terça-feira, 3 de novembro de 2015

Um abión mooouuuro, carago!


Aí estão eles outra vez: "Macaco" e os seus chimpanzés a saltarem para as páginas da imprensa, acometidos de mais um ataque de pulgas, e outra vez, imaginem só, num "abión" - e desta vez um "abión mooouuuuro". A notícia é mais do que lamentável: é vergonhosa. Eu próprio sou adepto do FC Porto, mas a preferência clubista não tem o dote de tornar alguém melhor pessoa, mas infelizmente serve para sujar o nome do clube e dos seus restantes adeptos, e pior do que isso, levanta um debate nacional parvo, com comparações ridículas, juízos de valor descabidos, e generalizações absurdas: era como se o facto de estar SEMPRE pelo menos um caruncho com um boné do Benfica junto às carrinhas que distribuem alimentos aos sem-abrigo em Lisboa fizesse de TODOS os adeptos benfiquistas drogados, vagabundos e criminosos, quando muitos deles já abandonaram o consumo de estupefacientes. Não exageremos, cum camano.


A história está muito mal contada, e quando digo "mal contada", quero dizer contada por Fernando Madureira, o tal "Macaco", o adepto mais mediático do FC Porto e líder da claque dos Super-Dragões, em cima na imagem com a camisola do Canelas de Gaia, clube da distrital da AF Porto onde joga na posição de avançado, apesar de contar já com 40 anos de idade. Mais um caso de "talento perdido", Madureira iniciou-se nas camadas jovens do Baladaares ("Valadares", em tripeiro), e já como sénior representou o UD Lomba, Castelo da Maia, Rebordosa, Passarinhos da Ribeira, Miragaia e Mocidade Sangemil, antes do Canelas, por onde faz uma segunda passagem. Tudo clubes situados num raio de 200 metros da sua casa, para que baste outro "morcon" berrar: "Ó Macaco, tá quaise na uora do juogo, carago!", para vir à janela responder "já boue, f... da p...". Podia ser que se o Macaco tivesse enveredado por uma carreira de profissional de futebol, e encontrasse um clube que lhe pagasse um salário decente, não tivesse a necessidade cometer a pilhagem de estações de serviço um pouco por esse país fora, e conforme a distância entre a sua "toca" no Porto, e o local onde a equipa principal fosse jogar. Ah ia-me esquecendo, pilhagem acompanhada de violência, que o artista não deixa os seus créditos por mãos alheias. Eis um diálogo recorrente numa esquadra da Invicta:
- Uó chefe, tibémos a participaçone duma uocorrência, carago. Assaltaram uoma estaçon de serbiço em Abeiras de Cima, f... da p.... Debe ter sido uotra bez o Macaco, ó c... .
- Oube lá, há registo de feridos, c... da mãe?
- Nongue...
- Enton num foi ele, ó f... da p....
Pensando melhor, ia ser complicado tornar-se profissional e depois ver o cartão vermelho nos primeiros vinte minutos de cada jogo em que alinhasse o Macaco - e este é o nome com o qual está inscrito na AF Porto, vejam só. É aquilo que chamam de "jovem problemático"...de 40 anos. É daqueles que tem "atitude", e "não leva desaforo para casa", em suma, como não consegue ordenar as ideias e articular a fala, comunica "com as mãos". É difícil de entender como é que não se encontra detido, ou referenciado como potencialmente perigoso, mas é preciso não esquecer que estamos a falar de outro país - uma "naçone". Vamos lá então ver o que é que este "morcongue" andou outra vez a tramar.


Super Dragões DETIDOS num avião após ATERRAGEM... 发布人 marcos-trindade

Estas são as únicas imagens dos alegados distúrbios ocorridos no voo da Turkish Airlines onde viajavam 30 adeptos do FC Porto, que foi notícia - e isto é terrível - por ter feito uma ATERRAGEM DE EMERGÊNCIA em Roma! Sabem qual foi a primeira coisa que eu pensei quando soube desta notícia? "Coitados dos outros passageiros". Mas aí está o que me deixa meio intrigado; num fim-de-semana onde ocorreu mais uma lamentável tragédia, com um avião que fazia a ligação entre o Egipto e a Rússia a partir-se no ar vinte e poucos minutos depois da descolagem, e existindo fortes suspeitas de atentado terrorista, acontece isto? Será o critério dos pilotos assim tão variável para tomar uma decisão desta envergadura, que causa um sem número de transtornos, desde a óbvia interferência na agenda de centenas de pessoas, até deixar um dos maiores aeroportos da Europa em alerta, sem saber exactamente os riscos que se estão a correr? Isto é de loucos. O que fizeram estes tipos para que chegasse a um extremo destes?

Segundo o "Macaco", que "por acaso" era um dos passageiros (coincidências...), o que aconteceu foi..."nada de especial". O líder dos Super-Dragões deu a sua versão dos factos, e aqui subentende-se que terá deixado de fora os factos que considera "menos abonatórios para a imagem dos envolvidos", ou como se diz fora do mundo da marginalidade, "incriminatórios". Coisas que se aprendem com a prática, pois afinal são anos a passar noites na esquadra, de idas ao Ministério Público, de contacto com advogados, esses "mágicos" que tiram da cartola este tipo de "inocências". Portanto, conta ele que um dos morcões "estava a dormir", até a hospedeira "bater-lhe com o carrinho na perna", ele acorda, e "diz umas coisas talvez pouco simpáticas". Portanto, aqui as coisas "talvez pouco simpáticas" a que o "Macaco" se refere, convertidas ao câmbio actual das pessoas normais, só posso supor serem insultos com obscenidades de fazer o Bocage corar de vergonha, mas agora a dúvida que persiste como uma peça que falta neste puzzle é a seguinte: sendo a hospedeira uma turca, cuja língua materna é o turco, e que mesmo que entenda um pouco de português não deve fazer a mínima ideia do que significa coisas como "aiocaralhoófilhadaputaquetarrebentaconatoda", e outros deleites, não turcos, mas da Ribeira do Porto. Mas não é tudo, pois segundo o "Macaco", a panela das tripas só ficou entornada quando um dos passageiros, "um turco" (normal, atendendo às circunstâncias) "tomou-se de dores pela hospedeira". Ui, o que deve ter ido por ali. Se calhar o "Macaco" omitiu partes da acção que para ele "não têm importância", como por exemplo algo que possa ter acompanhado as tais "coisas pouco simpáticas" que foram ditas, do tipo "acenar um objecto pesado e/ou contundente de forma ameaçadora ostentando um ar possesso e tresloucado", e outras coisas que para ele são "nada de especial", mas que para o resto podem querer dizer "perigo de vida". Eu nem quero imaginar como serão os pesadelos desta criatura.

Mas pronto, isto sou eu apenas a especular, pois tudo o que vemos no vídeo é a polícia italiana a entrar no avião, não há sinais de destruição em redor (se bem que o filme é uma cagada, e o gajo que filmou aquilo devia ter 8 anos, ou estava bêbado), e os diálogos que se escutam não dão a entender que se tenha passado algo tão grave que fosse necessário proceder a uma aterragem de emergência. A Turkish Airlines, que já afirmou ir proceder judicialmente contra os passageiros, não adianta muita coisa quanto às razões que justificam uma medida tão drástica, mas sabe-se que os adeptos "entoavam cânticos", e o piloto acho "não estarem reunidas condições" para prosseguir com o voo até Istambul. Estariam a cantar assim tão mal? Tudo o que escutamos no vídeo é a bófia a falar com um dos detidos, "Mamma Mia, lo formaggio e importante pero lo mas importante e la massa", e o morcão confuso, muito indignado com o pedido das autoridades para que o acompanhem: "Eu-e? Eu-e? Oi! Bou unde? F...-se, num bou". Ainda segundo o "Macaco", os quatro adeptos do FCP "não ficaram detidos", e depois de prestarem declarações na esquadra, "apanham outro avião para Israel", e pior do que isso "vão gastar mais dinheiro do que já gastaram". Coitadinhos! Esqueçam lá o transtorno que foi para os restantes passageiros, a apreensão das famílias que os aguardavam em Istambul ao saber que o voo foi desviado, e sem saber porquê, ou do estado de tensão em que devem ter ficado as autoridades de aviação italianas, que não contavam com esta - os meninos vão gastar mais dinheirinho, buhuhuh.

O que mais se surpreendeu em tudo isto nem foi o comportamento destes indivíduos, de que se contam outros episódios semelhantes, e com as hospedeiras como alvo preferencial. Nem é preciso um Freud para racionalizar as razões de ser de mais esta "barracada": marginais anti-sociais confinados durante horas no mesmo espaço que outros que não da sua laia, entre estes mulheres, que ainda por cima representam uma espécie de figura de autoridade. Zás! Nem o cão de Pavlov reagia tão prontamente aos estímulos. O que mais me causa estranheza é o facto de adeptos do FC Porto terem viajado para a Turquia, e logo numa companhia turca, ou seja, DOS MOUROS! Que diabo, não havia passagens noutra companhia e com outra escala lá na agência de viagens que assaltaram? Se calhar estavam com pressa, pois já se ouviam as sirenes da polícia, e precisam de se meter no "baículo" e dar de frosques. Fica é difícil fazer o mesmo quando a bronca estala num avião a dez mil pés de altitude - a não ser que se considerem literalmente "super-dragões". Não posso deixar de pensar perante este cenário que se o voo tivesse partida de Lisboa, a brigada Mata-Mouros não chegava a embarcar, quedando-se pela Portela, após serem ditas "coisas pouco simpáticas".

Agora como se isto não chegasse, os portadores do vírus da clubite das restantes denominações que abrangema a maioria dos portugueses - Benfica e Sporting - não conseguiram ficar quietos e calados, que seria a única saída honrosa perante esta notícia - "comentar" é sempre uma opção infeliz, como ficou aliás provado com o que vou mostrar a seguir. Recordo que os adeptos do Benfica foram recentemente notícia depois de um grupo deles que assistia à partida Atletico Madrid-Benfica no Estádio Vicente Calderón, na capital espanhola, ter atirado uma tocha acesa para uma bancada, não atingindo por pouco uma criança. Ah sim, e têm lá a sua versão do "Macaco". Este:



Enquanto o "Macaco" se pode considerar uma vítima de "socialização adquirida em meio degradado", este Paulo Parreira, o adepto mais famoso do Benfica, é o produto do acasalamento de primos direitos. Há ainda o Barbas, esse ícone cuja aparência faz jus ao nome e que por uma razão alheia à lógica e ao bom senso prefere ser mais conhecido como adepto do Benfica do que pelas caldeiradas de marisco do seu restaurante na praia da Caparica. O Sporting, por seu lado, tem uns adeptos que ainda vão conseguindo manter alguma dignidade, o que nos pode levar a formular uma hipótese interessante: o histrionismo dos adeptos de futebol é directamente proporcional ao sucesso do seu clube. Mas de quando em vez os "lagartos" surpreendem-nos, e por um nanosegundo quase que ficamos a pensar que ganharam as últimas duas ligas dos campeões, pois ainda no lamentável e vergonhoso caso da tripalhada à turca, tivemos isto:


Não entendi muito bem como é que isto aconteceu, mas aconteceu: um dos elementos Super-Dragões que "entrou em despesa", coitadinho, por se ter armado em parvo, "é amigo de Carrillo". Não, quanto a esse "carrillo" não sei, mas aquele a que me refiro é um extremo peruano que um dia acordou e percebeu que estava no Sporting. De pouco adiantou, pois tem mais tempo de contrato, e não pode blá blá blá. Ora aqui vemos o tal Carrillo a trocar mensagens com o adepto portista no Instagram, e aparentemente esta rede social permite que qualquer veja as mensagens? É isso? E neste caso nem é preciso estar na lista do "morcão", porque não-sei-quem teve a cortesia de divulgar uma conversa entre estes dois, onde muito discretamente, qual hipopótamo disfarçado com um lenço de assoar a penca, o adepto do Porto sugere que Carrillo "vai jogar para o Porto". Por acaso isto é uma merda que não tem porra nenhuma de interesse, mas imaginem que o tripas andava a combinar festa rija com o carrillo do Carrillo? Claro que os adeptos do Sporting urdiram as maiores teorias da conspiração que se podem imaginar. Foi para aparecer, no fundo - quem é quer um Carrillo que já esteve no Sporting? Ah, mas não é tudo:


Os benfiquistas também quiseram entrar na festa e começar a grunhir "elá, elá, grunk, esse é o nosso homem,  ó andrades, tirem as patas, groink, groink". Ali no meio vemos Toto Salvio, jogador argentino do Benfica, que está em Roma a recuperar de uma operação ao joelho, e do seu lado estão...dois dos adeptos do Porto que viajavam...já sabem, e o jogador precisou de explicar esta fotografia, como se alguém tivesse alguma coisa a ver com quem ele anda!  Mas há uma coisa eu não entendo: ou estes gajos conhecem TODA A GENTE, ou agora é perfeitamente normal encontrar "craques" da bola em qualquer sítio onde se vai, e se mandarmos um pedido de amizade ao CR7, Messi, Neymar, etc. eles não só aceitam, como ficam horas a conversar connosco! É o máximo. Ah, e não se esqueçam: se forem adeptos de um clube não podem ser amigos e conhecidos de um jogador de uma equipa rival, senão os Brunos Carvalhos e todos os outros Carrillos deste mundo cada vez mais intrigante (de "intriga": é só intrigas) não gostam. Depois não se admirem se vos vierem dizer "coisas pouco agradáveis", como fez o amigo do "Macaco", o chimpanzé mais novo. Eu-e? F...-se!


1 comentário:

Pedra do Sertão disse...

E no final da leitura, deixo um desafio:


E no final de tudo, quem vai lavar a louça?
Para saber a resposta, precisa passar no blog Pedra do Sertão...
http://www.pedradosertao.blogspot.com.br/2015/11/mulher-pos-prova-do-enem-2015-quem-tem.html