sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz ano de 2011


Gostava de deixar a todos os leitores do Bairro do Oriente um ano de 2011 melhor que o último, o de 2010. Isto é o melhor que posso fazer. Gostava de desejar um Ano Novo "cheio de paz e saúde", como é normal (e já se repetitivo) nesta época. Mas prefiro desejar um 2011 menos violento e menos infeliz que este que agora nos deixa. Em 2010 tivemos um agudizar da crise económica, com reflexos no nosso país Natal, Portugal. Tivemos ainda histórias de coragem, de destreza, de tragédia, de horror, de catástrofes naturais, enfim, os mais pessimistas podiam deixar uma lista como que a anunciar o fim do mundo. Um ano que fica para a História pelas melhores e pelas piores razões, mas fazendo um balanço, mais pelas piores.

Há quem prefira passar o ano num hotel, na praia ou na neve, numa dancetaria, em casa, com os amigos ou com a família, com campanhe, com um fato novo, ou deixem-me arriscar, de entre alguns leitores do Bairro do Orinte, "nas putas". Eu neste dia queria deixar uma grande força aos que passam sozinhos, ou a trabalhar, ou ao frio, no hospital, deprimidos, refugiados no álcool e na droga, sem eira nem beira. Somos nós os mais afortunados, que podem escolher como querem celebrar uma mera viragem de página no calendário.

Mas esqueçamos então por algumas horas a tristeza, e entrar no novo ano ainda por cime num Sábado, que ainda nos vai dar mais um dia de descanso antes da reentrada no campo de batalha, para mais um ano de luta. Eu próprio vou ficar no conforto do lar, com alguns familiares e amigos, e talvez mais tarde demos uma saidinha para respirar o ar de 2011, e quem sabe intoxicar os sensos em algum dos bares da moda. Para todos os mais sinceros votos de um ano cheio de coisas boas.

Aos que partiram em 2010


Aqui no Expresso.

Jerusalem of Gold

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Procrastinação


Procrastinação - é como a masturbação: no início até é bom, mas no fim apercebemo-nos que só nos f... a nós próprios.

Para mim a palavra do ano é procrastinação. Isso mesmo, pro-cras-ti-na-ção. Rola pela língua, é uma palavra linda. Este ano procrastinei bastante, senão vejamos: tenho dezenas de e-mails por responder, centenas de fotografias por tirar, resmas de livros por ler, trompas de música por ouvir, enfim, tudo procrastinado. Mesmo este post era para ser escrito há semanas. Sim, adivinharam. Procrastinei-o.

A procrastinação, que parece assim algo relacionado com a amputação parcial ou total dos orgãos genitais masculinos, é uma doença que se manifesta por um sintoma semelhante à preguiça, só que é superior à preguiça. Às vezes sabe bem procrastinar. Há coisas bastante procrastináveis, aquelas coisas que achamos chatas. Procrastinar é uma forma de dizer "estou-me a cagar", como quando procrastinava a gravação de discos àqueles gajos melgas e cravas do Liceu.

Deviamos adaptar mais a procrastinação ao nosso léxico, porque se repararmos bem, acontece a toda a hora no nosso dia-a-dia. Pensem que refrescante seria renovar, por exemplo, os nosso provérbios populares: "Quem procrastina, não atira pedras ao vizinho", ou "Mais vale um pássaro na mão que dois a procrastinar", ou "Quem muito procrastina pouco aprende", ou ainda "Quem vai procrastinar, perdeu o lugar".

Procrastinação é tão musical que devia ser feita música com tema. Ah, mas esperem, fizeram mesmo. Esta canção dos Fool's Garden é o que há de mais parecido. Talvez o Jorge Palma devesse chamar ao seu próximo trabalho "Procrastinação". Ficava-lhe bem no currículo.

Procrastinar pode ser a desculpa para tudo, e fica sempre bem. "Peço desculpa, mas procrastinei. Não foi de propósito". Mas não vou mais procrastinar o meu sono, uma vez que amanhã é dia 31 de Dezembro, e vou precisar de ir cantar as Janeiras. Amanhã vou tentar trazer notícias, música e coisas divertidas. Um abraço.

PS: Como devem ter reparado, ontem não houve blogue. A actualização foi procrastinada para hoje.

Vai à merda, Alonso


Nunca gostei desse palerma do Fernando Alonso. Um espanhol a ocupar um trono que foi ocupado por grandes pilotos britânicos, brasileiros, Prost, Fangio ou Michael Schumacher não me parece correcto. Estive em Espanha dúzias de vezes e não me recordo de ver os espanhóis como grandes automobilistas (pronto, com excepção do Sainz), parecem-me mais adequados ao desporto nacional (a tourada), e não há marcas de automóvel espanholas dignas de qualquer destaque. Mas quem é que este gajo pensa que é, para chegar ao Porto Santo e ameaçar "falar mal" da ilha se "for incomodado com as objectivas"? Quanto à escolha de Porto Santo para passar o ano, deve ser apenas ignorância; se calhar ouviu dizer que a Macaronésia era um lugar isolado no fim do mundo, bom para escapar da pressão dos paparazzos. O mais ridículo foi quando o asturiano disse que "falava mal de Porto Santo e depois Porto Santo prrrt", fazendo um sinal de polegar para baixo, com aquela tromba de estúpido. Vai à merda, Alonso.

Valham-nos os ingleses


É um bocadinho aborrecido não haver futebol nesta época natalícia, mas têm-nos valido os belgas, e especialmente os ingleses. Ontem concluíu-se a 20ª jornada da Premier League, com o Manchester City a alcançar o Manchester United na liderança do campeonato. O City esmagou o Aston Villa por quatro bolas a zero, enquanto o ManU não foi além de um empate a um golo em Birmingham City. O Arsenal empatou a dois golos em Wigan e perdeu a oportunidade de partilhar a liderança, enquanto o Chelsea chega ao fim do ano em quarto lugar, a 4 pontos dos líderes. Destaque para a derrota caseira do Liverpool em casa frente ao Wolverhampton por 0-1 - aconteceu em 1984, igualzinho, só que em vez do Liverpool campeão europeu de Rush, Souness e Dalglish, este é o Liverpool do Raúl Meireles.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Provedor do leitor (de Natal)


No post abaixo, "Um Dia de Natal em Macau", o leitor AA deixou um comentário onde diz a certa altura que:

"O Leocardo queria que os jornais tugas saíssem para as bancas quando metade da população portuguesa do território nem sequer lá está nesta altura do ano? Bem, escrever para ninguém ler não tem piada nenhuma".

Isto deixa-me a pensar: desde quando o número de leitores começou a ser razão para se fazer um jornal? Estes dias tive pouco que fazer lá no trabalho, mas tenho que ir lá levar o coiro na mesma, porque é para isso que me pagam. Até parece que não aconteceu no mundo nestes dias porque em Macau a malta estava toda de férias e tal. Foi bastante aborrecido passar o dia inteiro de ontem sem nada para ler (a TIME só chegou hoje). Fico ofendido se os jornais não tiveram a mínima consideração para mim e para as outras centenas de portugueses (este ano pareciam mais) que ficaram por Macau no Natal, pois é aqui que têm a família. Não me cabe a mim dizer como se devem dirigir os jornais, mas se o problema era "os profissionais precisarem também de férias", como sugeriu o outro leitor, ficavam alguns a assegurar os serviços mínimos, e para o ano revesavam. Não quero dizer com isto que os jornais deviam sair no dia de Natal, mas quase uma semana sem notícias, quer dizer, é no mínimo bizarro.

Quanto ao comentário a respeito do profissional de informação da TDM encarregado da secção de desporto, gostava de dizer que discordo da parte final do seu comentário. É claro que o Vítor Rebelo é um grande profissional, e é de longe o melhor em Macau. Já ouviu os comentadores do canal Ou Mun? É de arrancar os cabelos.

Boas Festas para si também.

Homem é pai aos 94


Um homem de 94 anos da India tornou-se provavelmente o pai mais velho do mundo. Ramajit Raghav, um agricultor do estado de Haryana anunciou que foi pai de um bebé do sexo masculino no mês passado. A pensão de sobrevivência de Ramajit comprova que ele tem de facto 94 anos, e o médico do hospital local confirmou o nascimento. A sua mulher, Shakuntala, está na casa dos 50 anos, e o recém-nascido chama-se Karamjit, qualquer coisa como "dádiva de Deus". O casal sobrevive graças à pensão de Ramajit e ainda duas vacas que lhes providenciam algum sustento extra. Ramajit deixou a sua casa em Utar Pradesh há quarenta anos por causa de uma disputa familiar, foi lutador de boxe quando era jovem, foi servente na construção civil e nos últimos 22 anos tem-se dedicado à agricultura. Este decano bateu o recorde anterior conhecido, quando em 2007 Nanu Ram Jogi, do Rajastão, foi pai pela 22ª vez aos 90 anos.

Um mau exemplo


O engraçadinho que bloqueou ambulância na véspera de Natal e causou a morte de uma idosa em Taiwan (a tal história que um leitor insiste ter acontecido em 1999) é um estudante que está a tirar um doutoramento na Universidade Nacional de Taiwan. O suspeito, identificado apenas por Xiao, de 33 anos, prestou depoimento na polícia no mesmo dia, e foi entregue ao Ministério Público. A acção impensada de Xiao causou a morte a uma idosa de 86 anos que vinha a ser transportada na ambulância. Um professor da Universidade onde Xiao estuda diz que "era um aluno normal, com um comportamento normal", enquanto um cibernauta que diz ter sido seu colega afirma que Xiao "gostava de se meter com as meninas". Um telespectador dizendo ser o pai de Xiao ligou para um programa de TV no Domingo e diz que "o filho está a ser pressionado pela situação", e que "tem problemas mentais, e está a pensar em sucidar-se". O alegado pai afirma que o filho "não sabia" que ia alguém doente na ambulância, o que causou crítica da opinião pública. Mais tarde, outro homem alegando ser o irmão mais novo de Xiao ligou para o mesmo programa pedindo desculpa em nome da família. "O comportamento da minha família é um mau exemplo", disse.

Arsenal vence derby londrino


O Arsenal derrotou o Chelsea no "derby" londrino por três bolas a uma e alcançou o 2º lugar da Premier League inglesa. Os arsenalistas chegaram ao intervalo em vantagem graças a um golo de Song aos 44 minutos, e ampliaram no início da segunda parte por Fabregas e Walcott. O melhor que os "blues" conseguiram foi reduzir por intermédio de Jovanovic. O Chelsea está em quarto lugar a seis pontos do líder Manchester United.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Foi um dia de Natal em Macau (igual a outro qualquer)


Foi um Dia de Natal agradável, este que passámos em Macau. Esta imagem recolhida ontem por volta do meio-dia demonstra bem o espírito natalício que por aqui pairava. Centenas de turistas (e alguns locais à mistura) que consideram comer os pastéis de nata da Margaret uma alternativa à Missa de Natal, ou a ficar em casa a preparar o almoço com a família.

A propósito, vi bastantes daqueles meninos e meninas que seguram aquelas placas com nomes de casinos a usarem barretes de Pai Natal na cabeça. Não seria de esperar que os casinos dessem uma trégua natalícia na caça aos patos, mas considero que esta estratégia é interessante. Alguns apostadores podem ir mesmo convencidos que acontece algum “milagre natalício”. E acontece mesmo, para os casinos, que vêm sempre as suas receitas multiplicadas nestas datas festivas.

O Largo do Senado foi a verdadeira montanha mágica este Natal, com a redoma de pais natáis, pinguins e pandas, e as luzes que pareciam estrelas a cair do céu. Assustador. E sempre cheio daquela malta simpática da China, que acha isto tudo o máximo. E em cima deste lindo cenário natalício, o frio gélido acompanhado pela chuva que caíu ontem à noite, que me fez chegar a casa com os pés molhados. Parecia que estava em Portugal, só que sem o conforto, a família, os amigos, o tal bagaço da terra e tudo mais. E veio mesmo a calhar, pois como se sabe o Menino Jesus nasceu lá para a Palestina, onde como se sabe faz um frio do caraças por esta altura. Foi bom ter ficado aqui por Macau no Natal. Quem optou pelas praias da Tailândia e afins, nem sabe o que perdeu.

PS: Quem parece ainda não ter acordado desta verdadeira “slumberland” foram os jornais em língua portuguesa, que hoje (dia 27) ainda não tinham voltado às bancas. Grandes empregos...

Crime no Rio


Karine Pereira Vitalina Silva, 29 anos, foi morta por cinco tiros de fuzil por volta das 23h de domingo na altura do número 18 da Rua Jambeiro, em Vila Valqueire. A vitima estava dentro do seu carro em movimento com o filho de 5 anos que nada sofreu apesar de o veículo, um Clio, placa MRI 6400, ter invadido a calçada e atingido uma árvore. De acordo com a policia, o pai da criança esteve no local e a levou para a casa dele. O pai era separado da mãe da criança. A polícia ainda não sabe se foi uma execução ou uma tentativa de assalto. Nada foi roubado da vítima.

In O Globo

Dois de Manchester na frente


Ontem foi "Boxing Day", e como é já habitual, realizou-se mais uma jornada da Premier League inglesa. O Manchester United mantém invicto a liderança da prova ao bater ontem o Sunderland por duas bolas a zero, com dois golos de Berbatov, um em cada tempo. Dois pontos atrás está a outra equipa de Manchester, o City, que foi ao St. James Park bater o Newcastle por 3-1, com o argentino Carlos Tevez em destaque, ao apontar dois golos. Destaque ainda para as vitórias do Tottenham fora (2-1 c/ Aston Villa) e do Bolton em casa (2-0 c/ West Bromwich Albion). O grande jogo da jornada realiza-se hoje, com o Arsenal a receber o Chelsea no grande derby londrino.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Doces de Natal


Não podia deixar aqui de falar dos doces de Natal, que aqui em Macau são dispensados pela Pastelaria Caravela e pelo Café Ou Mun, pelo menos (e para estes dois já agora muito obrigado). Os doces de Natal são, penso que concordamos com este ponto, uma desgraça para qualquer dieta. Durante os vinte dias depois do dia 15 de Dezembro, ganho sempre quatro ou cinco quilitos. Em Janeiro perco sete, no Ano Novo Chinês ganho dois, e fica sempre tudo balançado e de volta aos 80. Em mais nenhuma altura do ano gostamos tanto de encher a cara de pastelaria grossa carregadinha de molhos, caldas, recheios, fios de ovos e outras coisas maravilhosas.


Gostava de começar por falar deste grande dilema das filhozes e dos coscorões. Reparem na imagem acima: toda a minha vida chamei a isto "filhozes", e agora vejo nas listas das pastelarias da especialidade qualquer coisa chamada "coscorões". Não sei se são a mesma coisa, se é uma questão de regionalismo, não interessa, chamemos-lhe filhozes. As filhozes são o doce de Natal de eleição à mesa do Natal luso-chinês. Os chineses simpatizam muito mais com esta massa frita que lhes faz lembrar o seu tang-san, que em vez de canela e açúcar leva em cima calda de açúcar.


Os restantes doces portugueses levam uma torcidela de nariz, principalmente os que são "muito doces". A lampreia de ovos é um bom exemplo disso. O lado chinês da família diz que esta especialidade tão engraçada (vejam os olhinhos, eheheh) "faz doer os dentes", enquanto os diabéticos (coitados) olham para aquilo de boca aberta, qual "fruto proibido". A lampreia não é popular, nem os sonhos com a tal calda (que não passa de água com açúcar), pelas mesmas razões.


Devo confessar que mais uma vez faltou à mesa o Bolo Rei. Gosto imenso de Bolo Rei, especialmente quando começa a ficar duro, aquece-se no forno uns minutos e come-se torradinho com manteiga e chá. Quando tinha 13 anos, passou-se um episódio de que nunca me esquecerei. No Domingo depois do Natal, tinhamos voltado de um almoço fora, quando um pobre nos bateu à porta a pedir "qualquer coisinha que se coma". Como não tinhamos mais comida nenhuma, perguntámos se queria bolo rei, e demos-lhe mais de meio bolo, que devorou logo ali, inteirinho, mesmo à nossa frente. Passei a dar valor a esta pastelaria natalícia tão peculiar. Não conheço quase ninguém que goste realmente de bolo rei, e penso que chega a ser meramente decorativo, ou até simbólico. Comem-se uma ou duas fatias "para manter a tradição", e depois fica o resto ali a apodrecer. Com a família chinesa acontece o mesmo, e a principal razão prende-se com as frutas cristalizadas ou as passas, de que "ninguém gosta" (tenho o mesmo problema com a fruta em calda ou com os pickles). Portanto se comprar um Bolo Rei tenho que o comer sozinho. Não vale a pena.


Outra das coisas que faltou à mesa foi o arroz doce. Não conheço um único chinês que goste de arroz doce. Para um chinês, fazer aquilo com o arroz, tão precioso nesta cultura, é sacrilégio. Eu até não desgosto do arroz doce, especialmente se for sequinho. Quando era puto a minha bisavó (ena!) fazia um pratinho para cada um dos bisnetos (éramos 11, uma equipa de futebol) com o nome escrito em canela. Não aprecio muito aquele arroz doce mole, empudinado, sem graça nenhuma. Só sequinho e num amarelo vivo se preserva a integridade do arroz. E com uma casquinha de limão, sempre.


Há quem não dispense à mesa da consoada o tronco de Natal (buche de Noel, em francês), que deve ter uma história qualquer nada relacionada com o nascimento do Salvador. Este tronco de Natal é um bolo de chocolate, às vezes decorado com pais natal ou bonecos de neve comestíveis ou não, e com um "Feliz Natal" escrito com creme branco. O resto do bolo propriamente dito é creme de chocolate por fora e por dentro. A tradição natalícia na minha casa levava a que o tronco de Natal ficasse comido pelo meio, depois ia parar ao frigorífico até aos Reis, e depois ia para o lixo. Para evitar esse efeito desagradável, opto sempre pelo "cheesecake" do Hotel Lisboa, que desaparece em menos de dez minutos.


Depois temos todo o resto. As azevias, as rabanadas (que se podem sempre fazer em casa), os pastéis de grão, os sonhos de abóbora, o salame de chocolate, a tarte de natas, a salada de fruta, as nozes e frutos secos as pêras com vinho do Porto, e até os doces improvisados ou as receitas caseiras. Mil e uma coisas que compõem uma mesa de Natal digna desse nome. E não se levantem ainda, que temos o Ano Novo mesmo à porta. Brindemos à engorda geral.

Velhinho procura jovem esposa


Um engenheiro aposentado de Chongqing, de 75 anos, procura uma mulher mais nova para contraír matrimónio. Sun Tianmin quer uma esposa "não maior que 45 anos", e "de preferência na casa dos vinte" (pedófilo...). Sun licenciou-se em engenharia química na Universidade de Chongqing em 1949, e trabalhou numa fundição de ferro e aço até 1988, de onde recebe uma pensão de 3000 yuan mensais. Desde que enviuvou em 1998, o idoso "tem-se mantido celibatário", segundo o próprio. "A jovem tem de ser saudável, não pode jogar, beber ou sair para dançar depois de casar comigo", disse Sun, que prefere que a mulher seja solteira: "se for divorciada, os filhos dela não podem vir viver connosco". Sun diz ainda que quando casar, vai fazer a esposa assinar um acordo que impede o divórcio. Hmmm...candidatas?

Prenderam a(s) mãe(s) Natal


Quarenta e sete "mães Natal" foram detidas num clube nocturno em Tanjung Tokong, Penang, Malásia, em plena consoada. A operação policial realizada entre a meia-noite e as três da manhã visava localizar focos de prostituição e imigração ilegal naquela estância turística malaia. As meninas detidas - 28 vietnamitas, 18 chinesas e uma tailandesa, com idades compreendidas entre os 20 e os 30 anos - eram "relações públicas" do bar em causa, e foram surpreendidas enquanto "entretiam" os clientes vestidas com roupa vermelha curta e apertada. Já não se respeitam as concubinas do Pai Natal...

Se calhar caíu das escadas...


Uma empregada indonésia na Arábia Saudita foi brutalmente agredida pela sua patroa, mas esta defende-se dizendo que a empregada "agrediu-se a si mesma". Sumiati Salan Mustapa, de 23 anos, foi admitida no hospital de Medina o mês passado no estado que a imagem comprova. Sumiati diz que a patroa, uma viúva de 53 anos, atacou-a com um ferro quente, tendo-lhe provocado lesões no corpo, na face e no escalpe, necessitando de várias operações plásticas de reconstrução da face. O advogado de defesa da empregadora diz que Sumiati "sofre de problemas mentais", que "infligiu os ferimentos em si mesma", e que a sua cliente quer "ser indemnizada pelo mês que passou numa prisão para mulheres em Riade". O causídico insiste que tudo não passa de um "esquema" montado por Sumiati, e que só aceita perícia médica saudita que comprove que a empregada sofre de doença mental: "Rejeitaremos quaisquer certificados médicos emitidos fora do reino da Arábia Saudita", afirmou. O caso está a provocar indignação na Indonésia, o maior fornecedor de empregadas domésticas para aquele país do Golfo. Calcula-se que cerca de dois milhões de empregadas indonésias trabalhem na Arábia Saudita.

Morta à chegada


Uma idosa de 86 anos morreu na véspera de Natal em Taiwan por causa de um maluquinho que bloqueou a ambulância que a levava para o hospital. Nestas imagens recolhidas da câmara da ambulância pode-se ver que o condutor - provavelmente bêbado - a bloqueou a via da ambulância, parou no sinal vermelho e a certa altura travou, quase provocando um acidente. Um dos paramédicos diz que nessa altura a paciente, de apelido Yu, quase caíu da maca. O motorista da ambulância diz que o condutor chegou a tirar a mão de fora fazendo um gesto obsceno. Yu chegou cinco minutos depois ao hospital, onde foi pronunciada morta. As autoridades já identificaram o condutor, que deverá passar o Ano Novo na choldra, onde pertence.

A nota mais alta


Uma nota emitida pelo governo da China em 1949 tem o maior valor facial do mundo: 6 mil milhões de yuan (6000000000 yuan). Na frente da nota, está impressa a imagem do fundador da República da China, Dr. Sun Yat-sen, e no verso uma imagem do Banco Provincial de Xinjiang, entidade emissora da nota. Apesar do valor astronómico da nota, esta foi imprimida durante o período de maior inflação de sempre em Xinjiang, e servia apenas para comprar 75 grãos de arroz em Xangai, e esteve em circulação apenas durante seis meses em 1949. A nota, assim como outros artefactos, podem ser vistos na exposição "Sun Yat-sen e a moeda chinesa", em Guangzhou.

Eu tenho uma Afrodite nua no passaporte. E tu?


Os diplomatas cipriotas estão furiosos com o Ministério do Interior por não ter consultado o Ministério dos Negócios Estrangeiros quanto aos novos passaportes. Em causa está a imagem nua da deusa grega do amor, Afrodite, impressa nos novos passaportes biométricos. Uma fonte dos diplomatas afirma que isto pode-lhes "causar problemas" ao entrar em países moralmente mais conservadores, como os do Islão. Uma preocupação legítima, concerteza, que revela alguma falta de sensibilidade das autoridades daquela ilha do Mediterrâneo. Mas sorte tem o comum dos cipriotas, que assim se pode orgulhar de andar com a imagem de uma gaja nua no passaporte. Mesmo que seja imortal, imaginária e de mármore.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Merry Christmas, Mr. Bean




Enquanto a TDM transmite um filme para meninas na sua programação de Natal, o Bairro do Oriente deixa-o com um clássico da quadra para toda a família: "Merry Christmas, Mr. Bean", com o incomparável Rowan Atkinson. Enjoy!

Manhã de Natal


"Livros para o Natal? Que m... é esta? Não me f...!"

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal de sua eminência, Leocardo


Boa noite, povo do Bairro do Oriente. Queria iniciar com os desejos de um Feliz e Santo Natal, cheio de prosperidade e alegria. Mais um ano passado em Macau, longe da grande parte dos familiares, o que é sempre chato, mas pelo menos o clima aqui no território é muito mais ameno, e não precisamos de nos preocupar com vôos cancelados e tragédias parecidas. Para matar a saudade nada como algumas rabanadas, bacalhau e vinho sobre a mesa, na presença dos mais queridos, e meia dúzia de chamadas para Portugal. Com a simpatia da CTM, que disponibiliza o serviço 050 nos dias feriados. Não custa mesmo nada.

O Natal é para mim, desde há muitos anos, uma data dedicada aos mais novos, às crianças, aos nossos filhos, sobrinhos e afins. Como nunca acreditei no Pai Natal (e peço desculpa a quem acredita), reconheci sempre o esforço dos pais e familiares para que todos os natais fossem sempre o melhor possível. Como resultado sei eu próprio quanto custa (e falo em finanças) providenciar a alegria dos meus filhos, e eles muito provavelmente vão sentir o mesmo, com tendência para piorar. É a marcha imparável do consumismo e do status quo, que impede que cada vez menos gente se sinta feliz com o Natal simplesmente por ser Natal.

Hoje é dia 23, e ao contrário dos meus tempos despreocupados da juventude, não consigo sentir que faltam apenas dois dias para o Natal. Esta costumava ser uma data especial, e lá em casa já havia broas, filhozes, bolo-rei, frutos secos e outras goluseimas sobre a mesa. Na noite de Natal ficava contente com uma simples camisola, um par de meias, e super-contente quando a prenda era um cheque-disco (ena! ena!), uma cassete de vídeo com um bom filme, ou simplesmente algum dinheirinho que me davam os vizinhos e outras pessoas com menos tempo para se lembrarem de todos quando faziam as compras de Natal. Hoje é quase impossível agradar aos filhos. O que dar de diferente do que damos durante o ano inteiro? É um dilema irresolúvel.

Esta é também uma data em que é suposto nos lembrarmos dos mais desfavorecidos, dos mais infelizes, daqueles para quem o Natal não é mais que um dia como outro qualquer, numa luta patética pela sobrevivência. Infelizmente são cada vez mais as pessoas que não têm nenhuma razão para se sentirem felizes no Natal. E é neste ponto que precisamos de fazer uma pequena reflexão. Na noite de Natal sentimos aquele calorzinho provocado pelas bebidas espirituosas, pelas camisolas de lã e pelo sorriso dos mais pequenos, e queremos lá saber dos que passam frio lá fora, ou dos que precisam de passar a véspera de Natal a trabalhar.

O Natal costumava ser uma data de paz e fraternidade, mas cada vez menos sinto que existe espaço para perdoar, enterrar os machados de guerra no frio estéril do Inverno, esperando que a Primavera nos traga novos frutos mais apetecíveis. Esta é a altura de ligar àquele velho amigo com quem nos desentendemos por causa do trabalho, do futebol, de uma gaja que se calhar não interessa ao Menino Jesus, por uma porcaria qualquer. Este Natal sejamos todos pelo menos um bocadinho melhores do que no resto do ano.

Um Natal Feliz, são os desejos mais sinceros deste vosso servo.

Leocardo.

Bebé desfigurado por doença rara


Um bebé de 14 meses na China sofre de uma doença rara que causa a inflamação dos tecidos gordos, conhecida por síndroma de Weber-Christian. A doença causa a morte da pele nas zonas inflamadas, causando infecções e deixando cicatrizes profundas que libertam um substância amarelada. O caso foi levado a público pelo STOMP, uma webzine pública, que reportou o caso do pequeno Yang Xin. A criança está internada num hospital em Pequim, e anteontem encontrava-se em situação crítica, temendo-se que possa mesmo perder a vida se piorar. O síndroma de Weber-Christian é mais comum em mulheres com idades entre os 30 e 60 anos, a normalmente afecta as pernas e as coxas. Não existe um tratamento eficaz, e o doente fica com cicatrizes permanentes.

Estrangeiro arruaceiro


Um grupo de homens chineses espancou um "kwai-lou" que os vinha a dizer palavrões no metro de Guangzhou, na China. Testemunhas afirmam que o ocidental fazia gestos obscenos enquanto insultava as pessoas dentro da composição. Uma mulher tentou acalmar o estrangeiro, mas este deu-lhe um safanão que lhe fez cair o telemóvel. Isto fez perder a paciência dos passageiros do sexo masculino, que começaram a atacar o homem, apesar das tentativas de um funcionário do metro para impedi-los. Um dos passageiros diz que o estrangeiro cheirava a álcool (devia ser russo), e outro afirmou ter visto a segurança da estação a confiscar-lhe uma faca. Os forums de internet chineses dizem que o estrangeiro "mereceu o castigo", e que não é necessário extender a hospitalidade chinesa a estrangeiros que se comportem desta forma. Outros criticaram o pessoal do metro e as autoridades, que foram muito "suaves" com o estrangeiro, que nem sequer foi detido depois do incidente.

O Ano do Coelho abandonado?


Os grupos de direitos dos animais em Singapura estão preocupados com o próximo ano novo chinês, este o do Coelho. Não porque sejam supersticiosos, mas porque muitas pessoas - principalmente da comunidade chinesa - vão adquirir um ou dois destes animais "para dar sorte", e depois abandoná-lo. Só em 1999, a última vez que o zodíaco chinês parou no Coelho, foram abandonados 625 roedores, mais 340 que em 1987, o penúltimo Ano do Coelho. São como as rosas, estes coelhos, de uma beleza e utilidade efémeras. Eu por causa das coisas vou comemorar o Ano do Coelho à mesa com um exemplar da espécie. Guisado ou à caçadora.

Raymond Crooke


Para quem gosta de música tradicional anglo-saxónica (como eu, por exemplo, e antes de começarem a refilar, també gosto de música tradicional portuguesa), recomendo este canal no YouTube. Raymond Crooke é um músico amador que interpreta centenas de peças do cancioneiro tradicional inglês, irlandês e norte-americano. Vale a pena dar uma olhadela (e uma ouvidela também). E como estamos no Natal, fiquem com este "Merry Christmas, you suckers" (sem ofensa), um original de Paddy Roberts.

Real "dá" 8 na Taça, Simão parte para a Turquia


O Real Madrid despediu-se do ano civil de 2010 com uma goleada de 8-0 frente ao Levante para a Taça do Rei. Um resultado impressionante, tendo em conta que o Levante encontra-se na primeira divisão espanhola. Cristiano Ronaldo e Karim Benzema estiveram em destaque ao apontarem cada um um "hat-trick". Noutro jogo dos oitavos da Taça do Rei, o Atlético Madrid derrotou o Espanyol por 1-0, com o único golo a ser apontado de grande penalidade por Simão Sabrosa. O internacional português realizou o seu último jogo com a camisola dos "colchoneros", uma vez que já assinou pelos turcos do Besiktas até ao final da temporada.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Escravidão em Portugal


Rui vive há seis anos com uma família de acolhimento, em Revenda, uma pequena aldeia minhota. Foi para ali enviado pela Segurança Social depois de uma operação da GNR numa quinta de Vila Verde ter culminado com a sua libertação. Há 24 anos que era 'escravo' do primo, Casimiro Silva, da sua mulher Rosalina e dos dois filhos. A designação, de outros tempos, é do próprio Ministério Público de Braga que não teve dúvidas em levar toda a família a julgamento, acusada de escravidão de um homem com deficiência mental ligeira, que acolheu ainda menino de cinco anos. No dia 7 de janeiro conhecem a sentença. Arriscam uma pena entre cinco e quinze anos de prisão.

Na acusação reconstroem-se os anos de Rui. "Tinha o bilhete de identidade caducado desde 2000, nunca tinha usado sapatos, nem relógio, não via televisão, nunca tinha assistido a um jogo de futebol, nunca tinha passeado, não conhecia a cidade de Braga e nunca tinha visto o mar. Negaram-lhe o direito à alfabetização. Cedo o transformaram num mero criado, analfabeto e submisso, a quem nem dispensavam os cuidados de alimentação, higiene e saúde mais básicos. E foi assim que, confinado à quinta e privado pelos arguidos dos mais elementares direitos da criança, cresceu e se fez homem este guardador de vacas. Aproveitando a sua deficiência mental e ignorância, que fomentaram, reduziram-no à mera condição de instrumento de trabalho, impondo-lhe labor extenuante".

Os pormenores são arrepiantes. Mais ainda na primeira pessoa. "Obrigavam-me a cuidar das vacas, muitas vacas, eu não sei quantas, porque nunca aprendi a contar". "Levantava-me muito cedo, ia tratar das vacas para depois apanharem o leite e costumava trabalhar até à noite, às vezes adormecia cansado". "Os meus primos batiam-me sempre muito, com uma mangueira, às vezes com um pau ou uma vassoura. Às vezes obrigavam-me a pôr a língua na cerca elétrica. Atiravam-me a um tanque de água fria para me castigarem quando eu não fazia as coisas como eles queriam, mas eu nem sequer sabia fazer as coisas como eles diziam".

Rui tem agora 36 anos e não gosta de falar dos 24 de escravatura. Chora sentado à mesa na casa de Rosa Gonçalves, a matriarca da família de acolhimento - a quem chama mãe. O livro dos deveres está aberto à sua frente. Está agora na terceira classe. Já sabe ler, escrever, contar, comer à mesa com talheres, lavar os dentes e ir de autocarro para a Escola de Prado, em Vila Verde.

Há 18 anos que Rosa recebe pessoas enviadas pela Segurança Social. "Não escondo que este foi o caso mais difícil, foi um desafio para nós. De início parecia um bichinho a fugir das pessoas". Na primeira noite, Rui acordou aos berros e a chorar, gritava para não lhe baterem. Nos primeiros dias levantava-se antes das seis da manhã. Rosa acalmava-o e dizia-lhe que ali não precisava de trabalhar. Mas se ouve um barulho súbito, ainda salta de medo.

"Desde que veio festejamos sempre o seu aniversário. Ele nunca tivera uma festa de anos, ficou todo contente, parecia uma criança, nunca recebera um único brinquedo", diz Rosa. Também o levaram à Praia da Apúlia e gravaram para sempre o ar de espanto, os "olha tanta água junta!" repetidos pela incredulidade. "Uma coisa que também achamos curioso é que ele não conhecia o dinheiro. Só quando lhe ofereceram uma carteira é que passámos a dar-lhe moedas e notas. Já sabe fazer trocos e tudo o mais".

Filho de pai incógnito - supostamente um empreiteiro de Vila Verde, segundo as investigações da GNR local que deram lugar a uma ação cível de investigação da paternidade -, Rui viu a sua vida mudar quando o avô, um lavrador da região conhecido por 'arcebispo', morreu. Ele tinha cinco anos e a mãe, igualmente deficiente mental e internada numa instituição, não podia cuidar dele. Em circunstâncias não esclarecidas, mãe e filho viram-se privados dos terrenos do 'arcebispo', ocupados por Casimiro Silva, que ficou também com a tutela da criança.

Casimiro jura "ter tratado sempre o Rui como a um filho". E diz que, tal como os dois filhos, também Rui "teve festas e fez todas as comunhões, a primeira, a solene e o crisma". Rui continua a chorar esses dias e ontem, em tribunal pediu, pela primeira vez, algo para si: 200 mil euros de indemnização pelo trabalho intensivo não pago e pelos danos físicos e psíquicos.

Denúncia partiu de um estranho à terra

Foi preciso um jovem de Braga que começou a namorar uma rapariga de Coucieiro, vizinha da quinta, na aldeia de Mascate, para que o 'cativeiro' de Rui terminasse a 24 de novembro de 2004. Foi ele que alertou a Segurança Social para a situação, que toda a aldeia conhecia há vários anos. "Nunca pensámos que fosse possível libertar o rapaz", disse uma vizinha ao Expresso. "Muitas vezes matámos a fome ao Rui. Ele vinha às escondidas à noite pedir-nos comida, desde pão a fruta", disse outra. Só que segundo as investigações conduzidas por um sargento da GNR, os familiares não toleravam as oferendas e agrediam o jovem sempre que o encontravam com comida.

No fim de uma das audiências do julgamento, uma vizinha ganhou coragem e foi falar com o procurador Carlos Cardoso. Pediu-lhe que não deixasse o caso impune. O magistrado sossegou a idosa. Dia 7 de janeiro saberá a resposta.

In Expresso

Tanto pânico para nada


Igor Garcia, um jovem de 14 anos de Loures desapareceu há uma semana e voltou ontem à noite a casa, como se nada se tivesse passado. Achei curioso o desenvolvimento desta notícia durante o dia de hoje. No Jornal das 24 de ontem o pai do Igor aparecia a queixar-se do desaparecimento do filho, da inércia das autoridades e de como o rapaz teria sido aliciado por alguém "na internet". O que ninguém sabia era que já por esta altura o rapaz tinha voltado a casa, o que me fez sentir pena do pai do miúdo...em vão. (Quero a minha pena de volta, a propósito). Afnal o Igor (aqui na imagem de férias na Tailândia, onde deve ter apanhado uns "tiques") tinha uma "segunda vida" na internet, e a mãe chegou a surpreendê-lo em "actos íntimos" em frente ao computador. Como castigo ficou sem internet durante um mês. A quarta-feira passada pegou em cem euros e no computador portátil, e desapareceu. Chegou a casa agitado, com fome e com sede, e ainda ninguém consegue perceber o que aconteceu. Uma história a seguir de perto.

Lua-de-mel com a badalhoca


Um homem de Zhejiang divorciou-se apenas cinco dias depois de ter casado, alegando que a sua esposa "é porca e não se lava". O casal contraíu matrimónio no dia 16 em Ningbo depois de se terem conhecido há um ano. O marido queixa-se da falta de higiene da mulher, e diz que nos cinco dias que estavam casados ela "não lavou a cabeça uma vez, e não gosta de tomar banho". A mulher defende-se dizendo que "não é fácil mudar de hábitos tão depressa" e que "não vê a necessidade" de lavar a cabeça ou mudar de roupa todos os dias, especialmente agora "que faz tanto frio". Da próxima vez antes de casar, o melhor é dar à mulher um banho de mangueira. Só para ver como ela reage...

1999 rosas


Um chinês apaixonado gastou 600 mil yuan em rosas douradas para pedir a mão da sua amada em casamento. Aconteceu em Nanjing, capital da província de Jiangsu, quando um homem chamado Jin (ouro) encomendou 1999 rosas de ouro Au99.99. Será que a menina deu o sim?

Not in love


Os Crystal Castles são um duo de música electrónica do Canadá que provavelmente pouca gente conhece. Recentemente convidaram Robert Smith, dos The Cure, para fazer a voz em "Not in love", um single lançado a semana passada, do seu último disco "Crystal Castles II". Uma das boas surpresas deste final de ano.

Rápidas da bola


O Barcelona empatou ontem a zero no Nou Camp frente ao Athletic Bilbao, em jogo a contar para a primeira mão dos oitavos de final da Taça do Rei de Espanha. Os catalães dominaram, mas esbarraram numa muralha defensiva basca muito bem montada. Messi jogou apenas na segunda parte. Hoje o Real Madrid defronta o Levante no Santiago Bernabéu.


São horas de ir embora

Rafael Benítez foi despedido pelo Inter de Milão, apesar da recente vitória na Taça do Mundo de clubes da FIFA. O treinador espanhol acusa o presidente do clube italiano de "não querer investir" no plantel desta temporada, e terá dado a Massimo Moratti um ultimato para financiar a compra de jogadores no mercado de Inverno. Moratti recusou abrir os cordões à bolsa, e despediu o espanhol, para gaúdio dos adeptos neroazzurri. O Inter ocupa um modesto 7º lugar na Serie A italiana a 13 pontos do líder AC Milão, e qualificou-se para os oitavos da Liga dos Campeões atrás dos ingleses do Tottenham.


Comigo até vão comer a relva, em vez de cães

Jaime Pacheco vai treinar para a China. O ex-jogador do Aliados do Lordelo, FC Porto, Sporting, U. Lamas e P. Ferreira e treinador campeão pelo Boavista em 2001 assinou um contrato por um ano com o Beijing Guoan, o maior clube da capital chinesa. Pacheco vai com a missão de ser campeão; depois do título na China SuperLeague em 2009, o Guoan terminou o campeonato de 2010 num modesto quinto lugar.


"Vou tranquilo porque o céu é azul e branco"

Morreu Pôncio Monteiro, antigo dirigente do FC Porto mais conhecido pela sua participação no programa "Jogo Falado" da RTP, entre 1999 e 2002. O economista de profissão sofreu um aneurisma o ano passado, e encontrava-se debilitado fisicamente. Na última sexta-feira sofreu um AVC, e faleceu ontem no Hospital de Santo António, no Porto. O funeral realiza-se hoje.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A mob não ganhou



Matt Cardle, vencedor da sétima série do último concurso britânico de talentos X-Factor chegou ao nº 1 do top de vendas britânico na semana de Natal, com o seu single "When we collide". Existia um grande suspense sobre qual seria o nº 1 de Natal no Reino Unido, uma vez que o ano passado o vencedor da sexta série, Joe McElderry, viu o seu single "The Climb" ser batido por "Killing in the name", um single de 1992 dos muito pouco natalício. Tudo graças a um tal Jon Morter, este gajo na imagem, que lançou no Facebook uma campanha para evitar que o vencedor do X-Factor fosse número 1 no Reino Unido no Natal pelo quinto ano consecutivo. Este ano a "mob" do Facebook apostou em "Surfin'bird", uma canção de 1963 dos Trashmen, ilustrada por este vídeo cuja estrela é um Pai Natal muito pouco ortodoxo, e não foram além do 3º lugar na lista divulgada no Domingo pela The Official UK Charts Company. Rihanna & Drake ocupam o 2º lugar com "What's my name".

City Of Desire 慾望之城


Ora aqui está, como complemento ao post anterior, uma sugestão deixada por um simpático leitor. O trailer (a traila) do filme honconguense "City of Desire", de 2001, que "prova" que Macau é mesmo a cidade do pecado. O pecado mora, portanto, ao lado. E em cima...e em baixo...

Provedor do leitor


Na caixa de comentários do post "Mentiroso trapalhão", do último Domingo, gerou-se uma discussão em torno do facto de Macau ser uma cidade onde abunda o pecado, e uma leitora expôs aqui uma série de argumentos que compreendo, mas que sinto que devo responder:

Sin city por causa da falta de valores dos homens, que em outros sítios ainda vão tendo alguns, aqui deixam-nos na fronteira e só os apanham de volta quando vão à santa terrinha participar nas romarias da aldeia e bater no peito como santos devotos. Claro que prostitutas há em todo o lado.

Primeiro, não vejo em que isto seja um assunto de homens. A sua mulher ou namorada não é afectada quando vai às putas? Espero que ao menos seja solteiro, aí o problema já é só seu. Não entendo qual o prazer dos homens em pagar para ter sexo. É no mínimo degradante. Mas claro, como já não têm valores, não sabem o que isso é.

Segundo, não consta em lado nenhum que este blog seja exclusivamente para homens nem que seja da "especialidade". Já agora, que especialidade? De putedo? Só se for pelos homens que aqui param.

Terceiro, falei em algum lado das asiáticas? Falei de putas no seguimento da conversa. O senhor é que pelos vistos acha que só as asiáticas são prostitutas.
Quarto, também sou mulher, também me entretenho a ser mulher , a TER prazer e DAR prazer, mas não está à venda. Para ganhar a vida tenho uma profissão para a qual estudei e que realmente é útil à sociedade.

Mas o pénis é seu, faça com ele o que bem entender. Pelos vistos não deve ter encontrado ninguém que o quisesse de borla, tem de pagar. Cada um tem o que merece.


Concordo com o que diz no primeiro e segundo parágrafo. Claro que há prostitutas em todo o lado e os homens são hipócritas, mesmo os tais devotos. Depois considero que sim, sem dúvida, a infidelidade conjugal é igualmente grave de um lado e do outro. Mas neste aspecto as mulheres parecem ser mais tolerantes que os homens - não por experiência própria, mas noto que as mulheres perdoam muito facilmente os homens.

Em relação ao terceiro parágrafo, falamos do blogue, e isso diz-me directamente respeito. Não escolho quem aqui vem, e toda a gente é bem vinda. Quem não quiser vir não é obrigado e não há forma de saber quem são e também não me interessa. Não promovo aqui debates sobre sexualidade, e o recente poll "Em Macau os homens gostam mais de mulheres..." era a propósito de um vídeo comentado sobre asiáticas que preferem homens ocidentais.

Este blogue chama-se Bairro do Oriente, e como podem ver dou mais destaque a notícias de Macau e da região. A "região" é Hong Kong, Taiwan, China continental e Sudeste asiático. A maior parte de notícias que nos chegam destes pontos são normalmente, e infelizmente, más. Não sei se é por culpa dos jornais locais em língua inglesa de onde recolho as notícias, mas a agressão e o abuso sexual e de outros tipos ou as histórias de miséria são pratos fortes. (Mas também nem tudo é assim tão mau).

Não vou censurar comentários que possam ferir susceptibilidades de mulheres ou homens traídos ou abandonados, cada um fala do que quiser (dentro dos limites que eu imponho, que como podem observar são muito largos) e se gosta de falar de putas é livre de o fazer. O seu terceiro e quarto ponto são muito nobres, e admiro que se sinta realizada, e no último parágrafo também lhe dou razão.

Obrigado pelo comentário e Boas Festas.

Leopoldina


Já pensaram como seria se os Moonspell cantassem o "Atirei o pau ao gato"? Não é bem isso que este CD "Leopoldina" oferece‚ mas fica lá perto. O Projecto Leopoldina reune vários artistas da cena pop e rock portuguesa, que interpretam clássicos infantis, revertendo o lucro da venda do CD para ajudar crianças desfavorecidas através da Missão Sorriso. Assim temos Rita Redshoes a cantar "Rita", os Xutos & Pontapés a interpretar "Perdi o Dó da minha viola", Expensive Soul com "Machadinha" ou David Fonseca com uma rendição de "Vitinho". Mas o melhor de tudo é mesmo este "Era uma vez um cavalo", versão Pedro Abrunhosa. Hilariante. Bom, comprem o CD e ajudem lá as criancinhas, mas é bom que tenha filhos ou sobrinhos em idade pré-escolar, pois não vejo outro segmento de mercado a que este disco possa ser dirigido.

Paulo Sérgio aguenta até ao Natal


O Natal costuma ser uma fase complicada para o Sporting, mas este ano o treinador Paulo Sérgio conseguiu sobreviver a uma série de resultados menos positivos, e vai comer o bacalhau natalício ainda como técnico dos leões. Depois da derrota no Bonfim a semana passada que valeu o afastamento da taça e outra derrota a meio da semana contra o Levski para a Liga Europa, o Sporting regressou a Setúbal, venceu por 3-0 e terminou o ano de 2010 em terceiro lugar na Liga ZON Sagres. Yannick Djaló vestiu-se de Pai Natal verde e branco e deixou dois golos debaixo da árvore leonina, com o defesa Abel a marcar também pelo meio. O FC Porto é oficialmente aquilo que se chama "campeão de Inverno", chegando ao fim do ano na liderança com 38 pontos, seguido do Benfica com 30, Sporting 25, U. Leiria 24, V. Guimarães 22, Nacional 21.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Cadê o passeio?


Isto que mais parece um caminho de cabras em Peshawar é na verdade uma das ruas mais movimentadas do território: a Rua da Praia do Manduco. Já localizados no espaço, vamos localizar-nos agora no tempo: segunda-feira, dia 20 de Dezembro de 2010, feriado, e faltam apenas cinco dias para o Natal. As obras na Rua da Praia do Manduco começaram há cerca de um mês, e começaram pela zona da Barra, descendo agora pela rua e “atacando” a zona onde ficam as principais lojas. Quer dizer, isto na semana de Natal! Imaginem o que seria fazer isto na Rua Augusta ou na Rua do Carmo em Lisboa. Mas aqui a impassividade é generalizada, e ninguém se importa de caminhar no meio da rua onde passam os carros ou em cima de tábuas muito pouco ergonómicas improvisadas em cima do barro e das pedras onde em tempos existia um passeio. Quem for a sair do San Miu ou do Mannings com garrafas de vinho ou caixas de bonbons, arrisca-se a levar um tombo, ou no caso de ser uma senhora, parte o salto (um ponto para a calçada portuguesa).


Como se pode ver as máquinas ficaram hoje paradas, pois é feriado e não se trabalha. No meio de tanta porcaria, pelo menos a lei é cumprida. Pois é, pelo menos hoje não nos podemos queixar do barulho, do fumo, das caixas de comida e garrafas de cerveja vazias deixadas no chão pelos operários. Só da falta de passeio...


Não fosse pelo ralo, esta fotografia parecia a de uma parede onde se treinam fuzilamentos mais do que um chão onde as pessoas andam. Mas é mesmo assim, o passeio começa a ser retirado com uns buracos que o deixam “a arejar” antes de ser arrancado. Já se sabe que as obras são necessárias, e que se não as fizessem era porque não faziam, mas...na semana de Natal? Mas certamente que há por aí o habitual grunho que acha que os chineses “não festejam o Natal”, e que “se o senhor quer Natal, vá para Portugal”. E querem apostar que há mesmo?

Filha coragem



Agora uma história daquelas de fazer chorar as pedras da calçada. Uma menina de três anos na China toma conta sozinha do pai paralisado. Dong Xinyi cozinha para o pai Dong Jian, de 26 anos, e limpa as suas fezes. Xinyi nasceu em 2007 de uma família de camponeses de Huanghia, província de Shandong. Meses depois de nascer, Dong ficou paralisado e a mulher deixou-o, levando com ela a filha. No início deste ano, a mulher mandou a filha de volta para o pai, sem que se saiba porquê. "Ela é tudo para mim. Quando tive o acidente, toda a gente me abandonou, e pensei em suicidar-me", disse Dong ao China News, "Agora que a Xinyi está aqui comigo, tenho que ser forte". O China News não diz de que vivem este pai paraplégico e esta filha corajosa.

Presépio do IACM



Fui finalmente visitar o presépio do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), e fiquei bastante desiludido. Não estava à espera de nada tão grandioso como o presépio da Sé, já aqui exibido, mas também não esperava que fosse tão pobrezinho. Começa com a fachada, muito psicodélica, muito "Macau Tower", com duas árvores de Natal metalizaas e pontiagudas, e ao lado das escadinhas estão uns papéis amarrotados enfiados debaixo da plataforma. Aquilo é suposto ser...neve? E depois os figurinos. Bem, estes são mesmo tão pequeninos que se o guarda do IACM se distrai, lá vai um turista mais malandreco levar o Menino Jesus no bolso. Os personagens não diferem muito do surrealista presépio padrão: Jesus e Maria loiros de olhos azuis, José com ar de coitadinho (pudera...), a vaquinha, o burrinho, as ovelhas. Mas como o IACM deve ser mais pobrezinho que a Diocese de Macau, aqui o Menino não tem caminha, e está deitadinho naquilo que parece um comum guardanapinho. No IACM só houve orçamento para um rei mago, que aparece com as mãos cheias de prendas. Provavelmente dos outros dois que não puderam vir. Finalmente, quem é aquele personagem à direita, loiro com uma ovelha ao pescoço? Deve ser o Rei David, de Israel, aqui ainda pastor, e deslocalizado mil anos no tempo. Sim, deve ser isso.

Parabéns, RAEM!


A Região Administrativa Especial de Macau comemora hoje o 11º aniversário. Foi no dia 20 de Dezembro de 1999, que depois de mais de 400 anos de domínio e humilhação colonial (versão oficial), as gentes de Macau se levantaram e foram acolhidas no regaço da mãe-pátria. (A sério, já ouvi esta lengalenga umas 300 vezes). Bom, fiquem aqui com esta linda canção patriótica, "Nós somos os guardiães de Macau".

Oferta


Embuída do espírito natalício, a cerveja Yanjing oferece uma caneta na compra de uma garrafa. A caneta de plástico, provavelmente azul, vem embrulhada num pedaço de fita isoladora amarela. E boas festas, da Yanjing!

Inglês fresquinho


Existe uma razão sinistra para os jogos do campeonato inglês terem sido cancelados: a Grã-Bretanha está coberta de neve! Os ingleses sentem-se perdidos com uma situação só parecida com a dos seus vizinhos escandinavos, e não nevava assim em terras de Sua Majestade há mais de cem anos. Como seria de esperar isto causou um grande transtorno em termos de transportes, e milhares de pessoas estão retidas em Londres à espera de uma saída que não se prevê fácil. É muito triste ter que passar o Natal naquele ilhéu triste e deprimente onde chove e faz frio no Verão, neva no Inverno e o sol nunca aparece.

Porto vence em P. Ferreira


O Porto repôs a vantagem de oito pontos sobre o Benfica depois de vencer ontem em P. Ferreira por três bolas a zero. Num jogo que se previa bastante complicado, muito devido a declarações incendiárias de parte a parte, os dragões adiantaram-se logo aos 11 minutos por intermédio do defesa do Otamendi. Os pacenses massacraram o líder do campeonato, e o guardião brasileiro Helton foi uma das figuras do encontro. Foi preciso esperar até ao último minuto para voltar a ver golos; o árbitro Soares Dias apontou para a marca de grande penalidade a castigar uma mão (duvidosa) do médio David Simão, e nos descontos Walter fez o 3-0 perante um adversário já desmotivado. Outros resultados: Olhanense 0-0 Nacional, Marítimo 1-1 Portimonense, Naval 0-3 U. Leiria.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Mentiroso trapalhão


Mais uma vez Macau é notícia em Hong Kong pelas piores razões. Um aprendiz de electricista de 22 anos perdeu dinheiro nos casinos de Macau e encenou o seu próprio rapto para extorquir dinheiro aos pais, e foi condenado na sexta-feira a 20 meses de prisão. Em Janeiro último Cheung Hou-lam veio a Macau onde perdeu mais de 100 mil dólares de HK nos casinos. O dinheiro perdido incluía empréstimos de familiares e amigos. Depois planeou o rapto com a ajuda de um cúmplice, Huang Jing, também de 22 anos, a quem tinha prometido 20 mil dólares de recompensa. Três dias depois Huang telefonou aos pais de Cheung dizendo-lhe que o filho foi raptado, e exigia um resgate de 200 mil HKD. Na altura, o "raptor" "autorizou" os pais de Cheung a falarem com o filho, que confirmou o rapto. Só que a tragédia bateu-lhes à porta, pois a mãe de Cheung foi hospitalizada com um ataque cardíaco quando soube do resgate (achou caro?). Os comparsas ficaram desesperados, e Huang voltou a ligar ao pai de Cheung dizendo-lhe que Cheung tinha sido "temporariamente libertado", mas ainda queria o resgate ou caso contrário "raptava-o de novo". O pai ficou desconfiado e chamou a polícia. Cheung apareceu em casa no dia seguinte, e disse à polícia que foi "raptado por três homens e levado para a China", mas depois de verificados os registos fronteiriços verificou-se que o jovem estava a mentir. Cheung confessou tudo, e o seu cúmplice foi também condenado a 18 meses de prisão.

Vídeo da semana


Uma canção que comemora a escravatura, que construíu as pirâmides, o parthenon, a América, a muralha da China e outros tesouros da humanidade. Dá que pensar, se hoje aquilo que consideramos como garantido e usamos como recreação custou a vida a milhões de seres humanos. (E a canção também é bonita).

Não há pai para o Barcelona


O Barcelona continua imparável na liga espanhola. Ontem os blaugrana golearam o Espanyol por 5-1 no derby da Catalunha, num jogo que até foi equilibrado durante a maior parte do tempo. O Espanyol não teve medo do Barça, e jogou de forma aberta criando várias oportunidades de golo, mas foram Pedro Rodríguez e Xavi que deram com a baliza na primeira parte e levaram os visitantes para o intervalo com uma vantagem de dois golos. No segundo tempo os campeões espanhóis apontaram o terceiro, novamente por Pedro Rodríguez, e o Espanyol respondeu de seguida com um golo de Osvaldo, só para David Villa entrar em acção e bisar para os comandados de Josep Guardiola. O Barcelona tem cinco pontos de vantagem para o 2º classificado, o Real Madrid, que só joga hoje no Bernabéu frente ao Sevilha.

Jesualdo em apuros


Jesualdo Ferreira, o treinador que foi tricampeão pelo FC Porto entre 2007 e 2009 está a ter pouco sucesso na sua carreira fora de Portugal. Primeiro foi despedido do Málaga, que luta parafugir à despromoção na liga espanhola, e agora em cinco jogos no comando técnico dos gregos do Panathinaikos conseguiu vencer apenas um em cinco jogos disputados. Ontem deu-se mais uma derrota, e em casa com o Olympiakos Volou, uma equipa que disputava a II divisão grega o ano passado, o qu originou até uma invasão de campo. O PAO está a dois pontos do líder e rival ateniense Olympiakos, que só joga hoje em Larissa, e fora das competições europeias.

...mas águia não voou


Mais um escândalo no túnel da Luz. Desta vez sem adversários para agredir, os bulldogues do túnel agrediram o espanhol Juan Barnabé, tratador da famosa águia Vitória, símbolo do Benfica. Barnabé queixa-se do chefe da segurança, Rui Pereira, que não o terá deixado entrar no estádio onde o pássaro ia fazer a sua habitual exibição. O treinador da outra águia (que não o Jorge Jesus), foi agredido no famoso túnel de acesso aos balneário. Centenas de criancinhas de Sever do Vouga que iam ver o "seu" Benfica pela primeira vez e esperavam ver também a águia ficaram lavados em lágrimas (isto pode não ser completamente verdade, mas calculo que algo de semelhante possa ter acontecido). Mal está esta instituição quando até os seus símbolos são atacados.

Benfica ganhou...


O Benfica derrotou ontem facilmente o Rio Ave no Estádio da Luz por cinco bolas a duas. Os encarnados já se encontravam a vencer por 2-0, com golos de Pablo Aimar e do defesa vilacondense Tarantini na própria baliza. Saviola marcou o terceiro já na seguna parte, e Salvio esteve em destaque ao apontar o quarto e o quinto. Do lado do Rio Ave deu para assistir a algum "canal memória", com João Tomás a marcar dois golos no Estádio da Luz, onde já foi (in)feliz; primeiro aos 43, reduzindo 1-2 para a sua equipa, e marcando o 2-4 na segunda parte, de grande penalidade. Fábio Coentrão, curiosamente ex-Rio Ave, foi expulso a dois minutos do fim na mostragem de um segundo amarelo, por protestos.

Inter campeão do mundo


O Inter de Milão sagrou-se ontem campeão mundial de clubes ao bater o TP Mazembe por três bolas a zero. A equipa do Congo chegava a esta final como grande surpresa, depois de eliminar os mexicanos do Pachuca e os brasileiros do Internacional de Porto Alegre, e ainda não tinham concedido qualquer golo. Só que o Inter fez as coisas fáceis, marcando logo aos 13 minutos por Pandev e quatro minutos depois por Eto'o. Os campeões europeus dominaram o jogo a seu bel-prazer, expondo as fragilidades (e ingenuidade) dos bi-campeões africanos. Para o Inter é mais um título, o quarto este ano a juntar à Série A e Taça de Itália, e à Liga dos Campeões. O técnico Rafael Benítez ganha assim algum tempo, iminente que estava o seu despedimento do cargo de treinador dos neroazzurri. Curiosamente o treinador espanhol venceu pela primeira vez este troféu, exactamente cinco anos depois de o ter perdido no Japão frente ao S. Paulo, enquanto ao serviço do Liverpool.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Os blogues dos outros


Além dos preços inacreditáveis que cobram, surgem relatos de demissões em série de pilotos e co-pilotos na Air Macau devido à degradação das condições de segurança, que incluem por exemplo casas de banho coladas com fita-cola. Será que ninguém se preocupa com a imagem da companhia de bandeira do território ou vale tudo desde que os maluquinhos continuem a vir jogar nos casinos de Macau?

El Comandante, Hotel Macau

O wikileaks mostrou à saciedade a falsidade que norteia a conduta dos dirigentes políticos da Tuga. Claro que sem consequências de maior, como se impõe num país amorfo e sem cultura de responsabilização pessoal. Mas isto já se sabia. O que me deixou atónito foi uma das conclusões da recente discussão parlamentar sobre a revisão constitucional: mantém-se o seu preâmbulo, ainda que não tenha força normativa ou alcance prático (sic). Caminhemos para o socialismo, pois então, na esteira da revolução de abril – mantém-se a referência na CRP. Mas apenas em sentido figurado – dizem-nos os preclaros deputados da nação. Dizem-nos, portanto, que não interessa para nada o que lá se plasma... Isto é: os políticos gerem o nosso país com a leviandade com que gerem as suas vidas e com a leveza de espírito e inconsequência de um adolescente de patilhas e calças à boca de sino a gritar freneticamente pela UDP ou pelo PCTP. À bardamerda com esta gente!

VICI, MACA(U)quices

O general Vasco Rocha Vieira resolveu mandar escrever um livro sobre a sua biografia. Obviamente, que o principal objectivo do último governador de Macau foi precisamente dar luz às várias "vinganças" que tinha em carteira, nomeadamente, com Jorge Sampaio e Carlos Monjardino. Duvido é que o general tenha medido as consequências ao afrontar dois "marechais". É que há tiros que fazem ricochete e podem atingir os próprios atiradores...Numa obra que será publicada na segunda-feira, Rocha Vieira revela uma conversa que teve com Stanley Ho, que lhe contou que ficou acordado informalmente um fundo anual para a Fundação Oriente à margem do contrato de jogo de Macau. Vieira assegurou que a Fundação Oriente recebeu durante anos grandes donativos vindos do magnata dos casinos e que contribuíram para o "saco azul" da instituição. O biografado-autor do livro "Todos os Porcos, perdão, os Portos a que cheguei", acrescenta que Stanley Ho lhe disse que, à margem do contrato de jogo de Macau, foi acordado informalmente um fundo anual de 60 milhões de patacas e que o acordo para este fundo foi feito com o presidente da Fundação Oriente, Carlos Monjardino. No mesmo livro, Rocha Vieira também critica o então Presidente da República Jorge Sampaio, que tudo terá feito para o boicotar e levar à demissão, pois já teria um nome para o substituir. Onde é que Rocha Vieira quer chegar? Pretenderá que se edite outro livro com outros factos gravíssimos que se passaram em Macau com mais de 50 intervenientes ao longo do mandato de Rocha Vieira, factos escabrosos de corrupção, compadrio e desvio de verbas incomensuravelmente maiores que as desviadas pela Fundação Oriente? Será que a partir do livro de Rocha Vieira e de outros livros que poderão ser editados em contraponto, iremos ficar a saber todas as histórias negras da verdadeira história do que foi a administração portuguesa em Macau? Penso que Rocha Vieira perdeu a grande oportunidade da sua vida depois de ter conseguido riquíssimas oportunidades, a de estar caladinho. E será que o livro do general nos vai contar - em pormenor - a sua obsessão em ser candidato a Presidente da República contra Jorge Sampaio? Um triste espectáculo para chinês rir...

João Severino, Pau Para Toda a Obra

A semana passada os pasteleiros e donas de casa foram sobressaltados com a escassez de açúcar, as prateleiras das grandes superfícies ficaram com um ar africano, os merceeiros queixaram-se de que não dava para as encomendas e parecia haver um sério risco de aos amargos de boca da austeridade teríamos um sério problema devido à impossibilidade de adoçar a boca com um torrãozinho de açúcar. Perante o pânico do país os homens da distribuição fizeram comunicado assegurando a reposição do produto uns dias depois, para de seguida assegurarem que tudo estaria normalizado no final desta semana, entretanto, os felizardos conseguiam comprar dois pacotinhos de quilo gentilmente vendidos pelo hiper em regime de racionamento. Quando tudo já estava resolvido o país percebeu que sempre há um ministro da Agricultura, o pobre homem lá apareceu a tranquilizar os portugueses, no fim da semana já teriam a boca doce. O que ninguém explicou foi a razão de tão grave escassez de açúcar. Pois é, o nosso Belmiro de Azevedo colocou nas suas prateleiras açúcar de beterraba vindo de Espanha que foi embalado à pressa e por isso ficou a cheirar a caca, aquilo a que vulgarmente se chama merda. Perante as reclamações tiveram que retirar o açúcar das prateleiras e como ninguém explicou aos consumidores que o açúcar do Belmiro teve de ser retirado porque cheirava a merda, deixaram no ar uma crise de abastecimento de um produto especialmente procurado nesta quadra natalícia. Curiosamente uma televisão ainda entrevistou uma técnica da refinaria de Santa Iria de Azóia, quando o problema teria sido melhor esclarecido em Coruche, onde fica a DAE que embala o açúcar de marca branca vendido nos Continentes e Modelos e que poderá ter intermediado o negócio por falta de ramas para refinar. Coincidência, ou talvez não, o negócio da DAE tem um cheiro parecido ao do açúcar do Belmiro, a concessão de ajudas para instalar uma beterrabeira que nunca fez falta ao país foi uma das últimas decisões de Cavaco Silva nos tempos em que Portugal era um bom aluno. Foram muitos milhões de contos para uma beterrabeira que foi entre à Caixa de Crédito Agrícola e a um operador italiano, tendo a gestão da empresa sido entregue a um tal Cabrita que era um alto responsável no ministério da Agricultura. A DAE durou pouco, recebeu ajudas comunitárias e mandou a beterraba à fava, mas Jaime Silva que é um rapaz simpático e em tempos teve como chefe o tal Cabrita ajudou a DAE a transformar-se em refinaria com acesso à quota de ramas de açúcar (de cana). Agora parece que a empresa que Cavaco ajudou a fundar com dinheiros públicos dedica-se a fornecer a SONAE com açúcar a cheirar a caca. Enfim, neste país há muito cheiro a caca.

Jumento, O Jumento

O “aparecimento” do site Wikileaks parece ter reaberto o debate sobre o que é o jornalismo nos tempos que correm. Como se antes d0 Wikileaks não tivesse havido “garganta funda”, como se aquilo a que gostamos de chamar “jornalismo de investigação” não fosse, em si, uma espécie de Wikileaks com outros Assanges – e, por fim, mas não menos importante, como se o jornalismo que hoje se pratica fosse efectivamente feito por jornalistas. Não é demais lembrar que restam já poucas notícias que os jornalistas descubram, testemunhem, possam provar. Exceptuando as honrosas ilhas de reportagem que ainda se encontram por aí – na verdade, quase sempre no Público e no Expresso, para falar apenas da imprensa portuguesa -, a maioria do noticiário que lemos foi previamente filtrado, trabalhado, burilado, e meticulosamente distribuído a partir de centrais de informação, agências de comunicação, gabinetes de relações com a imprensa, assessores, gabinetes ministeriais, empresas, agentes e representantes de protagonistas. Em cada ministério há um Wikileaks, em cada empresa há um Wikileaks, em cada partido há um Wikileaks. Juntos, todos estes “focos de informação” criam uma agenda que condiciona toda a imprensa. Até na contra-informação e na denúncia há sempre uma estratégia montada por Assanges assalariados...A diferença entre estes e o verdadeiro Julian Assange é o que separa a organização da anarquia. O carácter aparentemente livre, anárquico e caótico do site que anda nas bocas do mundo muda o paradigma da fonte-de-informação-que-é-parte-interessada-na-matéria. Enquanto dos Wikileaks “legalmente estabelecidos” nós já sabemos que informação vem e que interesses serve, e não contamos com outra, nem esperamos bombas atómicas, do original pode vir tudo, nada, ou assim-assim. É num enredado universo de interesses que subitamente sucede o inesperado: informação em bruto, livre de interesses e independente de um qualquer poder. É isso que incomoda meio mundo: a falta de controlo, não se perceber o objectivo – ou sequer se há um objectivo -, não se saber “de que lado” está, ou sequer se está de algum lado. Nunca me canso de citar o exemplo daquele assessor que telefonava aos jornalistas e começava o seu discurso sempre com a mesma frase: “tenho uma excelente noticia para ti”. Na verdade, era uma excelente noticia para aquele a quem o assessor servia, mas a óptica enviesada de quem “dá” noticias é a de que o jornalista “lucra” com a informação. Não sabermos para quem são “excelentes” as noticias que Julian Assange tem revelado (ou sequer se existe alguém...), é fascinante e novo - mas baralha e confunde a ordem estabelecida. E isso também diz muito do estado a que o jornalismo chegou.

Pedro Rolo Duarte, Pedro Rolo Duarte

Se a sociedade portuguesa fosse lúcida e normal, rechaçaria Alegre, rejeitaria Cavaco e elegeria Fernando Nobre numa votação massiva, à maneira timorense aquando do referendo pela independência: em desespero e sob o princípio da ruptura. Só ele, porque provém do mundo da beneficência e combate ao sofrimento, coloca o dedo na ferida nacional quando denuncia o sistema dos partidos como um sistema corrompido, fechado, traiçoeiro e ineficaz. Não basta ser moderadamente honesto e recto, como Cavaco ou vociferante-de-esquerda, oco-de-esquerda e pomposo-de-esquerda, como Alegre, alguém que não se senta com povo à mesa, não se mistura com gente comum e levanta sempre o nariz perante o cidadão comum como se o pivete viesse todo dali. Não chega. É absolutamente urgente não ser covarde e romper com o Polvo que nos sopeia. Essa coragem e essa liberdade estão em Fernando Nobre. Eu voto em Fernando Nobre.

Joshua, PALAVROSSAVRVS REX

Todos temos um pouco de bipolar excepto os pilotos e o Nelson Évora que são pagos para tripular.

João Moreira de Sá, Arcebispo de Cantuária

Violada ou putéfia?


Uma enfermeira privada indonésia em Taiwan acusou o seu empregador de 78 anos de idade de a ter violado 23 vezes entre Fevereiro e Setembro deste ano. A enfermeira diz que os abusos aconteceram "na casa-de-banho e na sala", e que o idoso "ingeria um remédio" antes de a violar. O idoso teria ameaçado despedi-la e mandá-la de volta para a Indonésia caso ela se recusasse. No entanto ministério público encontrou discrepâncias nas declarações da alegada vítima, e resolveu retirar as acusações contra o septuagenário. Os procuradores dizem que a mulher de 25 anos foi contratada pelo idoso para tomar conta da sua mulher, também ela septuagenária, e que numa primeira entrevista disse que o idoso "pediu para ter relações com ela", mas não que foi violada. O idoso disse que foi a enfermeira que lhe pediu para terem relações, mas como "não consegue mais", rejeitou-a. Um amigo do idoso diz que enquanto o visitava a enfermeira se ofereceu para ter relações com ele por 2000 dólares de Taiwan (cerca de 500 patacas). Quando recusou, a enfermeira "reduziu a proposta para 1000 dólares".

Volta à China


GUANGDONG - Mais de 400 pessoas em Conghua ficaram doentes com o norovirus que contagiou a água i mês passado, disse o dept. provincial de saúde na quinta-feira. Não se registaram fatalidades. He Jianfeng, do centro de prevenção e controle de doenças de Guangzhou afirma que o vírus causou gastroenterite, diarreia e nausea, mas não causou doenças sérias.

HAINAN - Três chefes de departamento foram expulsos do Partido, anunciou na quarta-feira o comité provincial. Xing Fuhuang, do bureau do sal (!), doi expulso por ter recebido subornos, enquanto Tang Jianguang e Zhang Zilian, respectivamente secretário do partido em Changjiang e presidente do tribunal intermédio, foram expulsos por violação dos regulamentos internos.

HUNAN - Um cibernauta de Changsha foi detido por dez dias acusado de difamação e fabricação de provas. Liu Hua publicou a 6 de Novembro cinco artigos muito críticos em relação a uma companhia de construção de Pequim ter usado métodos ilícitos para despejar os inquilinos de um bairro que queriam re-urbanizar. Liu esteve etido entre o dia 1 e o dia 10 de Dezembro, e defende-se dizendo que "apenas contou a verdade".

HUNAN - Um camponês gastou 30 mil yuan a construír uma casa no topo de uma árvore com 15 metros de altura em Xingping, distrito de Taojiang. Xiong Yuhu diz que a construção se inspirou no estádio "ninho de pássaro" em Pequim, que visitou em Março último. A casa com 16 metros quadrados tem uma casa-de-banho, utensílios de cozinha e água canalizada.

SHAANXI - Um homem foi condenado a 12 anos de prisão depois de morto o filho de 9 anos à porrada. O homem, divorciado, foi buscar a criança à escola, quando uma professora lhe disse que o aluno não fazia os trabalhos de casa. O homem começou a agredir o filho com pontapés ainda no estabelecimento de ensino, onde foi impedido pela professora. Já em casa, continuou a agredi-lo com um cinto e um pau, e quatro horas depois a criança daria entrada num hospital de Xian, onde viria a falecer.