quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Domage!


Os franceses, esses europeus por excelência, sempre prontos a resolver todos os problemas da Europa e sempre com uma palavra a dizer quanto aos problemas do mundo, estão aflitos. Em causa está um jogo particular que realizaram na última terça-feira no Stade de France, em Paris, contra a ex-colónia da Tunísia. Ora os franco-tunisinos, alguns nascidos em França e com os mesmo direitos que qualquer outro cidadão francês, não gostam da Marselhesa, e assobiaram o hino francês antes do jogo. Os franceses gritaram "Domage!" e acham que a França não devia disputar mais particulares com ex-colónias. Uns 20 países na África e na América Central que os franceses dominaram e escravizaram durante séculos. Se calhar o melhor que faziam era mesmo ter ficado em casa durante as descobertas.

4 comentários:

Anónimo disse...

Espere uns anitos até ver os africanos que vivem em Portugal a fazer o mesmo.
Ou os portugueses em França.

Isto é pouco mais que um caso de má educaçao de jovenzitos armados em parvos.

E é um bocado forçado estar a dar liçoes de moral aos franciús e á sua historia colonial por causa disto
O que é que os portugueses andaram a fazer no mundo?
Tambem não escravizaram e exploraram tal como os ingleses, os franceses e outros?
Para que é que as naçoes constroem imperios?
Não será para tirarem proveito disso?
Não somos nem melhores nem piores do que os outros nesse aspecto.

Leocardo disse...

Pois é, só que quando se dão direitos iguais aos cidadãos, independente da sua origem, estes têm o direito de se expressar da forma que quiserem no seu país. Se for um francês branco e filho de franceses a assobiar o hino já está tudo bem? Agora pensam em voltar atrás? Tarde demais.

Hugo disse...

É uma tremenda vergonha assobiar o hino de um país,ainda por cima quando este foi o país que os acolheu.

Anónimo disse...

Ora cá está a altura certa para dizer a frase que por aqui tantos odeiam: "Tunisinos, se não gostam, por que é que não vão para a vossa terra?". Ah, já sei, isto não se deve dizer e tal...