terça-feira, 21 de outubro de 2008

Parabéns, João Severino!


Hoje gostava de dedicar algumas linhas ao jornalista João Severino, um homem que conheci em Macau, que passou aqui quase duas décadas e cujo currículo precede. João Severino ficou mais conhecido como o último director do Macau Hoje e um dos fundadores do seu sucessor, o Hoje Macau, que ainda existe. Severino é um homem com que é fácil conversar, trocar ideias, fazer amizade.

Falei com ele em algumas ocasiões, ele não sabe o meu nome e provavelmente não se lembra da minha cara. Mas não o censuro, as impressões fazem-se assim mesmo, e com a facilidade com que Severino comunica e traz pessoas ao seu mundo, seria muita soberba minha esperar que ele se lembrasse de mim.

É um homem gentil, educado, com um refinado sentido de humor. Amante do desporto motorizado, era uma figura ímpar no GP de Macau, dando-lhe uma vida e um significado ao ponto de ainda hoje se sentir que há ali um espaço que ficou por preencher. Amado por miúdos e graúdos, lembro-me bem dos seus últimos tempos na Rádio Macau, ou nos tempos em que era director do MH, em que abrir aquele diário era uma verdadeira caixinha de surpresas.

Muitos não gostaram (ou perceberam) o seu estilo directo, polémico no bom sentido, de quem está sempre pronto a ajudar quem precisa ou a dar a cara pelas mais variadas causas. Um marido sempre apaixonado e fiel, um pai dedicado e amigo dos mais novos, que tinham sempre um largo sorriso para lhe oferecer. Um homem que apesar do seu status soube sempre escutar os mais fracos e comportar-se entre os maiores. Um homem simples, no fundo.

As razões que levaram Severino a deixar Macau são por demais conhecidas, e não interessam para nada. A sério, não dão mais nem menos valor à pessoa, são um fait-divers, e pessoalmente estou-me nas tintas. Atire a primeira pedra quem nunca errou. A imagem que guardo do João Severino é a do homem com o gravador ou microfone na mão, sempre em busca da notícia, ar sério decorado por um bigode farfalhudo, a sua imagem de marca. Um jornalista "à antiga".

Severino voltou há um ano com Pau Para Toda a Obra, um blogue que imediatamente se tornou uma referência (o único que tem presença a 100% na rubrica "Os blogues dos outros"), e que sigo atentamente, como já fazia com o seu trabalho no território. O regresso de Severino foi uma óptima notícia. Quase 5 mil posts, mais de 75 mil visitas, numa cobertura exaustiva da actualidade. Não lhe quis deixar uma mensagem de "parabéns" no seu blogue, pois isso não chega. O que lhe desejo através desta pequena e singela homenagem é a continuação de um bom trabalho, e que nos continue a fazer companhia por muitos e bons anos. Um abraço.

26 comentários:

joão severino disse...

Grande amigo Leocardo

Você foi quase o responsável pela vinda do 112. O coração quase não aguentou. As lágrimas ainda não cessaram e as suas palavras são de uma ternura e amizade infinitas. A sua justiça foi a única que me fizeram em 60 anos de vida.
Sinceramente pelos seus escritos já dei por mim a imaginar quem seja, mas lamento muito, mesmo muito não saber que é você. Digo-lhe amargamente que ficarei muito triste se não vier a saber a sua identidade. Apelo que me envie um e-mail para o endereço do blogue dizendo-me quem é e, desde já, juro que o segredo ficará entre nós, mas eu tenho de tudo fazer para um dia dar-lhe um abraço. As maiores felicidade para si e para todos os seus.

Leocardo disse...

Ficará a saber quem sou um dia, eu sou eu que lhe digo pessoalmente. Mas posso jurar-lhe a pés juntos que o nome não lhe diz nada. Um abraço!

Anónimo disse...

O Leocardo ia matando o homem! Sr. João Severino, O Sr. Leocardo vai dizer-lhe ao ouvido quem é. É um priviligiado! Quanta honra!

Anónimo disse...

O grande premio de macau sem o Severino nao vale absolutamente nada, se o costa antunes fosse esperto iria busca-lo todos os anos, ainda mais porque o andre couto ainda corre, ainda me lembro de ouvir-lo quase arrebentar o microfone e nao deixar nem o chines nem o ingles falar. "o principe de macau" cada vez que o andre passava na linha da meta.

nesse tempo (e o severino nem deve saber disso) havia pessoal que ia ao grande premio para ver os acidentes e ouvir o joao severino o resto nem queriam saber

tenho pena que nao possa voltar a macau, aquele abraco

Anónimo disse...

O Joao Severino foi o melhor jornalista que a Radio Macau teve, no tempo dele havia noticias recambolescas, concursos, ele investigava e procurava sempre coisas engracados e diferentes pra noticiar, ele promovia a Radio Macau como nenhum outro fez, as pessoas ficavam agarradas á radio pra ouvi-lo e rirem-se das piadas, da forma singular como ele transmitia as coisas, os sons as musicas que ele trazia e as historias que ele contava por traz de cada musica que encontrava, um senhor da radiofonia.

hoje em dia poem o cd e vao tomar cafe', sem piada sem chama, excepcao seja feita ao catedratico Helder Fernando, mas nao pode estar la'as 24 h.

embora o jornal tenha dado outra projeccao ao Joao Severino acho que este homem de toda a obra deveria fazer radio sempre, foi o melhor das suas profissoes

Anónimo disse...

quem nao se lembra do anuncio
"um branco de carapinha ou um preto de cabeleira loira nao é natural" hehe
saudacoes

Anónimo disse...

e o Areias ? que saudades !

Vistoriano disse...

João Severino, não se iluda muito com os anonimatos de serviço. Vc deu sempre a cara, com coragem, elogiando ou criticando negativamente, não deve ir em conversa mole de anónimos que o gozam à socapa.

Anónimo disse...

Quase fui às lágrimas. Que texto pungente! O Leocardo é um companheiro. Que post! Dos piores que já li neste blogue! Não questionando a honestinade e rectidão do sr. João Severino, pessoa que não conheço (ao contrário do Leocardo que parece que o conhece intimamente, mas tem a certeza que o sr. João Severino não se lembra de si), mas passagens como esta "...Um marido sempre apaixonado e fiel, um pai dedicado..." Ridículo! Ó Leocardo deixe-se disso! Nem parece seu. Ou será que há algo mais? Como leitor diário do Bairro, fiquei desiludido.

Leocardo disse...

O que eu achei ridículo foi o comentário. Há algo mais? O quê? E acho que a primeira parte do seu texto era aquela coisa nova que se chama sarcasmo. Se não gosta coma menos.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Tinha que vir um esperto qualquer falar mal

Topam-se Logo disse...

Cá pra mim parece um exercício de gozo, os elogios pungentes ao jornalista Joao Severino. Como os autores do blog lhe conhecem a sinceridade e espontaneidade, devem estar agora a gozar que se fartam com os agradecimentos do Severino, que como pessoa de bem nao percebeu. Lamentável.

Anónimo disse...

Leocardo, agradeço-lhe a atenção que dispensou ao meu comentário. Comentário esse que não foi do seu agrado. Como não foi do meu agrado o seu post. Continuarei a visitá-lo, mas sem comentar, a não ser que concorde consigo, não é?
Desculpe não o bajular!
Hoje vou comer menos!

Cumprimentos!

Leocardo disse...

Não gostei nem deixei de gostar. Quer dizer, o senhor tem toda a liberdade de criticar o post, e eu não posso criticar o seu comentário?

Cumprimentos

Anónimo disse...

Tinha de cair aqui o vómito do Severo Portela.

j.c.v. disse...

Anonimo das 6:47

Entao voce diz que nao conhece o Severino e depois diz que foi o pior post do Bairro e entra na dúvida da vida matrimonial e paternal do homem. Palhaço!

Anónimo disse...

Há pessoas que não entendem o que lêem. Ou então não querem! Mas não devem ser considerados palhaços.

Anónimo disse...

aposto que o vitinho esta aqui disfarcado...

Anónimo disse...

Haja paciência!

Anónimo disse...

Humildemente lhe digo que me parece que não leu com rigor o meu singelo comentário, pois se assim não fosse, o j.c.v. não teria escrito o que escreveu. Critiquei o texto do Leocardo e não o Sr. João Severino. Quanto ao elogio que me dirigiu, manda a boa educação que lho retribua: Palhaço!

leitora assidua disse...

Fico muito satisfeita. Este homem ainda é grande. Passado tanto tempo ainda provoca 20 comentarios.

Anónimo disse...

Vinte não, vinte e um! Aliás, vinte e dois!

Anónimo disse...

Que dupla... leonardo e faustino...

Anónimo disse...

Criminoso!

Sérgio lemos disse...

Claro sem dúvida uma pessoa sem medo, eu quem o diga, tive o prazer de trabalhar 1 ano no seu jornal MacauHoje, e a palavra LIBERDADE, constava naquela redação. Boas fotos trabalhadas que fiz, com muita ousadia e sem medos.
Cumprimentos
Sérgio lemos

fernandopires@megamail.pt disse...

vêm para o blog dizer que conhecem o grande jornalista joão severino,mas no fundo não o conhecem,se o conhecessem naõ escreviam em anonimato,pois ele deu sempre a cara por todas as causas ,mesmo que a partida estariam perdidas.a diferença de ele "joão" e de vocês que sempre o criticaram por de tras e pela frente desvaneciam-se em elogios e enaltecendo-o com cumprimentos descabidos e com sarcasmos como só eu e mais alguns amigos que ele têm de verdade, criticavam-lo e alertavam-lo para a hipocrisia de alguns farçantes que na aquela altura em macau lhe poderiam dar a mão, não so´ não o fizeram como quiseram ver pelas costas e fora de macau,a ele e a mim,mas eu sou um caso á parte e não é com duas tretas que hoje me vém cumprimentar por que eu como o joão tambêm passei um mau bocado,tambem tabalhei com o joão severino no macau hoje e resta-me dizer, que em portugal como isto está ,já mercia um orgâo de comunicação social,desmascarando toda esta actual farsa, deste (des)governo actual.joão, voltei e estou tratado e com uma lúcidez para apreciar e observar esta crise,que só agora é anunciada,pois ela vinha a ser adiada com outros nomes.um grande abraço fernando pires.