sábado, 31 de julho de 2010

Agosto out


Chegou a hora de partir de férias, meus amigos. Antes de mais nada, queria agradecer pela participação dos leitores, pois Julho foi o melhor mês de sempre em termos de visitas, e de comentários. Vou agora para Portugal e regresso a Macau apenas no dia 30 de Agosto, pelo que o blogue regressará apenas em Setembro. É em boa hora que me ponho daqui p'ra fora, uma vez que chegou aquele tempo quente e húmido que nos deixa sem vontade nenhuma de sair de casa. Pode ser que durante o mês de Agosto vos mande um postal ou dois, se para aí tiver virado. Já agora, a secção de comentários vai ser moderada, pois como podem compreender, não vou estar cá para apaziguar os leitores mais "entusiasmados". Para quem vai também de férias, boas férias para vocês. Quem voltou de férias, que tenha um ano próspero e produtivo. E para quem não tem férias, os meus pêsames. Ciao!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Last Friday in Macau


1) Muito se tem dito da tal lei de apoio judiciário aos funcionários públicos, um diploma que não reune consenso e tem levantado todo o tipo de dúvidas. A secretária Florinda Chan está sob fogo cerrado de democratas e imprensa, que temem que o articulado da lei afecte de alguma forma a liberdade de imprensa. A sra. Secretária desfez-se em explicações, mas ninguém consegue perceber o “porquê” desta lei. É um facto que as queixas passam por uma comissão de avaliação e a decisão de patrocinar judicialmente o funcionário público cabe em última instância ao Chefe do Executivo, mas ninguém consegue calar as vozes críticas. Não sou jurista, mas tenho uma série de dúvidas sobre esta lei. Foi feita para servir quem, afinal? E se um funcionário público quiser processar outro funcionário público? Patrocinam-se os dois? E o mal é de raíz: e o artigo 25º da Lei Básica, que diz que todos os residentes “são iguais”, para o melhor e para o pior? No início ainda pensei que esta lei era feita à medida para os profissionais de saúde, uma vez que a RAEM não se responsabiliza pelos erros médicos, mas isto não foi mencionado uma única vez em sede de estudo da nova lei. Quer-me parecer que esta vai passar “ao lado”, como aquela da redução da idade da imputabilidade criminal. Depois do Verão logo se vê.

2) Estava a conversar esta manhã com uma amiga que é assistente social, e falávamos mais uma vez do combate à droga em Macau. É uma pena que Macau forme quadros neste tipo de trabalho social tão importante, mas não os ensine o que é a droga. A minha amiga dizia-me que “concorda” com a concepção de que “todas as drogas são iguais”, e que anúncios publicitários como o daquele jovem a arrastar-se pelas ruas aos gritos “espelha a realidade”. A sério, coitados. O pior é que os jovens aprendem que “a droga mata”, depois vêem por aí os drogados todos vivos e a divertirem-se à brava, e percebem que lhes estão a enfiar o barrete. Já no 9º ano na disciplina de Saúde aprendemos (e investigámos) que tipos de droga existem, os seus efeitos, nível de habituação, riscos parelelos para a saúde (SIDA, hepatite B), etc. Aqui estimulam os miúdos a “dizer não”, sem lhes explicar “porquê”. Só “porque sim”. O consumo aumenta, a prisão serve a justiça, e lá vamos todos cantando e rindo. Até um dia...

Sr. Galinha e o seu filho


Os chineses têm mais de 11 mil apelidos, mas destes apenas cerca de mil são ainda usados, segundo os especialistas. Além do 100 apelidos mais comuns, como Wang, Li, Zhang, Liu ou Chen, vários apelidos raros ainda existem nos dias de hoje. Ji (galinha), Si (morte), Zhang (sujo), Niao (urina) ou Shi (cadáver) estão entre os mais estrandos. Escusado será dizer que alguns dos portadores destes apelidos são motivo de chacota. Um homem de apelido Ji (galinha), foi pai recentemente, e confessou estar a ter problemas em dar o nome ao seu filho. Galinha-quê? Para resolver ou problema (ou agravá-lo...) pediu ajuda aos cibernautas chineses, postando um anúncio num forum muito popular: "O meu apelido é Ji. Como devo chamar o meu filho?". Algumas sugestões passam por Ji Dan (ovo de galinha), Ji Jian (sodomia), Ji Dipi (GDP), Ji Luoyou (rabo de galinha) ou Ji Tou (cabeça de galinha). Brincalhões. Um dos ciberbautas diz ter um amigo que se chama Si Jun (soldado morto), e por causa disto "tem tido muitos problemas", e quer "mudar de nome". De acordo com o livro de apelidos da China, "Ji" é um apelido originário da tribo Zhuang, da província de Guangxi. É nessa província que vive a maior família "galinha" - mais de mil indivíduos. Si (morte) é o segundo apelido mais raro em toda a China, e a maioria dos "mortos" vive no nordeste do país.

Chelsea dos três milhões


Parece uma notícia sobre futebol, mas não é. Chelsea Clinton, filha do ex-presidente norte-americano Bill Clinton (ganda maluco) vai casar, e isso vai custar qualquer coisa como três milhões de dólares. Clinton, de 30 anos, vai casar com Marc Mezvinsky, um banqueiro de 32 anos. O casamento realiza-se amanhã em Rhinebeck, a 145 km de Nova Iorque, na Astor Courts, uma mansão dos finais do sec. XIX. A segurança vai ser apertada, e o espaço aéreo por cima do local vai ser interditado durante 12 horas entre a tarde de Sábado e a madrugada de Domingo. Só a manutenção das casas-de-banho vai ficar por 20 mil dólares, e o "catering" em 750 mil (deve ser bom). O presidente Barack Obama não foi convidado, uma vez que os pais de Chelsea querem que o casamento da sua filha seja "o mais privada possível". Imaginem se fosse pública. O actual presidente norte-americano gracejou, dizendo "já basta um presidente no casamento", referindo-se a Bill Clinton.

Não baptize os seus filhos


Um bebé na Moldávia morreu afogado numa pia baptismal, enquanto era baptizado por um padreco que devia estar bêbado. O padre em questão submergiu a criança de seis semanas na pia baptismal por três vezes, e poucos minutos depois o bebé espumava da boca e sangrava do nariz, tendo falecido a caminho do hospital. A autópsia detectou uma grande quantidade água nos pulmões da criança, e o padre vai ser acusado de homicídio culposo. Caso seja declarado culpado - e para bem da humanidade, espero que sim - incorre numa pena de três anos. É pouco. Em declarações sobre o sucedido, um porta-voz da Igreja Católica Ortodoxa disse não recordar um episódio semelhante na história religiosa do país. Ui, se a "normal" já é o que é, o que dizer da "ortodoxa"?

Vídeo da semana


Morreu um dos actores que mais me intrigou durante a sua carreira. António Feio tinha 55 anos, e sucumbiu ontem a um cancro do pâncreas que vinha combatendo já há algum tempo. Feio adquiriu a simpatia do grande público por ter assumido a sua doença, e ter deixado uma mensagem positiva às pessoas que sofrem de cancro: que lutem, que não desanimem. Como actor lembro-me de um personagem de um toxicodependente que fazia numa das primeiras telenovelas portuguesas (Origens?), e talvez esse papel tenha marcado o meu julgamento quanto à sua carreira. Destacou-se nos últimos anos como humorista, tendo trabalhado ao lado de José Pedro Gomes em "Conversas da treta" e "Paraíso Filmes". Paz à sua alma.

Marítimo bate em mortos, Sporting vence na Dinamarca


Nordsjaelland 0-1 Sporting

Simão | MySpace Video

Grande jornada europeia para as equipas portuguesas, com Braga, Sporting e Marítimo a vencerem os seus jogos. Os bracarenses já tinham goleado o Celtic por três bolas a zero na quarta, e ontem foi o Marítimo a dar no canastro britânico: 8-2 ao Bangor City, uma equipa semi-amadora do País de Gales. Quanto ao Sporting, foi à Dinamarca bater o Nordsjaelland por uma bola a zero, com o único golo do encontro a ser apontado por Vukcevic aos 24 minutos. Os jogos da segunda mão realizam-se na próxima semana, e vou assistir ao vivo ao jogo Sporting-Nordsjaelland (não que seja simpatizante da lagartagem, mas é par levar os miúdos a conhecer um jogo de futebol a sério). Noutros jogos desta 3ª pré-eliminatória em que entraram equipas "grandes", Juventus e Liverpool venceram fora pelo mesmo resultado, 2-0, nos terrenos do Shamrock Rovers e Rabotnicki Skopje. O AZ bateu o IFK em casa também por 2-0, e Olympiakos venceu na Grécia o Maccabi Tel-Aviv por duas bolas a uma.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Considerações sobre o ser e o estar em Macau, parte IV: Debaixo do pano


Macau sempre foi uma terra onde muita coisa se resolve debaixo da mesa. E já foi mais. Vício, virtude ou defeito, não sei bem, e aquilo que sei de muita "porcaria" que por aqui aconteceu foi-me transmitido por testemunhos vivos de relativa confiança. Não falo com muito conhecimento de causa; não tive muito contacto com envelopes vermelhos, vulgo "lai-si", nunca me tentaram corromper, e nunca tive nada a ver com grandes negociatas. Aquilo que fui vendo no início até considerava "normal dadas as circunstâncias" (vim para cá novinho...), e diziam que era "costumeiro dar gorjeta". E pronto, está bem.

Já não apanhei o período em que de modo a obter um serviço era preciso "cair" (no linguajar local), e aquilo que agora se chama tão cruamente "corrupção" era apenas o "óleo" que servia para fazer a "máquina" funcionar melhor. Ainda me lembro do meu sogro me contar que pagou dez mil patacas pela emissão do passaporte português, isto nos idos anos 70. Não sei a quem pagou, mas não deverá ter sido à entidade emissora, uma vez que o senhor tinha e sempre teve nacionalidade portuguesa.

Não quero com isto dizer que Macau estava "a saque", mas na administração, por exemplo, reinava um um nepotismo atroz, e vigorava um autêntico "Código dos padrinhos". Para conseguir emprego na função pública, o que era considerado para muitos "impossível", bastava ver se fulano era "bom filho", e depois deixá-lo entrar. Isto sem concursos, claro, modalidade desconhecida na altura. Escusado será dizer que os "maus filhos" ficavam de fora, naturalmente. Existia uma "taxa de urgência" quase obrigatória, e quem não "caísse" (aí está) arriscava-se a ver os seus requerimentos deixados no fundo de uma gaveta qualquer.

Os chineses foram-se habituando ao fandanguinho, num misto de zen e muitos séculos de espinha dobrada às ordens do imperador. As gerações anteriores aos anos 90 cresceram com a convicção que era "normal" pagar por serviços gratuitos, ou por "taxas" várias, algumas delas criadas com grandes doses de imaginação. E fazer o quê? Não existia CCAC, auditorias, reclamações (tal como no casino, a "casa" ganhava sempre), nada.

O maior escândalo de corrupção da história do território teve lugar já depois da transferência de soberania, quando cantavam outros intérpretes. A julgar pela dimensão da coisa, a escola do ex-secretário Ao Man Long era definitivamente outra. Longe vão os tempos em que os tigres se contentavam com umas migalhas, um "lai-si" aqui e ali, um bilhete de avião pago, umas garrafinhas de whiskey, uns casacos ou uma dentadura para a senhora. etc. Os vôos são outros.

Braga em grande


Sp. Braga 3-0 Celtic

Simão | MySpace Video

O Braga entrou em grande estilo na primeira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Os minhotos golearam em casa o Celtic, um dos históricos do futebol europeu, por três bolas a zero. Os bracarenses adiantaram-se no marcador aos 26 minutos por Alan na marcação de uma grande penalidade a castigar uma mão de Ki Sung-Yong na área, após cruzamento de Miguel Garcia. O Braga dominou sempre a partida, mas teve de esperar pelos últimos 10 minutos para voltar a marcar, primeiro por Elderson, e finalmente por Matheus. O Braga parte para a Escócia com uma vantagem confortável, mas é preciso não esquecer que o Celtic Park é um terreno difícil, e os "católicos" vão com toda a certeza contar com o apoio do seu público.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Considerações sobre o ser e o estar em Macau - parte III: Obras






Obras. Estão por toda a parte e são uma autêntica vergonha. Já sei que as obras são necessárias, e em alguns casos pecam pela escassez, mas quem disse que se pode partir o chão de uma rua inteira por onde passam diariamente milhares de pessoas? É o que se passa aqui perto de casa, junto ao McDonald's da Rua de S. Lourenço, até à Rua do Seminário. Que diabo, era preciso partir o passeio todo ao ponto de precisar de mudar a estação de autocarro para a Rua do Padre António, num passeio onde mal cabem duas pessoas lado a lado? O pior é que escolheram o pique do Verão para partir pedras, levantar pó e operar maquinaria pesada. E este é o outro problema: os indíviduos que operam esta maquinaria são normalmente oriundos da China continental, e é-lhes indiferente que se arranque uma cabeça ou duas enquanto usam as escavadoras. Não se metessem à frente, bolas.

Esta inconsciência das obras, que chega a arrancar passeios inteiros em ruas onde nem dá para passar devido à quantidade de motociclos e carros estacionados, é uma das maiores dores de cabeça que temos que suportar em Macau. Primeiro foram os bate-estacas, eventualmente passámos para os martelos-pneumáticos, e de vez em quando lá temos que nos desviar dos buracos no chão para consertar os canos de esgoto, que ainda por cima cheiram mal como a porra. Isto tira qualidade de vida aos cidadãos - aos peões, que precisam de andar no meio da estrada para evitar as obras, e aos motoristas, que precisam de fazer um esforço suplementar para não atropelar ninguém. Dos autocarros nem se fala; cheguei a ficar uma hora preso no trânsito no Lilau porque um autocarro ficou "encravado" numa obra de um passeio junto da Casa do Mandarim.

Em dias que chove torrencialmente, como hoje, estes buracos no chão transformam-se em pântanos de lama, pedras, cascas de fios de cobre, cartão das caixas de material, restos dos almoço dos operários, enfim, uma javardice enorme. E muitas vezes à porta da casa das pessoas, que não têm direito a achar bem nem mal, pois trata-se de uma "obra pública". Uma obra que não é mesmo nada pública é a que está ser levada a cabo junto à Pastelaria Caravela, por exemplo. Foi lá ontem almoçar com uns colegas, e é exactamente durante a hora da refeição que os operários que trabalham na renovação de uma casa de pasto ali em frente resolvem usar a rebarbadeira. Põe-se para ali a cortar o ferro, a chapa, a soltar faíscas e tudo mais enquanto a menos de cinco metros há pessoas que estão a tentar comer a sopa. Parecia uma visita ao dentista.

E por falar em obras "privadas", gostava de saber o que se passa com o meu vizinho de cima. A casa do gajo está em obras 11 meses por ano, e os trolhas cumprem religiosamente o ritual de começar a furar e martelar às 9:01 da manhã. Escusado será dizer que pouco depois das oito, hora em que a maioria das pessoas está a sair de casa para ir trabalhar, já um dos elevadores está ocupado pelo transporte do lixo, dos azulejos, dos sacos de cimentos e toda essa merda. Mesmo ao Sábado a barulheira não cessa, começando poucos minutos depois das nove, e acabando às seis da tarde, conforme manda a lei. Mas um dia vou perguntar-lhe: "porque não compra antes uma casa nova?". E de preferência bem longe daqui.

Professores raptam criança na China



Dois professores chineses raptaram um menino de 5 anos depois de terem perdido dinheiro nas apostas do mundial de futebol. Os dois professores de uma escola na província de Anhui terão perdido 100 mil yuan nas apostas do campeonato do mundo, e como não podiam pagar as dívidas, raptaram o pequeno Liangliang enquanto este brincava na rua, a 4 de Julho. Mais tarde ligaram aos familiares pedindo um resgate de 200 mil yuan, e a família contactou imediatamente as autoridades, uma vez que não conseguiriam aquela soma de dinheiro. A 6 de Julho a polícia prendeu os raptores e salvou Liangliang, que se encontrava ferido com gravidade. As suas mãos estavam atadas, e a falta de circulação levou dois dedos a gangrenarem, tendo sido cortados em 19 de Julho. Além disso, tinha dez queimaduras de cigarro no seu corpo. O jovem encontra-se internado num hospital em Qingdao, e pode ainda perder os restantes dedos da mão direita.

Impotente impaciente


Uma mulher na India foi multada por ter espalhado rumores de que o seu marido era impotente. Um tribunal de Madhya Pradesh condenou Vandana Gurjar a pagar uma multa de 200 mil rupias (15 mil patacas) ao marido Hemant Chhalotre, que a processou por difamação. A woman has been slapped with a heafty fine by a court in India after accusing her husband of impotence. Vandana casou com Hemant há nove anos, mas o casal separou-se apenas três meses depois. A mulher apresentou uma queixa contra o marido e a família deste, por falta de pagamento do dote, mas o tribunal arquivou o caso em 2004. Depois disso, Vandana pediu o divórcio, alegando que não poderia viver conjugalmente com um homem "impotente". O tribunal deu-lhes o divórcio. Em 2006, Hemant processou a mulher devido à sua alegação. Segundo o homem, a acusação prejudicou-o na procura de outros casamentos, e manchou a sua honra.

Whatizzit lah?


Mais um vídeo hilariante, e este chega-nos de Singapura. Uma "tiazinha" discute com um rapaz por causa de um lugar de estacionamento, e quando se apercebe que está a ser filmada, descarrega a sua "fúria" no indiscreto intruso. As suas reacções são assim um tanto ou quanto peculiares. Bem, "that's Singapore, lah..."

A fome na Rússia


Seis membros de um culto satânico na Rússia foram condenados a penas até 20 anos de prisão, pelo homicídio de quatro adolescentes, que envolveu um "ritual" em que desmembraram a comeram as vítimas numa floresta. Os seis foram considerados culpados da acusação de "homicídio com o intuito de levar a cabo um ritual de violentar os cadáveres" (parece grave), em sentença lida num tribunal de Moscovo. O grupo, dos quais quatro dos elementos eram menores de idade na altura dos factos, mataram quatro adolescentes em Junho de 2008. De seguida guardaram todos os bens de valor das vítimas, desmembraram os cropos, cozinharam-nos e comeram-nos. A pena mais pesada foi para o líder do grupo, Nikolai Ogolobnyak. O grupo considerava-se "Satânico", e já tinha levado a cabo sacrifícios com animais.

Celebração salmão


O vídeo que está a correr a internet. Um jogador islandês marca um penalty e comemora com os companheiros fingindo que está a pescar um salmão, que lhe aparece aos saltinhos numa coreografia engraçada que faz lembrar um ataque de epilepsia. No final os jogadores posam com o pescado, e um deles tira-lhes uma foto numa máquina imaginária. Aconteceu na segunda-feira no jogo da liga islandesa, entre o Stjarnan e o Fylkir, duas formações do meio da tabela. O "pescador" do Stjarnan é Halldor Orri, e o salmão é Johann Laxdal, conhecido pelos companheiros pelo, aí está, "salmão". O jogo terminou com uma vitória do Stjarnan por duas bolas a uma.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Avenida Almirante Almeida e Costa


1) Muito se falou e escreveu sobre o desaparecimento do ex-governador de Macau, Vasco Almeida e Costa, e toda a imprensa portuguesa deu destaque ao assunto, sendo que o Ponto Final e o Jornal Tribuna de Macau dedicaram-lhe mais páginas que o Hoje Macau. Cheguei depois do consulado de Almeida e Costa, na verdade cheguei aqui em plena “primavera vieirista”, se tal coisa houve, mas isto não significa que não tenha uma opinião formada sobre o governador que mudou Macau para sempre, e dotou o território de estruturas que o fazem ainda funcionar da forma como o conhecemos hoje. Se em Macau a estrutura governamental é completa (ou quase), moderna e eficiente, é também graças a Almeida e Costa. Como alguém disse e muito bem, era um homem que desenhou um projecto para Macau, e tentou concretizá-lo. Se há quem ache mal que o agora falecido almirante dotasse Macau de direcções de serviços, um instituto cultural, um aeroporto, ou ainda um canal próprio de televisão, além de ter desenvolvido infra-estruturas decrépitas que não se coadunavam com uma cidade que se queria moderna e desenvolvida, devia querer que Macau fosse para sempre uma posição fortificada, atrasada e corrupta. A questão das cisões e da alegada hostilização da comunidade portuguesa é uma história que tem muito que se lhe diga, e não me cabe aqui entrar em detalhes sórdidos. Atenção que aqui quando se fala em “comunidade portuguesa”, estamos a referir-nos ao sentido lato da expressão. A comunidade portuguesa em 1981 era constituída primariamente por indivíduos nascidos em Macau. O problema de Almeida e Costa foi ter chegado a um território onde a sua cor política destoava das cores políticas que ditavam as regras. Tentou dividir o bolo era comido por poucos, e os gulosos proprietários do bolo obviamente não gostaram. Assim como não gostaram do facto do governador em funções ter chamado quadros especializados da República para desempenhar funções que requeriam...quadros especializados. Foi o célebre episódio dos “pára-quedistas”. É sabido que em meter as mãos em assuntos relacionados com aterros é e sempre foi meter a mão num ninho de vespas. Apesar das vespas, foi positivo o desempenho de Almeida e Costa. Que o digam as centenas de quadros médios macaenses que entraram para a administração, só para citar um exemplo. Não é difícil encontrar alguém que tenha trabalhado em Macau nesse tempo que não diga maravilhas do almirante. Se há algo que Almeida e Costa merecia, era uma Avenida com o seu nome. Pelo menos. Paz à sua alma, que descanse agora para a eternidade, pois merece. Vergonha aos que aproveitam a sua morte para o atacar. O resto são chinesices.

2) Num comentário ao post "Leituras" do último Sábado, um leitor ou leitora acusou-me de ser "imparcial", visto que deixo dois links para o Hoje Macau e para o JTM, e apenas um para o Ponto Final e para O Clarim, o jornal da Igreja Cacofónica. Ora bem, O Clarim é semanário, ao contrário dos outros três, que são diários. O Ponto Final não me dá muito por onde escolher, uma vez que a rubrica "Leituras" privilegia os artigos de opinião, de preferência da autoria de jornalistas ou personalidades do território, e o PF, tirando um ou outro editorial, peca pela escassez de opinião. Não que isto seja propriamente um defeito, e se calhar é feitio, mas gostava apenas de deixar claras as razões do sucedido. Em todo o caso, a partir do próximo "Leituras", o Ponto Final vai ter dois links, assim como os restantes diários. Se isso realmente se trata de "corrigir uma injustiça", que seja, e não me dá muito trabalho. Obrigado pela atenção.

Shazai (謝罪)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Considerações sobre o ser e o estar em Macau - parte II: Camaleões


Camaleões. Pessoas que mudam facilmente de opinião ou conduta. Posto nestes termos – ninguém gosta de ser chamado “Camaleão” porque lembra o réptil – até podemos considerar que Macau é uma espécie de Madagascar em ponto pequeno. Não quero ofender ninguém, mas em quase 20 anos que levo de Macau (estou quase a “apanhar” aquela coluna do JTM) conheci uma variedade extensíssima de sáurios insectívoros. Não me refiro obviamente aos pobres jornalistas que chegam ao território e dias depois estão supostamente “completamente integrados” na sua realidade. Na verdade o território que conheci quando cheguei era uma roda-viva de amor e fraternidade, uma espécie de segunda Lisboa, mais libertina e menos ameaçadora, e os nossos camaradas usufruíam em grande estilo os últimos dias do império.

Foi nesse contexto que cheguei a Macau: aproveitar para ganhar umas massas, continuar a estudar, e depois pimba, dar de frosques. Aliás foi naquele triste dia de 1991 que quando virei pela última vez a cara à família no aeroporto da Portela e disse: “até 1999!”. E era mesmo assim, já era um puto bem informado. Mas depois aconteceu algo terrível: apaixonei-me por Macau. Apaixonei-me demasiado depressa, e por isso desenvolvi um olho crítico que me permitiu tirar um raio-x a quem ousava usar e insultar esta minha terra de adopção.

O pior tipo de camaleões que conheci foram os “inadaptados”, e que ainda os há, gentinha que chegou, viu, venceu, voltou e não telefona mais aos amigos. Houve alguns que chegaram que ainda foram sinceros, viram que não gostavam e deram meia-volta. Mas outros, os sacristas, chegavam, ficavam dois ou três anos, planeavam comprar uma casa no Ocean Garden e “ter um macaense”, e depois sem mais nem menos bazaram, tipo: “já chega, já vi, agora tenho uma proposta melhor em Portugal portanto chau-chau”. É muito feio fazer juras de amor e depois virar as costas e fugir com o marmeleiro. Ainda vos vou ver um dia em Portugal e cobrar todas essas promessas.

Outro tipo de camaleão de língua vípera e pegajosa é o “esquecido”. Esse veio, ficou por cá uns bons anos, teve filhos, descontou para a reforma e depois partiu para nunca mais voltar. A mensagem que passam é: “epá já acabou, já chegou 1999, agora butes que não estou para aturar chinesices”. Nem querem saber mais de Macau, e usam frequentemente esta memória para entreter os amigos, porque são “diferentes”. Podiam passar por aqui um dia destes, e assim viam como Macau está muito melhor sem V. Exas.

Falando agora dos que ficaram, um tipo de camaleão curioso e inofensivo é o “arrependido”. Dentro do camaleão arrependido encontram-se dois tipos: a lapa e o boomerang. A lapa fazia planos de ir embora, comprou casa em Portugal e tudo, mas depois deu-lhe preguiça e ficou. A casa lá na tuga foi vendida, e se calhar já comprou antes uma em Zhuhai, que sempre fica mais à mão. O boomerang concretizou os seus intentos de se mudar de armas e bagagens para o país das armas e dos barões assinalados. Como só lá tinha ido de férias, pensou que era o paraíso, com jantares fora e idas à praia todos os dias. Passados dois ou três anos, percebeu que afinal não era bem assim, e voltou a Macau, com o rabinho entre as pernas. Ambos estes tipos de camaleão arrependido diziam coisas atrozes aos que decidiam ficar, do tipo “os chineses vão comer-vos vivos” ou perguntavam chocados “vocês vão trabalhar para eles?”. Depois o minchi falou mais alto, e lá resolveram continuar entre os justos.

Finalmente o meu tipo de camaleão preferido, o “vira-casacas”. Este é o mais divertido. Como bom patriota, afirmou sempre a sua portugalidade, e ao virar da transição, adaptou-se como bom camaleão que é. É conhecido por frases como “Macau é parte da China, o menino não gosta volte para Portugal” para ganhar discussões, e “O que é que queres? A China quer assim” para justificar qualquer anormalidade ou atropelo à justiça em Macau. E não é que se calhar têm mesmo razão?

Morreu Almeida e Costa


Faleceu ontem em Portugal o ex-governador de Macau, Vasco Almeida e Costa. Almeida e Costa foi um militar com um historial político interessante, e chegou mesmo a exercer o cargo de primeiro-ministro substituto no período do "Verão quente" de 1975. Depois de ter sido dado como possível candidato presidencial, veio para Macau em 1981 onde se tornaria o 134º governador do território. Durante o seu mandato de 5 anos, reformou a administração pública, lançou o aeroporto de Macau e a Nova Taipa, e baptizou a TDM, o tão desejado canal de televisão de Macau. Envolveu-se em polémicas com personalidades influentes do burgo, e chegou a dissolver a Assembleia Legislativa, numa inédita e até agora única ocasião. Foi um grande português, um dos melhores governadores de Macau, e um homem que ajudou a tornar este território desenvolvido e próspero que temos hoje, tirando-o do marasmo cinzentista que perdurava desde tempos coloniais. Tinha 78 anos.

Rituais satânicos na India


Um crime que deixou a India em estado de choque. Um místico hindu e a sua associada raptaram, decapitaram e beberam o sangue de um bebé de 18 meses, porque acreditavam que isso lhes daria super-poderes. Abdul Gafoor, de 31 anos, disse às autoridades que teve um sonho premonitório onde foi instruído a beber sangue de uma criança, de modo a obter "poderes mágicos". Segundo a polícia, Gafoor e a sua assistente Ramala Bevi, de 28 anos, raptaram o bebé no dia 1 de Julho de um pedestal Sufi em Madurai, onde a sua mãe, uma viúva, a guardava. De seguida levaram a criança para a cidade de Ramanathapuram, onde Gafoor lhe cortou a garganta e bebeu o seu sangue. De seguida decapitou o rapaz, e enterrou o sua cabeça e o resto do corpo em duas localidades separadas por 128 km no estado de Tamil Nadu. Depois da sua detenção na sexta-feira, Gafoor ajudou as autoridades a recuperar o cadáver. O dorso estava embrulhado numa manta vermelha, e junto estava a imagem da deusa Kali Ma.

Bosta de música


Existem mil e uma razões para uma banda cancelar um show, mas esta é sem dúvida uma das mais originais. Os Kings of Leon (na imagem) tiveram que cancelar um espectáculo ao ar livre em St. Louis, Missouri, devido à quantidade de merda que caía do céu. Isso mesmo, aparentemente alguns pombos não gostaram da música, e cagaram-lhes em cima. A situação tornou-se incomportável a partir da terceira canção, altura em que já um bando de pombos tinha satisfeito as suas necessidades fisiológicas em cima da banda do Tennessee. Um dos elementos do grupo, o baixista Jared Followill, é germofobo (tem medo da sujidade), e foi presenteado com uma bosta de pombo em cheio na cara. A banda tinha um alinhamento de 20 canções, mas segundo o próprio Jared, "já estariamos cobertos de merda da cabeça aos pés" no final. Fica para a próxima, rapazes.

As aventuras da mulher-alface


Uma activista dos direitos dos animais na Jordânia causou ontem controvérsia ao manifestar-se completamente coberta de folhas de alface, numa tentativa de persuadir os carnívoros jordanos a converterem-se ao vegetarianismo. O par passeou-se por algumas das ruas mais movimentadas da capital Amman, com um cartaz onde se lia "Deixem o vegetarianismo crescer em vocês". Quem não achou muita graça foi a polícia, que deteve Amina Tarek (à direita) e uma colega sua da PETA. As autoridades detiveram as duas durante três horas, alegando que "não tinham autorização" para realizar o protesto. As meninas da PETA dizem que tinham.

Corinthians recupera liderança


Realizou-se este fim-de-semana mais uma jornada do Brasileirão, com o Corinthians a derrotar o Guarani por três bolas a uma, e a isolar-se na liderança, mercê do empate do Fluminense no terreno do Botafogo, no "derby" carioca. O Ceará mantém o terceiro lugar, apesar de ter feito o quarto jogo sem ganhar; desta vez empatou em casa a zero frente ao Palmeiras. A título de curiosidade, refira-se que os cearenses têm a defesa menos batida da prova (4 golos em 11 jogos), mas também o ataque menos concretizador (9/11). Também a zero terminaram as partidas Avaí-At. Mineiro, e Grêmio Prudente-Vitória. O Inter de Porto Alegre somou a quarta vitória consecutiva, e pulou para o quarto lugar. Desta vez a "vítima" foi o Flamengo, que caíu no Beira Rio, em RS, por uma bola a zero. Vasco da Gama e At. Paranaense voltaram a vencer, e saíram dos lugares da despromoção. Os vascaínos receberam o lanterna vermelha At. Goianense e venceram por 2-0, e os paranaenses foram à Goiânia vencer o aflito Goiás pelo mesmo resultado. O Cruzeiro não foi além de um empate a duas bolas em casa frente ao aflito Grêmio PA, e no derby paulista, de que deixo imagens, o Santos bateu o S. Paulo por uma bola a zero, afundando cada vez mais os paulistanos na tabela classificativa. O Corinthians lidera com 24 pontos, Fluminense tem 23, Ceará com 20, Inter PA 19, Avaí, Cruzeiro e Flamengo com 16.

domingo, 25 de julho de 2010

Considerações sobre o ser e o estar em Macau - parte I


Fazem-me confusão algumas conversas que tenho com alguns elementos da comunidade portuguesa de Macau. Estava eu esta manhã a beber café num “meeting point” da tuga, quando se senta junto de mim um senhor que conheço mal, mas temos em comum um ou dois jantares por aí, na companhia de amigos (“conhecidos”, para mim) comuns. Aí a sacramental pergunta que serve para etiquetar o alvo: “onde trabalha?”. Depois de uma resposta menos satisfatória – não sou advogado, médico, engenheiro, arquitecto, jornalista, artista, director de serviços ou juíz –, o habitual “Ai sim? E não pensa em mudar, bla, bla, bla”. Se esta conversa acontecesse em Portugal, ainda pensava que o indivíduo estaria a tentar converter-me à Igreja Maná, ou a vender enciclopédias. Mas sendo aqui, desconfio que o senhor está mesmo preocupado comigo – apesar de não me ter queixado, ou ter razão para tal.

Aparentemente se já cheguei aqui há tantos anos, isso implicaria que já tivesse uma perna de pau, uma pala no olho e uma barba, ou seja, já me teria dedicado com mais afinco à pilhagem e ao saque. Mas não, faço a mesma coisa há vários anos, o que significa para os padrões daqui que “não evoluí”. A minha mulher diz-me a mesma coisa, que não sou “agressivo”, ou que não sou um “grande filho da puta”, como muita gente por aí. Depois junta-me um “é por isso que tens tantos amigos” (outra vez, conhecidos), “não constituis uma ameaça para ninguém”, e é por isso “que as pessoas gostam de falar contigo”, mas “só quando estão sozinhos”, porque em grupo “fingem que não te conhecem”. Que fauna tão interessante.

Eu sinto-me triste por isso. Por não ser um amigo de ocasião, por não puxar o saco ou chupar a pila a ninguém, por não me meter à frente dos outros nas fotografias, por não ficar zangado se não for convidado para uma festa, por não ameaçar com processos judiciais, por não inscrever os meus filhos em oito ou nove actividades extra-curriculares, por não ir de férias a Portugal duas vezes por ano e dar a entender que a minha casa não é Macau e só estou aqui até arranjar uma coisinha melhor em Lisboa, ou à Tailândia três vezes por ano (Ano Novo Chinês, Páscoa e Natal), isso tudo.

Posso tentar ser, mas só a ideia dá-me voltas ao estômago e fico com vontade de vomitar. Aliás antes que isso acontecesse esta manhã, fingi ter “um compromisso urgente e inadiável”, dei os bons dias ao meu “amigo” e retirei-me. Chiça!

Dobradinha da Ferrari em Hockenheim


Aconteceu pela primeira vez esta temporada: a Ferrari conquistou os dois primeiros lugares do pódio em Hockenheim, no GP da Alemanha, deixando o Red Bull de Sebastian Vettel, que voltou a largar da pole-position, em terceiro lugar. Fernando Alonso terminou em primeiro, e Filipe Massa, que tem feito uma época medíocre, terminou em segundo - foi apenas o terceiro pódio do brasileiro esta temporada, e já não pontuava desde 30 de Maio, na Turquia. Nas posições imediatas terminaram os pilotos da McLaren, com Hamilton em quarto lugar à frente de Button. Webber, Kubica, Rosberg, Schumacher e Petrov completaram os lugares dos pontos. Lewis Hamilton continua a liderar o mundial de pilotos, agora com 157 pontos, seguido de Jenson Button com 143, Vettel e Webber têm 136, Alonso tem 123 e Rosberg 94. Nos construtores a McLaren lidera com 300 pontos, seguida da Red Bull com 272, Ferrari com 208 e Mercedes com 132. A próxima prova do mundial de F1 realiza-se no próximo fim-de-semana em Hungaroring, na Hungria.

Prostituto intelectual


Um estudante de 18 anos em Hong Kong foi condenado a seis meses de prisão por se ter sentado para o seu "cliente" durante um exame. Zhao Chunlin, originário de Henan, confessou as três acusações de conspiração, fraude e falsificação de documento. Zhao foi pago 7500 yuan para fazer três testes para um estudante de Hong Kong, nos exames de acesso à Universidade. Depois de ter realizado dois dos testes com sucesso, um dos inspectores notou que o seu cartão de identificação era "diferente" dos outros. Depois de uma observação mais detalhada, verificou-se que era falso. Zhao, que está inscrito numa universidade dos Estados Unidos, diz que foi abordado em Shenzhen por um homem chamado "Ricky", que lhe ofereceu dinheiro para substituir alguém em 3 exames - por 2500 yuan cada.exames Zhao diz que aceitou o trabalho para "aliviar a despesa dos pais", que trabalham "10 horas por dia" para pagar os seus estudos.

Facada maternal


Uma mulher de 40 anos esfaqueou a filha de dez anos por causa do computador, em Hong Kong. O incidente ocorreu às 14:00 de quinta-feira, quando a senhora via uma série de televisão no YouTube (são o demónio...). A filha queria usar o PC, mas a mãe não deixou, e iniciou-se uma discussão entre as duas. A mãe foi então à cozinha buscar uma faca para lhe bater com o cabo, mas acidentalmente atingiu-a com a lâmina. A mulher chamou uma ambulância, e acompanhou a filha até ao hospital, onde foi detida. Da próxima vez podia usar uma vassoura. Mas...uma faca?

Boa noite, craagh, srs. telespectadores. Blerrr!


Uma apresentadora de televisão em Taiwan engoliu um mosquito, engasgou-se, e precisou de ser hopsitalizada devido a um ataque de asma. Huang Ching estava a ler as notícias, quando o insecto lhe entrou na boca e quase a asfixiou. A brava jornalista (ahahah) continou profissionalmente a ler as notícias (ohohohohoh) porque achava que era "deselegante" cuspir o mosquito. Os responsáveis da China Television Co resolveram então tirá-la do ar, não fosse a senhora morrer ali ao vivo e a cores. Depois deram-lhe a semana de folga. Que bonzinhos.

O fantasma vê fantasmas


Marilyn Manson (isto na imagem) "vê fantasmas". O cantor (?) esteve no programa Celebrity Ghost Stories (a sério...), e diz que "quando era miúdo visitou a casa dos bisavôs", e que "ouviu vozes". Manson diz ainda que "não são os fantasmas que o assustam", mas sim "forças sobrenaturais maléficas". O artista concluíu com uma teoria interessante: "quando alguém é muito ligado a uma casa, depois de morrer deixa qualquer coisa nessa casa, que fica assombrada". Mas é claro que este senhor vê fantasmas. Quando se olha no espelho, por exemplo.

Queirós insultou Luís Horta porque...


Luís Horta prepara-se para se tornar um herói nacional: o homem que causou o despedimento de Carlos Queirós.

Sporting ganha em Nova Iorque


O Sporting venceu ontem o Manchester City por duas bolas a zero em partida amigável realizada em Nova Iorque. Os dois golos dos leões foram apontados por Aniki Bobó. Perdão, Yannick Djaló.

O Benfica ganhou, c...


Os adeptos do Benfica comentavam esta manhã a apresentação contra o Monaco.

- Epá, o Benfica ganhou meu. Ganda pinta. Apresentação aos sócios e ganhámos ao Monaco, c... Bué da fixe!
- O Monaco foi oitavo no campeonato francês a época passada.
- Dizes bem, francês, bue da exigente meu.
- Ia, e o Aimar marcou um ganda golo, c...
- Podes crer, e o Cardozo? Entrou, marcou. Vai embora o c...
- Não há pa ninguém este ano outra vez.
- Fodes crer, bro.

Selecção é goleada, mas vai ao mundial


Pode parecer um pouco confuso, mas é assim mesmo. A selecção portuguesa de sub-19 foi trucidada pela Croácia no europeu da modalidade, mas mesmo assim qualificou-se para o mundial de sub-20 no próximo ano, na Colômbia. Os jovens portugueses perderam por 0-5 com os croatas, e terminaram no terceiro lugar do Grupo A. Portugal começou bastante bem, batendo a Itália por duas bolas a zero, perdendo de seguida com a Espanha por 1-2. Contra a Croácia bastava um empate para seguir para as meias-finais, mas o treinador Ilídio Vale afirmou que "jogando para empatar arriscamo-nos a perder". Se calhar devia mesmo jogado para empatar. Mesmo assim o terceiro lugar no grupo é suficiente para que Portugal seja uma das seis equipas da UEFA que se qualifica para o mundial jovem de 2011.

sábado, 24 de julho de 2010

Leituras


- No Hoje Macau, Paul Chan Wai Chi assina mais "Um grito no deserto", esta semana O discurso inédito.

- Deite também uma olhadela sobre a Olhadela de Gilberto Lopes, onde se fala, entre outros temas, do novo espaço da Livraria Portuguesa.

- No JTM, Jorge Silva fala do salário mínimo e das receitas do jogo, em Uma questão de números.

- Também no JTM, fique a conhecer o programa do XXIV Festival de Música de Macau, em FIMM afina pelo clássico. Um trabalho da jornalista Diana do Mar.

- No Ponto Final, Luciana Leitão foi conhecer as estórias de residentes de Macau em época de tufões, em O lado cómico do tufão.

- N'O Clarim, jornal da Igreja Catota de Macau, alerta para os perigos do açucar, em O açúcar envelhece-nos e... aumenta as rugas!.

Bom fim-de-semana!

Volta à China


HEBEI - O governo de Shijiazhuang investiu 80 mil yuan atribuindo prémios ao pedestres e ciclistas que respeitassem os sinais vermelhos. A primeira pessoa a parar num sinal vermelho, recebia uma pequena recompensa. A campanha, que teve início no dia 10 e terminou na quarta-feira, visava promover o civismo, e premeou 200 residentes da cidade de 2,6 milhões de habitantes.

XANGAI - Dez trabalhadores de um a obra em Minhang sofreram intoxicação por amónio na última qunina-feira. Os trabalhadores alegam que o gás "começou a sair do chão", enquanto trabalhavam. Alguns dos trabalhadores desmaiaram, outros sentiram problemas respiratórios. Três trabalhadores encontram-se internados em condição estável.

SHANDONG - Quanquan, um panda de 21 anos de idade, foi encontrado morto no zoo de Jinan na última quinta-feira. O panda chegou de Wolong, em Sichuan, em 2007. O zoo diz que o panda morreu subitamente depois de ter sido levado para uma zona de ar-condicionado, para se proteger do calor. As causas da morte estão a ser investigadas por uma equipa de peritos.

HUNAN - Um trabalhador morreu e outros 12 estão desaparecido depois de uma inundação numa mina de manganês, na terça-feira. O acidente aconteceu na altura em que 13 trabalhadores se encontravam a trabalhar no subsolo. Um corpo foi encontrado, e continuam as buscas pelos outros 12 trabalhadores, que se assume terão também perdido a vida.

HUNAN - Um professor de Changsha mandou um aluno de três anos de idade comer o jantar na casa-de-banho, porque "estava a comer muito devagar". O rapaz recusou-se depois a regressar à sala de aula. Outros alunos queixam-se que o professor já lhes terá feito o mesmo no passado.

GUANGDONG - Um adolescente em Shunde esfaqueou um amigo 20 vezes depois deste se ter recusado a emprestar-lhe um cartão de memória de um computador. Depois de o esfaquear, o jovem terá pedido ao amigo para escrever uma nota de suicídio onde dizia "ter morrido por amor", mas o amigo estava demasiado fraco para fazê-lo, então o jovem escreveu ele próprio a missiva. Contudo a vítima sobreviveu, mas os médicos dizem que poderá perder o uso do seu braço esquerdo. Porque o jovem delinquente tem menos de 14 anos, vai ser apenas obrigado a pagar as despesas hospitalares do amigo.

CHONGQING - O Hilton em Chongqing perdeu o seu estatuto de hotel de cinco estrelas. A administração nacional de turismo ordenou o hotel a suspender a sua actividade durante 15 dias devido a "práticas ilegais" que danificaram o prestígio e o bom nome do Hilton. O hotel foi imaugurado em 2002, e obrigado a suspender a sua actividade devido ao elevado número de prostitutas que ali exerciam a sua profissão.

Beauty in the World


A diva está de volta. Macy Gray, que se celebrizou no final da década de noventa com o êxito "I Try" lançou o seu mais recente álbum, "The Sellout". A voz de Macy continua rouca, sensual, imaculada, apesar dos seus mais de 40 anos (como o tempo passa...). Aqui fica "Beauty in the World", primeiro single do novo trabalho.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Mapa de férias


Férias, férias...pois, férias. Está tod a gente a começar a ir de férias. E quanto a mim? Não vou entrar em grandes detalhes, mas posso adiantar que durante o mês de Agosto não há Bairro do Oriente. Tenho pena mas é mesmo assim. De 1 a 31 de Agosto não vai haver blogue, e esta mer..maravilhosa publicação regressa no dia 1 de Setembro. O Leocardo este ano vai fazer de imigrante e vai passar as vacances em Portugal, assistir a imensos festivais de música pimba, exibir a barriga na praia, beber tintol e frequentar sardinhadas (depois beber tintol outra vez). Até dia 31 de Julho, conto com a sua visita.

PS: Estou comovido com o comentário do Papa Pedro das Oliveiras na edição de hoje d'O Clarim, em defesa dos bloguistas anónimos. Deixe-me dizer-lhe que também sou um grande fã seu, e que o seu estilo é muito semelhante ao meu - quando eu era pequenino. Estou a brincar, Pedrocas! Em todo o caso, como não o conheço pessoalmente e nem sei como é a sua cara (assim como muitos outros opinadores da imprensa local), para mim é como se fosse também...um anónimo. Compreendo o que sente...

Os blogues dos outros


Pedro Rolo Duarte, Pedro Rolo Duarte

Dá pena. Mesmo àqueles insensíveis que não gostam de bola, do Benfica ou do Mantorras (não necessariamente por esta ordem). O avançado - que de encarnado não tem nada - vem agora afirmar, de sacrário aberto, que o Benfica é a sua "casa". Mas quem consegue desfrutar de uma "casa" apenas por 11 minutos ao ano. É certo que é a ele a quem pagam a "renda", mas pronto. Pode ser que com estas declarações Mantorras consiga despertar a veia de bom samaritano do Jesus.

Livreira Júnior, A Leste da Solum

Nos dias que correm, fala-se muito no "atraso de Portugal". Ele é a economia que não cresce, o desemprego que não pára de aumentar, os políticos que não param de dizer disparates, a Justiça que já parou há muito tempo, os estudantes a dizerem disparates deste calibre. Enfim, é uma tragédia, este nosso Portugal, e uma tragédia atrasada. Mas como poderia isso mudar, quando temos serial killers com o nome de "Ghob, o Rei dos Gnomos"? Está tudo doido? Nunca ninguém viu séries norte-americanas? Sei lá, Criminal Minds, Bones, CSI? Desta nem o Horatio Caine se lembrava: "Ghob, o Rei dos Gnomos". Isto é nome - e título, não esquecer o título - que eu não daria a uma personagem de Dungeons & Dragons, quanto mais a um serial killer. E depois querem que o país se modernize. Impossível.

João Campos, Delito de Opinião

Quando entrei no mundo do trabalho, o meu Pai, nascido na segunda década do século passado e formado, portanto, na «longa noite», explicou-me que os meus descontos – cujo destino me pareceu, desde logo, um tanto suspeito - iriam compor as reformas de alguns velhinhos. Já há muito o ouvia sustentar essa tese, mas só confrontada com a realidade amarga de impostos e taxas «intelectualizei» o princípio. Não tardou, porém, que começasse a reparar no afã com que os meus colegas – os da minha geração e os da seguinte, uns e outros formados à luz do sol radioso que em 74 rompeu as trevas da «longa noite» - faziam contas a quanto lhes faltava para se aposentarem e aos montantes que lhes eram mensalmente sonegados pelo Estado, mantendo um controlo rigoroso do seu actual «deve» e do seu futuro «haver». Eu, que ainda trabalhava com entusiasmo e remetia tais matérias para aprofundamento numa terceira idade, fiquei surpreendida com esta atitude contabilística, que julguei denunciar um cansaço profissional precoce. E que, por outro lado, me afirmava uma nova tese sobre os descontos: a de que eram, afinal, uma poupança e um seguro próprios, distanciados das preocupações solidárias de que me falara o meu Pai. Mas é assim que vejo agir e pensar toda a gente, de todos os quadrantes políticos, desde há trinta anos. Vem talvez daí a minha incompreensão do que seja, precisamente, um Estado social… ou o nosso Estado Social. E às vezes dou por mim a pensar se, em certas coisas, não se pensaria melhor na «longa noite»…

Luísa Correia, Corta-Fitas

Um pescador de caranguejos nunca tapava o balde em que colocava os caranguejos que ia apanhando. Isso admirava toda a gente à sua volta. Um dia, alguém, perguntou:
- Ó amigo, por que é que não tapa o balde onde tem os caranguejos ? Não tem medo que fujam?
Ao que o pescador calmamente respondeu:
- Não é preciso... São caranguejos portugueses... quando um tenta subir, os
outros imediatamente o puxam para baixo!...


João Severino, Pau Para Toda a Obra

As vantagens e desvantagens da abertura dos hipermercados são tão intrincadas que extremar as posições nos deixa a ridículo. Mas aqui deve destacar-se desde logo a forma como o PS-Governo "defende" o Estado Social enquanto coopera com a extrema e bem sucedida avidez dos donos dos hipermercados: dizem que este alargamento de horários aumentará imediatamente o emprego, mas é fácil perceber que o lucro tem outros desígnios que os sociais e o que aumentará de número serão as sofisticadas máquinas automáticas de pagamento das compras. Elas e os lucros dos hiperdonos é que aumentam largamente em detrimento do emprego das pessoas e da componente social que deveria residir no trabalho. Os números que provam este desnível são públicos. É só fazer as contas. Afinal, o PS-Governo não perde uma oportunidade para ser ultraneohiperliberal, enquanto chora lágrimas de crocodilo e se imobiliza contra a salvação do Estado Social Falido.

Joshua, PALAVROSSVRVS REX

Nunca vi os da defesa dos animais manifestarem-se contra a absurda
prática do furacão.


João Moreira de Sá, Arcebispo de Cantuária

Homem morre de cancro da mama


O cancro da mama é um caso sério, e aparentemente não é só para as mulheres. O homem mais jovem da Grã-Bretanha a ser diagnosticado com carcinoma mamário morreu na segunda-feira, aos 28 anos. Nicky Avery lutou contra a doença durante quatro anos, e antes do diagnóstico trágico, não fazia ideia de que os homens também podiam ter cancro da mama. Depois de ter conseguido vencer o cancro no peito, as células cancerígenas viriam a espalhar-se mais tarde pelo fígado, ossos e cérebro. Avery descobriu que tinha cancro da mama quando a sua namorada o convenceu a ir ao médico verificar um nódulo que tinha no peito. Tal como muitas mulheres que sofrem deste mal, Avery fez uma mamoctomia total, seguida de quimioterapia e radioterapia intensas. Depois do tratamento, Avery anunciou em Maio de 2007 que tinha "vencido o cancro da mama", mas em Março do ano seguinte o cancro espalhou-se.

Caça aos gordos na Alemanha


Um deputado conservador do parlamento alemão teve uma ideia peregrina para combater a obesidade. Marco Wanderwitz, representante parlamentar da Saxónia, propões que os gordos "paguem mais impostos", de modo a cobrir a despesa que dão ao sistema nacional de saúde". "A questão é, será que um sistema de saúde devidamente consolidado deve cobrir os custos do consumo excessivo de comida?", perguntou o deputado. Wanderwitz continuo dizendo que "penso que as pessoas têm que saber que viver de forma pouco saudável acarreta despesas", acrescentando que "tal como o tabaco, deviamos taxar ainda os produtos de consumo que provocam obesidade, e fazem mal à saúde". Juergen Wasem, um economista, apoia a ideia de Wanderwitz, e vai mais longe ao propôr que se colem etiquetas avisando dos riscos para a saúde em produtos como chocolate, ou outros ricos em açucar e gordura. O jornal alemão Bild estima que os custos de tratamento de doenças relacionadas com a obesidade custam cerca de 16 mil milhões de libras (mais de 20 mil milhões de patacas) ao sistema nacional de saúde alemão. Recentemente a Associação de Professores da Alemanha sugeriu que se pesassem as crianças antes das aulas, e que se encaminhassem os casos de obesidade para os serviços sociais, e eventualmente para clínicas de emagrecimento. Um estudo da Universidade Jacobs em Bremen revela que a maioria da população apoiaria uma taxa extra a pessoas que sofram de obesidade, ou que levem hábitos alimentares desregrados.

Vídeo da semana


Hugo Chávez rompe relações com a Colômbia e deixa Maradona de pé a ouvi-lo. Maradona é um gajo que gosta muito de ficar calado a ouvir. É Fidel, é este...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Chamam-lhes um panda


Esta coisa dos nomes dos pandas faz-me confusão. Foram divulgados os cinco nomes finalistas a concurso, e nenhum deles me parece indicado. As minhas sugestões foram aparentemente todas rejeitadas: Pando e Pandonna (assim com dois "n", como em Madonna), Pandeiro e Pandeireta, Peter Panda e Pandemónia, Vladimir Pandin e Ludmila Pandina. A minha filha ainda sugeriu "Fofinho e Lindinha", mas na altura ri. Parece que a miúda tinha razão, afinal. Com nomes destes, "Fofinho e Lindinha" seria considerado dentro do "bom gosto". Pelo menos não foram escolhidos nomes patrióticos, tipo "Mãe Pátria", ou qualquer coisa relacionada com "harmonia". Já não é mau.

Assim temos "Hoi Hoi" para o macho, e "Sam Sam" para a fêmea. "Hoi Sam" significa "feliz", sendo "hoi hoi" alegre, e "Sam Sam" contente. Já consigo ver a comunidade portuguesa a gracejar com os nomes, que lembram os personagens do Sr. Feliz e Sr. Contente, dupla celebrizada por Nicolau Breyner e Herman José. É um nome com fortes possibilidades de ganhar, uma vez que Macau é a terra da gente feliz e contente, tudo graças ao desenvolvimento, ao alto grau de autonomia, e...bem, esqueçam.

Outro candidato é "Hou Hou" e "Lin Lin" - generoso e fertilidade contínua, respectivamente. Se o urso for mesmo generoso e a ursa muito fértil, existe uma forte possibilidade do parque do Seac Pai Van ter novos residentes num futuro próximo. Quem sabe se a ideia é mesmo essa, produzir uns pandas "Made in Macau", que coloquem o território nesse fantástico mapa dos "sítios onde nasceram pandas".

"Ou Cheong" (voar alto e rápido) e "Ou Mio" (maravilhas de Macau) nem fazem sentido. Desde quando é que um panda "voa alto"? “Ieong Kuóng" (sol), "Mun Mun” (pleno) devem ter um significado qualquer que me ultrapassa. Quanto a “Á Hou" (intimidade) e "Lin Mui" (menina) parece-me foleiro, a atirar para o chunga. "Intimidade" dá a entender qualquer coisa de proibido, erótico até. "Lin Mui" é o nome que os namorados chamam carinhosamente às namoradas. É o equivalente do português do "filha", como na frase "és tão quentinha, filha".

Foi anunciado ainda que a adesão foi positiva - quase 4 mil propostas - sendo que "97% eram em chinês". Aqui o português fica como em todo o resto do que se passa em Macau: remetido à sua insignificância. Mesmoa ssim fico desiludido com a falra de criatividade, principalmente da malta mais jovem. Não sei porque raio os pandas têm que se chamar qualquer coisa como "Lam Lam", "Lou Lou" ou "Mui Mui". Parece que estão a dar um nome a um caniche. São ursos, e não uma coisinha fofa que se pega ao colo, dá-se beijinhos e deita-se na cama. Mas outra coisa não seria de esperar dos criativos de Macau.

Chen e as meninas


O martírio do ex-presidente de Taiwan, Chen Shui-bian, e o da sua família, está longe de terminar. Desta vez o seu filho Chen Chih-chung, foi acusado por uma revista local de ter solicitado os serviços de uma prostituta durante a campanha para a Câmara Municipal de Kaohsiung. O magazine Next publicou um fotografias de uma prostituta a entrar no carro de Chen, perto de Kaohsiung. A revista seguiu uma pista que indicava que o político, de 31 anos, requisitava frequentemente o serviço de prostitutas. O Next alega ainda que recebeu quatro segmentos de conversas telefónicas entre Chen e um chulo. Na madrugada de 3 de Julho, a carrinha Lexus prateada de Chen Chih-chung foi avistado em frente a um banco. Uma mulher alta de cabelos compridos acenou do assento da frente, e o motorista, alegadamente Chen, afastou-se do local. A revista reportou que a mulher e Chen encontrariam-se mais tarde e tiveram relações sexuais num hotel perto da sua casa. A mulher foi mais tarde identificada como "Nicole", de 29 anos, que trabalha de dia numa companhia de vendas, e prostitui-se de noite. Nicola confirmou à Next que teve relações sexuais com Chen, e recebeu 5000 dólares de Taiwan (550 patacas) por 40 minutos de "trabalho". Nicole diz que reconheceu o político, mas absteve-se de o questionar ou fazer comentários. Chen nega tudo, e diz que "emprestou o carro" a um amigo, desde o mês passado. A sua mulher, Huang Jui-ching, confirma que Chen "estava em casa" na altura dos factos. O político anunciou hoje numa conferência de imprensa que vai processar a revista e a prostituta. Chen está a concorrer para um assento na Câmara de Kaohsiung, e diz que "não tem energia" para uma prostituta, e que a campanha consome a maioria do seu tempo. "Eu sei que todos os olhos estão em cima de mim nesta altura, e nunca faria uma coisa destas", disse. Chen desafiou a revista a apresentar provas concretas de que se trata realmente dele. Parece-me política "à moda de Taiwan". A China vê e ri-se desta "democracia".

Leão selvagem


O treinador do Goiás e ex-selecionador da canarinha, Emerson Leão, envolveu-se em confrontos com jornalistas no final do jogo entre o Vitória da Bahia e o Goiás, a contar para a 10ª jornada do Brasileirão. O jogo terminou empatado a duas bolas, tendo os baianos recuperado de uma desvantagem de dois golos, e conseguindo o golo da igualdade a um minuto do fim. Leão não terá gostado do resultado, reclamou com o árbitro Péricles Paixão, e os repórteres pagaram a conta. Os jogadores do Goiás, que de início tentaram conter o treinador, acabaram por se juntar à pancadaria. No final foram todos parar "na delegacia", à boa moda brasileira.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Há censura e censura, há ir e voltar


1) Lia hoje uma reportagem (excelente, por sinal) no Hoje Macau sobre a censura de um reality show na China. O programa em questão era assim uma espécie de desfile de candidatas a rameiras que proferiam alarvidades ocas e materialistas com o objectivo de arranjar um namorado igualmente oco, mas rico. O que “tramou” realmente o programa foi a enorme audiência, e já se sabe, isto na China cai mal. Milhões começaram a sintonizar o tal programa, e lá se foram os valores familiares, a modéstia e a “harmonia” que tanto caracterizam os chineses. Sinceramente acho que fizeram muito bem em censurar aquela merda. Quer dizer, miúdas a candidatarem-se a prostitutas? Uma versão do “Quem quer ser milionário” chamada “Quem quer ser a concubina no milionário”? Não pode ser. Quem tem uma filha não aceita que ela aprenda que uma das maneiras de ganhar a vida é vendendo as bordas da rata pela melhor oferta. Não têm alguns desses censores para mandar, por exemplo, para Portugal? Ainda vão a tempo.

2) Assim como os deputados, também não estou a favor das ajudas em despesas judiciais dos funcionários públicos. Está certo que não vão começar a processar toda a gente a torto e a direito, pois os pedidos terão que ser aprovados pelo Chefe do Executivo. Sinceramente o que isto me parece é uma manobra de intimidação. Será que seria assim tão fácil criticar os funcionários públicos? E para quem será a lei? Não para os quadros médios ou da linha da frente, certamente, pois não estou a ver o Governo ser assim de repente tão generoso com os funcionários públicos. Espero contudo estar enganado, mas isto não mudaria muita coisa. Isto de recorrer a processos judiciais por dá lá aquela palha, e mesmo patrocinado, é só para gente que não tem nada que fazer.

Toma lá o leitinho


O vídeo já é de Maio último, mas tornou-se agora, em linguagem da especialidade, "viral". Uma concorrente de uma espécie de "Idolos" em Taiwan apresentou-se numa das eliminatórias, e cantou - mal. Os júris provavelmente devem ter mandado aquelas bocas iditoas típicas deste lixo televisivo, e a menina não foi de meias medidas, e pimba! atirou-lhes com o sutiã, depois de ter dito que "cantava bem". Ora toma!

Um pesadelo ao contrário


Um casal nigeriano teve um bebé loiro de olhos azuis. Os médicos insistem que o bebé é um albino, uma vez que nenhum dos pais tem ancestrais loiros, ou de olhos azuis. Os pais acham que "não parece um albino", e caso não seja um resultado de alguma escapadela amorosa da senhora com o McGyver, será um caso muito raro (único?) na medicina. Segundo Bryan Sykes, um geneticista da Universidade de Oxford "a tonalidade mais clara da pele pode sobressair numa criança, às vezes numa cor completamente diferente", mas acrescenta que isto "é mais típico das populações negras caribenhas; na Nigéria há pouca mistura". Ora bolas, sem nem o doutor acredita...

Senhoras e senhores: o rei dos gnomos


Um louco foi detido em Torres Vedras, Portugal, pelo suspeito homicídio de três jovens. Francisco Leitão, auto-intitulado "Ghob, rei dos gnomos", é homossexual, e não gostava que os seus namorados - normalmente rapazinhos jovens - falassem com outras pessoas, principalmente mulheres. Um dos namorados arranjou uma namorada, e o "Xico do avião", como também era conhecido, fez saltar o que faltava da tampa e entrou em "rage" homicida.

O Francisco Leitão acreditava que o fim do mundo acontecia em 22 de Dezembro de 2012 (que original...), e tem um canal no YouTube onde se podem ver actos de magia e outros vídeos bastante amadores, que me dão a entender que o senhor era o bobo da corte de Torres Vedras. Neste vídeo o senhor tira os dedos, e noutros vídeos também disponíveis no YouTube, dança o kreu e canta música pimba.

Tás bom, Zé Mário?


Estava esta manhã a ver na RTPi o programa de entrevistas "Bairro Alto", apresentado pelo Fialho Gouveia filho, e o convidado era José Mário Branco (Zé Mário a partir daqui, devido às nossas ligeiras afinidades). O Zé Mário está mesmo velhinho, coitado. Quer dizer, o Zé Mário que conheci era um gajo assim cheio de pinta, que berrava, tinha cabelos compridos, bigode hirsuto, agitava o punho. Ainda me lembro de o ver na televisão a chorar quando o Zeca morreu, cheio de vontade de mandar tudo à merda. É ainda por cima um génio musical, que compôs algumas das mais fantásticas cantigas de intervenção (ou de esquerda, se preferirem), e realizou "A Mãe", um musical "of sorts", que muito marcou o meu imaginário. Hoje o Zé Mário está mais para os 70 do que para os 60, mas continua vivaço. Conseguiu mesmo urdir mais um pensamento genial: "é cansativo ser feliz". A mais pura das verdades, meu caro Zé Mário.

O bife da discórdia


Esta é Zahia Dehar, a tal "menor" que Ribery e Benzema abifanaram lá num bordel qualquer de Paris. A actriz-porno (?), agora com 18 anos, diz que foi "prenda de aniversário" de Ribery. Bem, se ela com 18 anos, já em fim de carreira, é assim, imaginem como era quando tinha 16. Ou 13. U-la-la.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Apostas desportivas: a teoria


Há coisas de que só é bom falar quando passam, ou acabam, ou como neste caso, se encontram em "pousio". Falo das apostas desportivas em Macau, que este ano tiveram um volume de negócio acrescido graças ao recente mundial realizado na África do Sul. Apesar da China não ser uma presença regular em campeonatos do mundo (só lá foi uma vez...), os chineses apostam forte e feio nas selecções que disputam a prova mais importante do desporto-rei. Há uns que se consideram mesmo "especialistas", utilizando critérios que passam do simples pressentimento à mais elaborada das estatísticas. Eu confesso que não sou lá muito bom jogador. Aposto muito com o coração, e se não gosto do Putin, por exemplo, não aposto na Rússia.

Mas este ano devido às inúmeras surpresas, são poucos os que se podem orgulhar de ter "facturado" durante o mundial de futebol. O mais engraçado é observar as reacções dos apostadores quando quando vêem goradas as suas expectativas. Como a ignorância não paga imposto, algumas das opiniões roçam o limiar do surrealista, e em alguns casos fazem rir a bandeiras despregadas. Por exemplo, aquando da derrota do Brasil frente à Holanda, o que mais se ouviu foi que o Brasil "vendeu" o jogo, isto é, perdeu de propósito. E porquê? Por causa do polvo. Não do tal polvo Paul, mas do "polvo" da rede de apostas, esses que decidem todos, mas mesmo todos os desfechos das partidas de futebol.

Algures lá na Malásia, na Indonésia ou em Hong Kong, houve quem tenha pago milhões ao Filipe Melo para dar aquele pontapé num adversário e ser expulso. Se por acaso protesto esta descabida teoria, dizem-me com um ar muito seco e paternalista: "tu nem sabes quanto dinheiro está envolvido". Pronto, já cá não está quem falou. Claro que esta teoria é elaborada por, nem mais, pessoas que apostaram no Brasil e perderam dinheiro. Provavelmente umas quinhentas pataquinhas, que segundo eles foram parar "directamente ao bolso do Filipe Melo". Tomá lá que já almoçaste feijoada à brasileira com laranjas holandesas.

Mas voltando a isto das apostas, uma das formass de apostar é através do "Asian Handicap". Não, não é um coreano sem pernas nem uma indonésia anã. O tal "Handicap" é baseado na diferença entre as duas equipas. Uma equipa mais forte que "dá bolas". Por exemplo, num jogo entre o Benfica e digamos, o P. Ferreira. o Benfica daria uma bola e meia ao P. Ferreira. O que significa que se apostar no Benfica através do "Handicap", os encarnados têm que ganhar por pelo menos dois golos de diferença. Também se pode apostar apenas no vencedor, mas aí as "odds" - o factor de multiplicação - diminuíria. Apostar numa simples vitória do Benfica pagaria muito pouco.

Outra forma mesmo impecável de apostar é no "over/under". Se acha que um jogo vai ter 3 ou mais golos, independentemente do vencedor, nada como comprar "over", que significa "mais de 2,5 golos", ou seja, três (pode variar consoante o jogo). Caso suspeite que um jogo vai terminar 0-0 ou com poucos golos, pode comprar "under", e no caso de visionar o jogo, fica a torcer para que não aconteçam golos.

A modalidade mais apetitosa é contudo o "resultado certo", ou seja, apostar no resultado exacto de um jogo. Ter apostado 100 patacas, por exemplo, na goleada da Alemanha frente à Argentina por 4-0, pagaria qualquer coisa como 9600 patacas. O salário de muito boa gente, portanto, e só numa jogada. Se conseguir acertar em dois resultados certos, multiplica-se o valor de um pelo outro. Se juntamente com esse Alemanha-Argentina apostasse também na vitória da Holanda por 2-1 sobre o Brasil, ganharia mais de 100 mil patacas. Chega a ser mais divertido do que jogar no Euro-milhões ou no Mark-Six, em que os milhões dependem apenas de um sorteio.

Existem outras modalidades, pode apostar no resultado ao intervalo, quantos golos exactamente vão acontecer num só jogo, quem vai marcar o primeiro golo, quem vai ser campeão de determinada liga, ou optar pelo "live-betting". Mil e uma opções. Há pessoas que fazem disto a sua vida, praticamente, passam horas a fio na slot, e como devem estar agora a ressacar. Mas falta menos de um mês para que regressem os principais campeonatos europeus, a Liga dos Campões, a Liga Europa e tudo mais, e aí vai ser uma festa. Por enquanto têm que se contentar em apostar nas ligas russa, sueca e japonesa. É para não perder a prática.

Ribéry e Benzema presos


Os internacionais franceses Franck Ribéry e Karim Benzema ficaram, esta terça-feira, em prisão preventiva, depois de terem prestado depoimentos num tribunal de Paris. Os dois serão apresentados a um juiz dentro de 48 horas.

Os dois jogadores, que chegaram ao tribunal por voltas das nove horas da manhã, ficaram detidos juntamente, com dois familiares de Ribéry, que também estão indiciados no caso, segundo revela fonte judicial próxima do processo.

Também indiciados estão o gerente do Zaman Café, local onde supostamente ocorreu o envolvimento, um empregado do estabelecimento e um homem suspeito de fornecer prostitutas a individualidades franceses.

Ribéry e Benzema estiveram, segundo Zahia Dehar, envolvidos com ela em diferentes alturas. O primeiro foi no ano de 2009, enquanto que o segundo terá sido um ano antes. Contudo, a prostituta admite que os jogadores não saberiam que era menor, o que pode ser decisivo no desenrolar do caso, facto reforçado pela advogada da estrela do Bayern Munique, Sophie Bottai.

Caso as acusações sejam provada, os dois futebolistas podem enfrentar a pena que está estabelecida em França para estes casos de solicitação de prostitutas menores: três anos de prisão e 45 mil euros de multa.

In Record

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O esférico rolando sobre a relva



O futebol de Macau está cada vez mais espectacular. O Windsor Arch Ka I juntou a Taça ao campeonato, fazendo assim a "dobradinha". Na final da Taça, disputada ontem no Estádio de Macau, o "Real Madrid de Macau", orientado pelo "Mourinho de Macau", e onde pontifica o "Cristiano Ronaldo de Macau", bateu o Lam Pak no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, depois de um empate a quatro bolas no tempo regulamentar (os jogos da Taça de Macau têm 60 minutos, e não há prolongamento). O treinador do Ka I, Rui Cardoso, considera a vitória "justa", obtida "contra tudo e contra todos", e apesar de "não gostar de falar de arbitragem", considera que o árbitro "beneficiou o adversário". O jogador português Ricardo Torrão considera que o Ka I "podia ter feito melhor" do que juntar a Taça ao campeonato: "Podiamos ter ganho os jogos todos", disse. Como podem ver, o futebol em Macau até é parecido com o português. Só que ainda com menos público.

Wheels on Meals (c/ Jackie Chan)


Como o Bairro do Oriente é bué de ecléctico, tenho um filmezinho para vossas mercês apreciarem com o sentido da visão e da audição (e dos outros, se quiserem): "Wheels on Meals", um dos primeiros filmes "americanos" de Jackie Chan. Se realmente tiver tempo para se sentar aqui e ver os 103 minutos do filme, está de parabéns. Tem mais sorte que eu.

A crise f...-nos todos


Uma criança de 8 anos pisou uma seringa na praia de Esmoriz, e picou-se na agulha. A criança, que frequentava a praia no âmbito de uma actividade escolar, vai ficar sob observação médica durante um ano, para que se possam detectar eventuais infecções. Uma notícia triste e preocupante para segurança de pais que levam os filhos à praia, e para a segurança dos próprios pais, que não estão livres de pisar numa agulha oculta infectada com sabe-se lá o quê. Parece que devido à crise, a administração da praia cortou em despesas de limpeza, manutenção e tudo mais, e pronto, o resultado é este. Quem disse que a crise não era para todos?

Filho da...


A mãe do bebé de Cristiano Ronaldo é uma empregada de mesa norte-americana sem cheta, que ficou grávida depois de ter tido sexo casual com o atleta. Os media e a opinião pública estava convencida que C. Ronaldo tinha arranjado uma barriga de aluguer, mas o Sunday Mirror revelou ontem que tudo não passou do resultado de uma aventura. Depois de lhe ter sido apresentada a conta de 10 milhões de libras pela paternidade, o português terá dito aos amigos que se sentia "como Boris Becker", tenista alemão famoso por ter um dia tido um filho ilegítimo depois duma queca que deu num restaurante em Londres - brincadeira que lhe custou 20 milhões de libras e o seu casamento.

Aparentemente C. Ronaldo abordou a empregada de um restaurante em Los Angeles com uma conversa que ela não conseguiu perceber. Aí o futebolista desenhou um coração na janela húmida perto da sua mesa e disse-lhe: "Me, you, kiss". Depois levou-a para o seu quarto de hotel, e passado nove meses, era pai. Aí confiou ao seu melhor amigo para conseguir a paternidade em Nova Iorque, supervisionada pela sua mãe, Dolores Aveiro, e levaram o bebé para Portugal. Ronaldo disse aos amigos que não queria que o filho, que se chama Cristiano Ronaldo Jr., soubesse a identidade da mãe até completar 18 anos (isso agora vai ser difícil...). A empregada contactou primeiro o empresário Jorge Mendes, que transmitiu a notícia a Ronaldo. O jogador submeteu-se a um teste de ADN, e garantiu à mulher que se o filho fosse dele, ele prestaria todo o apoio necessário, e assumiria a paternidade. Um amigo disse ao Sunday Mirror que Ronaldo soube do resultado do teste de paternidade "durante o mundial da África do Sul".

Olá tia Caty, tá boa? Chuac, chuac


Estava agora a ver na RTPi uma entrevista de Isabel Angelino a Catarina Serra Lopes, presidente do "Padrinhos de Portugal". Catarina Serra Lopes (terá Teixeira da Cunha no nome?), uma jornalista "tia" assumida que fundou a associação humanitária em 2002, e recebeu o prémio Luxor em 2008 pelo seu trabalho humanitário. Fiquei parvo com algumas afirmações desta senhora. A falar das criancinhas que ajuda em África ou lá o que é, diz que "essas crianças não vão para uma universidade, de certeza", e que o melhor era que "aprendessem um ofício" para se conseguirem "auto-sustentar". A sério, ainda não jantei, e isto deu-me a volta ao estômago. Então não vão para a universidade porquê? Isto é que é condenar as pessoas à miséria eterna. É verdade que estas crianças vivem em tribos de África, longe da civilização, mas quem diz que o mundo não pode evoluir no sentido de, sei lá, dar uma oportunidade a meia dúzia de miúdos para que não morram de fome? Mas não, é isso que vai acotnecer, ou vão acabar na prisão, portanto o melhor mesmo é aprender um ofício. A "Padrinhos de Portugal" tem já perto de 500 sócios, tudo "gente bem", suponho, e Catarina Serra Lopes diz que é um trabalho que "dá trabalho". Fosga-se! Depois conhecemos a senhora mais a fundo: é uma sentimentalona, guarda imensas colecções, sei lá, desde o primeiro copo onde bebeu cerveja na vida, é uma optimisma, e quer "fazer a China" - jornalisticamente falando. A certa altura Isabel Angelino louva Catarina Serra Lopes pelos sítios que já visitou, uau, e já esteve em toda a parte, conhece todos os restaurantes de Buenos Aires, e trata Nova Iorque por "tu". Depois mostrou uns tecidos que comprou não sei onde, e começou a exibi-los, como se fosse uma reles feirante. As suas cores favoritas são "branco...branco...branco...encarnado, amarelo, verde". E ficámos ainda a saber que a Catarina vai ter umas férias maravilhosas este ano, que passam por Istambul, costa turca e Japão. Coitada...