terça-feira, 19 de abril de 2011

Não sejam tão gays


Dalam Botol, o primeiro filme gay feito na Malásia causou indignação neste país muçulmano.

As autoridades da Malásia mandaram 66 jovens muçulmanos identificados pelos professores como "efeminados" para um campo de reeducação, onde vão aprender a não ser tão panascas. Activistas dos direitos dos rabos defendem que esta medida é um sintoma da homofobia generalizada no país de maioria muçulmana, onde a paneleirice é ilegal. Os rapazes com idades compreendidas entre os 13 e os 17 apresentaram-se ontem naquilo que é oficialmente designado por "curso de auto-desenvolvimento". Estes jovens foram indicados por professores que detectaram neles tiques de mariconço, isto segundo Razali Daud, director da educação do estado de Terengganu. Os jovens serão submetidos a aulas de religião, motivação e orientação física (?!). Segundo o senhor Razali, este curso serve para que os jovens "encontrem o caminho do bem", acrescentando que "comportamentos efeminados não são naturais, e vai afectar os seus estudos e as suas vidas no futuro". É o primeiro programa deste tipo em Terengganu, que é tido como o estado mais conservador da Malásia.

3 comentários:

Anónimo disse...

Mandavam os tipos para Portugal,aqui os panascas podem casar,e está cheio de gays.Até para ser gay é preciso não nascer no país errado.Se tivessem nascido em Portugal eram felizes para sempre e iam todos dias para o Parque Eduardo Sétimo ou Conde Redondo

joaomexia disse...

que mandem estas autoridades para portugal

Anónimo disse...

Sim, é mesmo do que Portugal precisava, depois de todas as outras desgraças por que tem passado: de fundamentalistas muçulmanos.