quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Portugal Unido...é isto?


AHAHAH HAHAHAHA HAHAHAH AHAHAH. Desculpem, mas...AHAHAHAH! Ainda não consegui parar de rir da página do Facebook "Portugueses Primeiro - Portugal Unido", que inicialmente me deixou ENOJADO com o aproveitamento do nome e da marca Portugal, e se alguém se identificar com este "Portugal"...bem, eu ia dizer "não continue a ler", mas desconfio que ler é uma coisa que este tipo de gente não faz. Na página em questão vi comentários onde a ignorância é levada num andor às costas pelo Papa dos Analfabrutos. Juro, e isto para não falar do uso de uma linguagem que me deixou com náuseas, e eu nem sou desse tipo de coisas, mas se há alguma coisa em que são criativos, é em obscenidade, vulgaridade e todos os "ades" que normalmente se usam para descrever o comportamento e a forma com que falam as pessoas que não tiveram...olha, escolaridade! Agora a parte mais emocionante, AHAHAH AHHAHAH. Aii...desculpem mas só de pensar no que aí vem, desmancho-me em gargalhadas. Dizia eu, o material que estes humoristas acidentais me facilitaram é tanto e de tão alto calibre, que terei que o dividir em dois artigos, e o primeiro é dedicado a uma entrada no dia 16 de Novembro, uma espécie de "manifesto" anti-Schengen e pró-burrice. É possível que alguns dos leitores possam desconfiar de alguma arrogância da minha parte, mas por favor, para entender que isto é DE ARREPIAR basta ter o ensino obrigatório, ser alfabetizado e uma destas três opções: desfolhar um jornal diário decente (agora convém deixar isto bem claro)/ver 10 minutos de noticiário na televisão/Cinco minutos diários de contacto humano. E vá lá sem preciosismos, que o que vem aí do outro mundo.



Ah, nem eu diria melhor: É IMPORTANTE QUE LEIAM ISTO ATÉ AO FIM. Ele não vos diz porquê mas eu completo: PORQUE ISTO É AQUILO QUE AS PESSOAS QUE FAZEM CHINFRIM COM ESTA BRINCADEIRA DOS REFUGIADOS ACREDITA. Eu não costumo generalizar em nada, mas tenho sido bombardeado todos os dias com tanta parvoíce, mesmo que evite ir a sítios onde a parvoíce abunda, que estou mesmo decidido a abrir esta honrosa excepção. Não, não lhe chamemos excepção, mas antes "evangelho da burrice". E isto começa logo bem: existe um grupo de pessoas "pró-refugiados". Esta ideia é de uma retardação tão profunda que não consta nos anais nem nos vaginais da psiquiatria ou da parapsicologia. Quem é a favor de que pessoas fujam das suas cidades ou países para serem recebido no deles? Esta gente fala de "refugiados" como se fossem uma raça qualquer de rinoceronte que eles receiam que lhes atravesse o bananal ou algo do género. Se isto é provocação a alguém, não sei, e acabei de explicar porquê, e se é uma forma de cativar alguns indecisos (leia-se "ignorantes"), se estes forem na conversa, epá, problema deles. E não estou a ser cruel nem nada, pois não acredito numa maioria de filhos de primos direitos ou de mães que chutavam para a veia para assumir que já ficou esquecido aquilo que a História nos ensinou, e à custa da vida de milhões de inocentes. 


A seguir temos o buzinho da ordem, para assustar os bebés com o papão do ISIS, e em jeito de aviso recorda que "a ISIS e outras" são "organizações do século XXI". Inicialmente pensei que ele queria avisar que no caso de pensarem que era Gengis Khan ou Billy the Kid que vos atacava se lembrassem que na verdade era a ISIS, mas depois com aquela referência ao facto de saberem usar as redes sociais, podiam pensar que era o vosso avô na brincadeira. E logo ele que passa os dias a jogar dominó com os outros velhos à porta da taberna e despreza a tecnologia por não saber usá-la. Aqui há um aspecto que se calhar eu não devia abordar com tanta ligeireza, pois de facto as redes sociais podem servir para grupos terroristas NÃO IMPORTA DE QUE RELIGIÃO OU IDEOLOGIA para recrutar seguidores. Se serve para enganar velhinhas e punheteiros, mais aqueles tipos que pensam que o dinheiro cai do céu, porque não para convencer putos ranhosos que são sacos de pancada dos outros todos a irem rebentar com a escola deles, e lá vão todos com os cães e mais ninguém bate em mais nada? Não posso é acusar este de outra coisa senão estupidez em 1º grau, pois "enquanto os jihadistas estão a combater", ficam as "NOIVAS ISLÂMICAS" em casa a recrutar. Sim, eu disse "recrutar", e não "costurar". Até é fácil de imaginar a cena: Abdul chega a casa depois de mais um dia em que levou a cabo com sucesso quatro atentados suicidas (ah!), e pergunta a mulher  "quantos soldados recrutou", e de seguida "o que há para o jantar". Ela responde "dois" e "couscous" - e é sempre couscous, às vezes com outra coisa a acompanhar. Ah, e agora aquela última parte é que capaz vos deixar meio desconfiados, porque....AHAH claro que não só se forem retardados, porque só assim vão pensar que eu sou uma noiva islâmica a tentar a minar a credibilidade deste gajo. O preocupante é ele acreditar que tem alguma! Ai...já nem consigo rir mais. Quando bastava dizer "os que não estão a combater", lembra-se de complicar com "noivas islâmicas e outros".


Depois continua com as teorias da conspiração do costume, tirada daquele livro "Faça a sua própria teoria da conspiração", que basicamente ensina a meter entre outras palavras como "lobby", "negociata", "interesses económicos", "grupo financeiro", tudo a mesma treta. Fiquei foi com larica depois daquela primeira parte, "galinha"..."arábias"....hmmm...o que é que as arábias têm a ver com isto para ele mencionar ali "literalmente" é que não faço mesmo ideia nenhuma. Depois aquela "meditação" que nos pede para fazer é francamente estúpida, e polvilhada com uma boa dose de etc. Se os refugiados fossem mesmo terroristas, a profissão que eu escolhia daquelas seria "motorista" - desde que não fosse de um veículo armadilhado, lá está. O mais curioso é que aqueles dois pontos nem são da autoria deste gajo, mas antes retirados de um vídeo inglês, onde aparece a sua versão "bife", tão ou mais idiota que ele que podem ver aqui. Não é por ser em inglês e com aquele sotaque to "brites" que deixa ser uma macacada cósmica. Eu queria arriscar que isto é obra da extrema-direita, mas neste caso teria que ser forçosamente  a extrema-direita do ensino especial. 


"Por fim há pessoas que são facilmente influenciáveis" - sim, infelizmente há, como vamos ver lá para o fim deste artigo. Mas reparem na desonestidade, não, na sabujice deste conas, ali a sugerir que as campanhas no FB do "Je Suis Charlie" e a mais recente com a bandeira da França na fotografia de perfil eram alguma declaração de guerra. De facto foi por causa de palhaços como este, que não entenderam o carácter solidário dessa acção (eu não adiro por considerar inconsequente e seguidista, desculpem), que muita gente mudou logo para o foto não editada. E não, essas pessoas não discurso de ódio nenhum, ó caramelo, podia ser sim que estivessem revoltadas, o que é normal e aceita-se. Ódio, ó meu grande palerma, é aquilo a que tu incitas, é crime, e do topo da tua cobardia recusas-te a dar a cara, mas prepara-te para apanhares um cagaço, e é ainda hoje. Mas terminemos com boa disposição e alegria: "aquelas pessoas têm sérios problemas de personalidade". AHAHAH AHAHAH AHAHAH AHAHAHAHAH!


E claro que o tipo andava em pulgas para meter o Islão no seu todo ao barulho, só que aqui a religião fundada por Maomé sai a ganhar - já pensaram quanta gente se foi converter quando soube que este caramelo a odiava? Ficamos a saber que o Islão é como o karate: aprende-se para nunca se aplicar. Mas o que meu deu mesmo vontade de rir foi aquela da "homegeneidade de opinião". Que merda é essa? Ora, quer dizer que nas restantes religiões existem correntes de pensamento diversas. No Cristianismo, por exemplo, há quem acredite que existe um só Deus, outros defendem a existência de três, e há ainda aqueles que adoram um Deus com três pernas e duas cabeças! É a diversidade. Coitado. Aquela dos "comportamentos dos muçulmanos" trás água no bico, pois com toda a certeza ele não se estará a referir a coisas como dormir, comer ou andar com duas pernas. Depois remata com duas patifarias em uma; na primeira diz que as outras religiões "teriam críticos" caso se "comportassem" como o Islão, que por sua vez....ninguém repensa! Ah!


Agora bem vindos a uma aula de teologia (com todo o respeito, desculpe sra. teologia) onde a primeira coisa que ficamos a saber é que "não existe Islão moderado" ou segundo ele "islamismo", que implica sempre uma febre superior a 40º. Ninguém disse que existia, e lá está outra vez a tal "pescadinha de rabo na boca" usada frequentemente por pessoas como Marine Le Pen. A seguir diz que o muçulmano "tem obrigação de seguir os mandamentos do Al-Corão" (que diabo, porque não Corão ou Alcorão?), e de "outros livros sagrados". Vê-se que este tipo quando se salvaguarda nos "outros" e nos "etc", pois caso no Corão não encontrem nada, ele diz que os gajos são terroristas porque foram-lhe ao cu aos três de cada vez e isso está nos "outros livros sagrados" - atenção: sagrados. Terrorismo. Pois. Mas o que mais me intriga é a referência a uma enigmática "minoria não muito significativa", que o oposto de "esmagadora maioria insignificante", e anda mais ou menos pela "maioria relativamente minoritária". O momento alto é sem dúvida quando nos manda "consultar o Google", pois não quer "alongar a publicação". Claro, claro, não foi por ter metido os pés pelas mãos, que é o que acontece a quem fala do que não sabe, e a este ponto estarão a pensar que mais valia procurar tudo no Google. Sim, mas isso - e segundo a "vox populi" - ia denunciar os horrores do Islão. Aqui é muito mais divertido, e até naquela última parte, em que volta a insinuar que os islâmicos estão "programados". Se o Islão é violento é por culpa de pessoas como esta.


E pronto chegámos à altura das exigências desta manifesto, que é também a sua parte mais alucinante. Portanto, a malta quer é paz, nada de violências, fecha-se e fronteiras e suspende-se (!) o Espaço Schengen. Esta sugestão faz-me o cerco de Waco, onde David Korash se imolou juntamente com o seu culto. Só falta ali mesmo uma referência a gasolina ou outro líquido inflamável. Depois como tinha ficado já muito tempo sem perder mais credibilidade, resolve mentir dizendo que a religião islâmica é "ilegal em muitos países europeus", e a expulsão de quem "desrespeite os padrões civilizacionais do país onde vive", que é "praticado praticamente (doce cacofonia) em todos os países". Olha, peta mais peta, aqui está uma das máximas da extrema-direita, essa de querer por toda  a gente a cantar a mesma música. Ai vocês pensam que penas de morte e castração química para crimes sexuais é só para islâmicos? Tá bem tá, depois eles dizem que não querem incluir "islâmicos" na lei (e não me admirava nada) para "não serem racistas" e vocês engoliam, pois. Defende a deportação até de descendentes de islâmicos, e no fim, na parte mais surrealista, avisa para o perigo de no futuro as novas gerações "andarem-se a explodir em nome de Alá". Penso que nos casos mais graves acontece no parto, com a vulva a fazer de lançador de morteiros. Pa-lease!





Sim senhor, isto não é extremismo (vêem como ele sabe que é?), é "direito à cultura DELE", f...-se! Fala por ti, man. Agora mais uma mentira que dá pena, afinal, coitado, depois vamos ver como o tipo organiza manifestações onde convoca milhares e aparecem meia dúzia: tinha um grupo no FB com 30 mil membros, mas atenção a isto, "foi infiltrado por "membros pró-falsos refugiados". Epá alguém se importa de dizer ao D. Quixote dos falsos-refugiados que essa merda não existe? Agora quem não quiser apoiar, pode ficar como "simples observador"...."apoiante". Entendido. Outro momento de humor, onde diz que "não é cá de muita conversa" e "são(quem?) CONSISTENTES"! Algo que vou demonstrar no próximo artigo que não só isso é mentira, como os interesses ocultos estão do outro lado. Dupla personalidade é que ele não pode ser acusado de ter, de facto. É sempre assim completamente delirante.

Exacto, como eu tenho vindo a dizer, estes pontos tão democráticos são "contra o extremismo", nada contra os refugiados, que este conhece um por um para vir com aqueles números absurdos, e aquilo que eu penso não ser necessário referir: que são TODOS islâmicos. Uff...claro, então não se recordam que os "falsos refugiados" cristãos foram todos atirados aos tubarões mediterrânicos? Agora, já sei que mais do que as PROVAS da existência de MILHARES de jihadistas entre os "falsos refugiados" (pelo menos nisto mantém-se dentro do personagem), querem ver o "Cavalo de Tróia Islâmico" que vai destruir a Europa não é? Ei-lo:


Pronto aqui está ele. Estão a ver? Estão? Então isso PROVA que existe. Deixarei isso para o próximo artigo, mas agora vamos ver qual foi o "feedback" que este autêntico insulto a ... tudo? Pois, a começar logo pela inteligência. Vamos ver então os apupos de quem se sentiu insultado por tamanha desfaçatez:


Ah pois, estavam à espera do quê? É que nem seria de esperar outra coisa, pois possivelmente qualquer destes "fãs" ia escrever qualquer coisa de semelhante, tal é a pobreza dos argumentos, assentes em nada mais do que "porrada" inter-religiosa, e sem qualquer conhecimento de religião alguma - e os que sabem demais também não se recomendam, se bem esses poupam-se a estes embaraços. Se virem bem o comentário da Genoveva Fazão, pioneira na teoria da linha ténue que separa o petróleo do genocídio árabe, a diferença entre esta retórica e o "cortar a cabeça dos fiéis" é praticamente nula. Daí que tenho sofrido imenso do cabelo ao ver os PATETAS das religiões às turras, produzindo as maiores alarvidades possíveis e imaginárias, quando no fim o que vai contar é a lei civil, no caso de ser preciso responder perante a mesma. Eu queria ver alguém ir a tribunal responder por homicídio vestido de cruzado e alegando ter sido "Deus" que lhe encomendou a tarefa. Olhem que esse é um daqueles casos em que a única testemunha abonatória esquiva-se de comparecer, e isso vai ser mais do apenas "lixado" da parte dela (da testemunha, entenda-se). Mas espera lá, aquele personagem ali em cima com feições franquensténicas a avisar para perigo pior que os terroristas que dá pelo nome de "jornalista da SIC" não me é estranho. E o nome Manuel Cruz é também familiar.


Erm, familiar salvo seja, que nem se fossemos mesmo descendentes de Adão e Eva seria eu de alguma forma aparentado com aquele indivíduo tão sinistro. Este é o tal que poucos dias depois dos atentados estava farto do cadáver da criancinha e queria "uma adolescente". Não sou eu quem eu diz, mas ali o pederasta necrófilo.


E vejam vocês o que vai para aqui, qui ramede! Este tipo é um cobarde extremamente perigoso. Desarmado e cagarolas, imputa responsabilidades de "acontecer mais uma vez" (suponho que um atentado) ao presidente da Comissão Europeia, por este não estancar por completo a vinda dos refugiados só porque este gajo quer. Quem é que arranja uma camisa de forças para este cromo, um saco de serapilheira, uma pedra bem pesada e um rio bem fundo? 


Mais nada deveras, Patrícia Barreira. Não acha um pouco, hmm, impossível as pessoas abrirem os olhos depois de serem "bombardeadas em casa"? E aqui inaugura-se a modalidade predilecta desta gente: DESEJAR QUE ACONTEÇA UM ATENTADO TERRORISTA EM PORTUGAL APENAS PARA TEREM RAZÃO - e mesmo assim estariam errados. Vou provar aquilo que afirmei agora mesmo no próximo artigo, portanto aguardem, e possivelmente alguns estarão agora a pensar: "mas isto foi no fim-de-semana depois do atentado em Paris, a que se seguiram mais alertas, portanto estas pessoas merecem um desconto". O que digo a este respeito é NÃO! Estas pessoas são más como as cobras, e na eventualidade de naufragarem e irem parar a uma ilha deserta com qualquer uma ela é capaz de vos matar logo, só para resolver o problema das refeições nos primeiros dias. Esperem pelo próximo LOL!


2 comentários:

Ivan Baptista disse...

Ora vivas Sr. luís, então , tudo porreiro ? :^)
Ora vim do Blog do FireHead e fiquei logo com curiosidade de o conhecer .
Pelo que eu li sobre si, parece que é muito provocador e incendiário , e parece que isso se confirma aqui ao ler este e um outro artigo seu, parece que sim, fiquei esclarecido sobre isso !
Venho já dizer que vim pacificamente apenas como um "aventureiro acidental" da blogosfera, sem ter nenhuma intenção de fazer uma cruzada (anarquista, esquerdista, centrista, direitista, crente, ateu, agnóstico, etnocentrista, relativista, multiculturalista )não sei bem o quê .
Venho só e apenas, como curioso .

Sem o conhecer o suficiente bem, verifiquei que por aquilo que parece, anda a utilizar os comentários das outras pessoas sem o consentimento destas ( parece mais isso ) no seu blog !
Falando delas com duras criticas á forma como se expressam de diferentes opiniões, seja nas falhas de erros ortográficos, ou por aquilo que é no seu entender, imoral e ou errado, do parece mal :/
Ok, se este é o seu blog, é onde pode usar o seu espaço para a carnificina total, parece que é onde se pode aplicar aquela frase feita de, " gostos não se discutem.. mas evitam-se " .

Por exemplo, não sou nenhum santo, mas quando atiço alguém, dou na maior parte das vezes a oportunidade de feedback, porque acho que até nisso, se aplica nas redes sociais .
Cá para mim, liberdade de expressão não me parece que seja o Bullying gratuito estilo little brother :(
Ora é como aquele principio, " não faças aos outros, aquilo que não gostes que te façam a ti " .

Pá, quer dizer, não é necessário colocar as pessoas num mural de parede com o título " Procura-se vivo ou morto " sem que estas não saibam :/
Se é verdade que invade a privacidade das pessoas sem que estas o queiram , então não será melhor meditar sobre o assunto ?
É que pode pois, estar mais uma vez contra aquele outro principio, " se fores igual a eles, poderás ser considerado ainda pior que eles ", ou não ?

Atenção que não sou nenhum devoto pacifista, ou religioso .
Sou só e apenas, um fulano como qualquer outro.. com defeitos e virtudes como qualquer um .

Sem qualquer outro assunto , despeço-me com amizade, e se Deus quiser, até uma próxima, Peace ;^)

Ivan Baptista disse...


Já agora, vejo que o Sr. luís, vejo que é anti qualquer coisa, parece que é anti fascista, ok pode o ser, mas não estará o Sr. luís a ser igualmente um fascista ao contrario ?
É que usa a violência verbal, muito a favorecer um só ponto de vista .
Parece igual á aquela frase de Winston Churchill , "os fascistas do futuro se chamarão a si mesmos como antifascistas "
fonte : ( http://www.ditados.com.br/frases/frases.asp?frase=7364 )