sexta-feira, 22 de maio de 2009

Macau chu ba bao


Macau está de parabéns. A Venetian organizou um casamento colectivo de 299 casais da região, e para entrar para o Guiness (outra vez o Guiness...) fez-se um chu ba bao de 130 quilos. Para quem não abe o que é um chu ba bao (ou "jyupabaau", como lhe chamou o JTM, que mais parece um prato tailandês), é um papo-seco com uma costeleta de porco frita. Simples. Nem a uma nobre bifana o chu ba bao chega. É uma costeleta, frita, entalada numa carcaça. O chu ba bao é o equivalente à sandes de coirato em Portugal: a coisa mais reles que se pode encontrar para se comer. O chu ba bao goza de uma enorme fama por estas bandas. Todos os fins-de-semana chegam centenas de turistas de Hong Kong que chegam a esperar horas por um chu ba bao de uma lojinha na Taipa. É ridículo. Será assim tão complicado lá na RAEHK arranjar um pouco de óleo, uma costeleta de porco e um papo-seco? Estão a brincar ou quê? Macau é famoso por causa daquela porcaria, em que na maior parte dos casos a tal costeleta é frita num óleo que já fritou umas trezentas costeletas iguais, em cozinhas (?) com condições de higiene duvidosa? E foi preciso o director dos Serviços de Turismo ir lá e tudo aparecer ao lado do chu ba bao que pesa 130 quilos. Uma monstruosidade. Quem vai comer aquilo tudo? Se eu visse uma coisa daquelas à minha frente, vomitava de certeza. Já que se tratava de 299 casamentos, que tal pensar em entrar para o Guiness com o maior bolo de noiva do mundo? Mas não, tinha que ser um chu ba bao. Nos futuros anais da culinária macaense, vamos ter lá o chu ba bao. E na primeira página.

PS: Obrigadinho ao Ou Mun pela fotografia, que como se pode perceber muito bem, foi retirada do jornal mais lido em língua chinesa do território. Nem era preciso dizer, os mil carimbos comprovam a origem.

1 comentário:

Irene Abreu disse...

Ahhhhhhhh finalmente já estou esclarecida o porquê de tanta gente naquela esplanada da Taipa! Andava mesmo muito intrigada com aquele "banho" de gente, principalmente aos fins de semana. Fartei-me de perguntar a pessoas conhecidas, mas também para elas, era um mistério dificil de esclarecer. O que a gente aprende no seu blog... obrigadissima Leocardo!!!
Abraço