou o cão a vinte metros de casa. O bicho está bem, e o jovem diz que foi lavar o cão depois de este se ter sujado a brincar no jardim.

Mohammed sobrevive


Um rapaz de 4 anos foi atropelado por um carro, e escapou sem um arranhão. Aconteceu no último Sábado na Turquia. Mohammed, de 4 anos de idade brincava junto de umas escadas, quando um carro fora de controlo atingiu-o e projectou-o de um lance de 8 degraus de escadas. O rapaz levantou-se, aparentemente ileso, mas assustado, e foi-se embora. O condutor alegou que se desviou de um cão no meio da estrada. Um verdadeiro milagre.

Vingança canina


Um cão foi baleado por um homem na Alemanha, mas conseguiu morder-lhe o nariz antes de cair inconsciente. O homem, que estava bêbado, entrou em propriedade privada em Stadtlauringen, na Bavaria. Ao encontrar o cão, um montanhês-bernês, disparou um tiro de pistola a curta distância. O cão ainda conseguiu saltar, e arrancou-lhe a ponta do nariz com uma dentada. A sangrar bastante da cara, o homem chamou a polícia e foi internado no hospital mais próximo. O cão sobreviveu, tendo-se submetido a uma operação d várias horas para retirar a bala que ficou alojada no ombro. E conseguiu a sua vingança.

Discurso motivacional


Joel Santana, o técnico brasileiro da África do Sul, motiva os "bafana bafana" para o jogo de logo à noite contra o Brasil, a contar para as meias-finais da Taça das Confederações. Mais uma criativa charge de Fernando Maurírico, no seu Charges Brasil.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Primeiro caso de infecção local


Foi registado em Macau o primeiro caso de transmissão local pelo vírus H1N1, o vírus que causa a gripe suína. Uma filipina de 39 anos que residia com outra infectada foi hospitalizada hoje. Devido a este primeiro caso de infecção não importada, os Serviços de Saúde elevaram o nível de alerta de 5 para 6, se bem que "moderado". Macau entra assim oficialmente no mapa da pandemia da gripe suína, com já seis casos confirmados. Os SS aconselham que as pessoas evitem lugares fechados que sejam muito frequentados, e todas as actividades que reúnam mais de 200 pessoas vão ser canceladas. As festas de graduação dos jardins de infância e do ensino básico serão canceladas, e recomenda-se que as restantes sejam evitadas. Os hospitais estão a preparar mais camas, no caso de haver um surto. Veja aqui a reportagem da TDM.

Estranho bailado


Dois electricistas da famosa companhia de bailado russa Bolshoi começaram a cumprir penas de prisão de 3 anos e 4 meses pela agressão e roubo a uma prostituta em Hong Kong. Mark Statsev, 26 anos, e Yury Kovrigin, 30 anos, confessaram o assalto e a agressãi a Yu Yuk Kam, 45 anos, durante a actuação do Bolshoi em Hong Kong. Os dois estavam a trabalhar no bailado Spartacus em Setembro último no Centro Cultural da RAEHK, e encontraram-se com Yu perto do hotel onde estavam hospedados, depois de terem estado a beber bastante. Levaram a prostituta ao quarto de Statsev, e pagaram 1600 dólares de Hong Kong pelos seus serviços. Depois Statsev enrolou uma toalha à volta do pescoço de Yu, e os dois começaram a agredi-la, roubando depois mais de 8000 HKD da sua mala. A polícia encontrou Yu bastante combalida, e a prostituta passou mais de duas semanas no hospital em convalescença. Os advogados de defesa dos dois electricistas alegaram que os seus clientes "estavam bastante embriagados", e que "não ficaram satisfeitos" com os serviços da prostituta. O Bolshoi mandou cartas para o tribunal descrevendo Statsev como uma pessoa "modesta, reservada e não-agressiva", e Kovrigin como uma pessoa "quieta e não agressiva".